Maternidade

O parto da princesa Kate (e não é uma piada com o meu nome)

Parto da princesa. Nenhum é igual. Uns são difíceis, outros são fáceis

O parto da princesa. Mais uma que acaba de parir (há quem ache o verbo feio mas eu gosto bastante, se não concordarem leiam “ter bebé”) com boa cara e o mundo cai de espanto. Como é possível que uma pessoa possa ficar com boa cara depois de um parto? Assim “fresca e fofa” como se nada tivesse acontecido?

Não vou falar sobre o cabeleireiro e maquilhagem da Kate Middleton porque a rapariga é princesa. Nem dos brincos da Carolina Patrocínio (sobre a barriga já sabem o que penso) – que também se atreve a ter filhos e a ficar ainda mais bonita depois disso, tipo logo logo depois disso. Vou falar de mim, comum mortal, sem títulos de realeza, nem abdominais de sonho.

Tive três filhos – sem epidural. O primeiro não conta porque era Dezembro e eu estava tão transparente antes como depois de parir.

Tanto com o Afonso como com a Maria Luiza depois do parto estava pronta para ir para casa, feliz da vida e com excelente aspecto. Assim, como se nada fosse. É mesmo assim. Agradeço às amigas hormonas (não podem ser sempre as más da fita).

No nascimento da miúda tinha ido fazer pestanas no dia anterior, estava bronzeada, e foi um parto durante o dia (ou seja tinha dormido – e bem – na noite anterior).

Tomara eu estar agora com a boa cara com que estava cinco minutos depois da miúda ter vindo ao mundo. O cansaço é que lixa tudo!

Resumindo e concluindo. E com uma dedicatória amiga às mulheres grávidas pela primeira vez: há partos óptimos e fáceis, há mulheres que ficam assim, como se nada fosse e não são princesas. E é tão normal como ficar inchada, exausta e imprópria para fotos, mesmo que sujeitas a várias filtros.

E vivam as mulheres e esse milagre de ter filhos. Com boa cara, má cara, partos em casa ou cesarianas a pedido. Somos todas princesas.

E depois do parto da princesa, relembremos o meu.

Comentários (2)

Escrever um comentário