Maternidade

Dizer que sim, em vez de dizer sempre que não

Dizer que sim, em vez de dizer sempre que não. Um exercício importante

Dizer “não” parece mais difícil, é negativo, soa sempre mal. Mas nisto de ter filhos, é muito mais fácil dizer “não” do que dizer que “sim”. O “não” sai-nos sem que pensemos, muitas vezes, o que é que estamos a negar. O “não” dá-nos alguma segurança por nos fazer acreditar que as coisas ficam tal como estão. Mas um “não” permanente não é nem nunca vai ser bom. Um “não” permanente mata a curiosidade e é um entrave no processo de descobrir. Dizer que sim , esse é que é o grande desafio.

Saber dizer “sim” é um desafio porque vai contra aquilo a que estamos habituados. Cá por casa já falámos nisso e concluímos que é uma missão em que vale a pena apostar. O “não” deve ser guardado para aquilo que é mesmo necessário. Algo grave e que não pode mesmo ser feito e não aquelas coisas em que o “não” sai de forma automática só porque, na verdade, dizer  que sim significa termos mais trabalho ou estarmos com mais atenção.

A odisseia passa por inverter este hábito, sobre o qual a Cup pf Jo já falou e a que se referiu como o melhor conselho neste processo longo que é educar.

Há regras que os miúdos têm de seguir. E, em alguns casos, um “não” é mesmo usim não. Se tem de estudar e quer ir jogar computador, é não. Se tem de arrumar o quarto e quer brincar, é não. Se tem de ir para a cama e quer ficar a ver televisão também é não. Se não quer comer a sopa e quer comer batatas fritas, também será quase sempre um não.

Mas fora isto que serve para educar (essa extenuante tarefa de que já falei) e preservar a saúde, não há nenhum motivo para dizer sempre que não. E poderão reparar que se disserem menos vezes “não”, a palavra será muito mais respeitada.

Vamos a alguns exemplos, que a própria Cup of Jo deu:
Querem usar os calções de banho na banheira. Porque não?
Querem saltar de um sofá para o outro? Se não for demasiado longe, porque não?
Querem ir de pijama à mercearia do bairro? Por que não?
Querem misturar leite com água? Por que não?
Querem dormir na posição contrária na cama, com a cabeça nos pés? Porque não?
Querem brincar no chão? Esta é para mim! Que brinquem e depois tomam banho.

A reacção mais natural a todas estes pedidos será sempre o não, porque são acções que fogem da ordem natural das coisas. Mas são nãos que não valem a pena.

Dizer que sim sim vale: deixa a criatividade falar, deixa a curiosidade fluir e deixa aprender (provavelmente nunca mais vão querer misturar leite com água). E como vos disse, o “não” ganha outra força.

Comentários (2)

  • […] Saber dizer “sim” é um desafio porque vai … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Concordo, também mudei de atitude e passei a dizer mais sim, queres sair de casa vestida de princesa ? ok que mal pode ter? querem fazer picnic no chão da sala? Sim. Querem dormir no chão? Pode ser… enfim, são coisas que realmente não fazem mal, e eles ficam realmente felizes.

    Responder

Escrever um comentário