Vida Saudável

Gostemos de nós. É só isso.

achei que estava grande

No outro dia partilhava no Instagram uma fotografia tirada durante a minha espécie de lua de mel com o Pedro. Encontrei-a quando procurava outra coisa no disco externo e lembrei-me o que senti quando o Pedro me mostrou. Sei até que não partilhei algumas daquelas imagens porque achei que estava grande.

Naqueles dias, depois de ter pedido mais de 15 quilos, tinha ganho 3 ou 4. Culpa do Pedro, óbvio! Eu costumava falar nisso nos workshops depois do livro Dieta das Princesas. Numa relação feliz é fácil ganhar peso. Não porque deixemos de preocupar com o aspecto mas porque existe uma vida em comum onde são partilhadas refeições. E existe um frigorífico onde vivem alimentos de várias pessoas. Sozinha controlava imenso o que comia, com o Pedro gostava de almoçar, lanchar, jantar, e partilhar o momento sem me privar de nada.

Hoje tenho mais 8 quilos do que naquela fotografia e pergunto-me: como é que olhei para aquela fotografia e achei que estava grande.? Raio de cabeça esta que insiste em ver defeitos e deformar a imagem. Raio de cabeça esta e de tantas mulheres que olham para o espelho e não conseguem ver a beleza que ali está.

Hoje tenho mais 10 quilos do que quando estive magra (mas conseguia ver mil defeitos). Ainda me incomoda um pouco o rabo ficar logo gigante e só caber num 42 das lojas normais. Mas quando olho para o espelho consigo ver coisas boas. Peso-me uma vez por semana (ou mais se sentir que estou a abusar) mas o meu humor matinal já não está dependente desse número.

Voltaria a passar por todo o processo de perda de peso que relatei no livro Dieta das Princesas. Foi naquele momento que aprendi a importância de gostar de mim. Porque não tenho dúvidas que uma alimentação consciente e fazer exercício físico é fundamental para cuidarmos de nós.

E agradeço ter passado por outra gravidez e até ter voltado a engordar para aprender que a beleza está para além disso e merece que gostemos das fotografias no momento em que olhamos para elas, sem deformar o que está à nossa frente.
Gostemos de nós. É só isso.

Comentários (3)

  • Tive a 3ª filha há dois anos, e desde Maio 2017 já perdi 15kg, sendo que me faltam uns quantos outros que irei perdendo devagarinho. No outro dia esbarrei com o teu livro em casa de uma amiga e tive de o trazer. Já lhe tinha pegado muitas outras vezes, mas nunca parecia fazer sentido, não era o momento. Acredita que para mim faz sentido lê-lo agora, que sei que alguns dos teus kilos perdidos voltaram. Porque o livro não é sobre o peso, é sobre ser feliz. E continua a ser, qualquer que seja o teu peso.

    Responder
  • A resposta é “porque está feliz” 😊
    E quando estamos felizes …”happy girl happy thougts feeling pretty” 😊😊😊

    Responder
  • Engraçado, ontem estava com o meu marido a rever fotos dos nossos filhos… Numa de há 7 anos, gostei da minha aparência, e lembrei que naquela fase não me sentia particularmente bonita, mas agora ao ver as fotos, achei que estava bem. Disse ao meu marido: olha como eu era magra! E ele respondeu ( sei que com sinceridade, porque ele não é fofinho, é direto!) : tal e qual está agora!
    Duas lições desse episódio: 1ª gostar de mim, porque com o tempo irei me arrepender de não ter gostado, 2ª tentar gostar agora, se calhar estamos bem e nem damos conta!

    Responder

Escrever um comentário