Maternidade

[parabéns meu filho pequeno]

filho pequeno

Filho pequeno és rijo, desenrascado e independente. Inventas muito e falas mais ainda. Assim como tens a mania que sabes tudo e dás muitas ordens.

Acordas sempre com mau humor e detesta deitar-te cedo. Tens um feitio soviético, como diz o teu pai. E gostas dos programas mais foleiros da televisão. Assim, descrito dessa forma, diria que estou a falar de mim. Mas sabes falar inglês muito melhor do que eu e não tens medo de quase nada.

És o oposto do irmão que adoras, de quem sofres de saudades, de quem fazes o que queres porque não o largas até seres tão chato que a única hipótese é ceder aos teus pedidos e cair no sofá a rir às gargalhadas. És o meu bruto. Mostraste-me que as manias que tinha e que filho meu não fazia birras, nem contrariava uma ordem minha, era apenas isso “mania”.

Mas sei, quando te carrego aos ombros, como um cabritinho, numa birra descontrolada que aquilo que tens é calor. E sei que, mesmo em pranto desesperado, se eu disser “wrap de frango grelhado sem molhos” ris-te entre os soluços. Sei que gostas de croquetes e chocolates mas que devoras salmão com cuscus e brócolos. Sei as músicas que gostas de cantar (é fácil, são exactamente as mesmas músicas que gosto de ouvir). Sei que sabes todos os números, todas as cores em inglês e que sabes reconhecer escritas todas as palavras que já viste e ouviste uma vez.

E sei que és o filho pequeno que desejei, que temi não amar durante 38 semanas e por quem me apaixonei perdidamente naquela madrugada de sexta-feira. até hoje. Para sempre.

foto: Marta Dreamaker

 

Comentários (12)

Escrever um comentário