PubliPost Vida Saudável

Vocês sabem porque é que o atum é tão bom?

É acessível, versátil e saboroso. Cá em casa nunca faltam latas de atum. É uma espécie de essencial mágico. Em poucos minutos está feita uma refeição principal ou um lanche.

Mas o atum não é apenas prático, faz maravilhas à saúde (se conjugado com os alimentos certos, porque, atenção, não anula asneiras), com um perfil nutricional excelente, rico em proteína, gorduras boas e muitos micronutrientes como selénio, potássio ou vitaminas do complexo B. Esta riqueza em nutrientes tão essenciais faz com que seja um escudo para a saúde, por ajudar a combater o aparecimento de várias doenças e por potenciar características tão boas, como a energia, o funcionamento cerebral ou uma recuperação eficaz dos músculos (uma lata no saco do ginásio é perfeita para o pós-treino).

Para o almoço, para o jantar ou para o pós-treino, é um alimento que deve constar de todas as dietas (pelo menos aquelas que consomem produtos de origem animal). Estes são os seus principais benefícios.

 

8 grandes vantagens do atum

 

É anti-inflamatório

Mais do que na farmácia, o segredo para combater as inflamações do organismo — desencadeadas por invasores como bactérias, químicos ou micróbios, mas também por determinado tipo de alimentos, como refinados, gorduras trans ou carnes vermelhas— está no tipo de dieta que se faz. Segundo a Harvard Medical School, as gorduras dos peixes gordos (atum, salmão, sardinhas, cavala) têm poder anti-inflamatório. A este grupo juntam-se os frutos vermelhos, os frutos secos, os verdes, o tomate e o azeite. As inflamação crónica já foi associada a diversos tipos de cancro, doença de coração, diabete, depressão e alzheimer.

 

É energético

Precisamos de energia para tudo. Para nos mexermos, para os nossos órgãos funcionarem. O atum é rico em dois dos três macronutrientes, responsáveis por fornecerem energia ao corpo: a proteína e a gordura. É uma excelente fonte para obter calorias boas, com um perfil nutricional rico e cheio de vantagens para a saúde. Tem a capacidade de nos saciar, ou seja, de retardar o aparecimento de fome e, assim, regular o apetite — um fator aliado em processos de perda de peso e de manutenção de um peso saudável.

 

É bom para a saúde do coração

É uma das vantagens mais conhecidas. Mais uma vez, está associada à riqueza em gorduras boas, nomeadamente o ómega 3, benéfico na redução do colesterol LDL (o “mau”), mantendo saudáveis as artérias e vasos sanguíneos. Por ser rico em potássio, é ainda importante para uma boa pressão sanguínea, contribuindo para a prevenção de doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos ou enfartes.

 

Equilibra os níveis de mercúrio

Consumir peixe em excesso pode levantar problemas nos valores de mercúrio do organismo. Vários estudos sugerem (ainda não está completamente comprovado) que a selenoneína, um tipo de selénio presente no atum, cria uma espécie de escudo capaz de alterar ligeiramente a composição deste metal pesado, tornando-o menos perigoso.

 

É anti-cancerígeno

A ciência também sugere que o atum é importante na prevenção de determinados tipos de cancro, sobretudo dos rins, da mama e do cólon. São vários os nutrientes responsáveis por isto, incluindo, mais uma vez, o selénio, que tem acção antioxidante e, por isso, protege as células dos radicais livres, que as alteram e envelhecem precocemente as células.

 

É um excelente pós-treino (porque é riquíssimo em proteína)

Uma lata de atum no saco do ginásio é das soluções mais práticas, eficazes e saudáveis para o consumo da proteína necessária no pós-treino, para a reconstrução e fortalecimento dos músculos. Sabem que uma lata de atum em azeite tem cerca de 25g de proteína e 200 calorias (e um preço excelente)?

 

O cérebro agradece

Mais uma das vantagens indicadas pela Harvard Medical School. Juntamente com os vegetais de folha verde escura ou frutos secos, os peixes gordos, ricos em ómega 3, também estão associados a um melhor desempenho do cérebro, retardando o declínio cognitivo, contribuindo para maiores níveis de concentração e, consequentemente, de produtividade e boa disposição — o que pode ser positivo na prevenção da depressão.

 

… a carteira e a logística familiar também!

Cá em casa todos adoram massa com atum ou arroz de atum. Eu prefiro uma salada de atum, mas não resisto a uma sandes com atum para o lanche (e de preferência na praia). É rápido de preparar, barato e consensual em termos de sabor. Perfeito.

Para quem quiser ainda mais sabor, investiguem os vários que a Bom Petisco lançou. Para mim ganha o de Azeite Virgem Extra e Orégãos!

 

E já que falamos em alimentação e atum (treino), vale a pena relembrar que aceitação não é desleixo.

Comentários (5)

Escrever um comentário