Maternidade

De que temos saudades do tempo em não éramos mães?

tempo em não éramos mães

De que temos saudades do tempo em não éramos mães? A pergunta é muito fácil de responder mas aquelas “culpas” que a maternidade carrega (a eterna, dura e castradora culpa de mãe) tende a tornar as palavras menos honesta do que queria. Vou contrariar isso e fazer também um esforço para recusar quase 16 anos. Do que tenho saudades do tempo em eu não era mãe?

Tenho saudades do desapego. E, não consigo usar outras palavras, tenho saudades de não ter medo de morrer. 

Assim, de forma mais geral, mais íntima, mais bruta.

Há muitas coisas de adulta que nunca fiz sem ser mãe. O Gonçalo nasceu quando eu tinha 24 anos. Era uma miúda. Mas, pelas circunstâncias da vida, durante muito tempo tive tempo sem filhos. E disso sim, sei do que tenho saudades.

Tenho saudades de ficar no sofá, em posição fetal, e desligar a cabeça – seja para chorar ou para ver o programa mais estúpido na televisão. Tenho saudades de entrar no ginásio às 19h e sair quando fecha e ainda ir à sessão na meia noite nas Amoreiras. Tenho saudades de sair até o sol nascer.

Tenho saudades de fazer máquinas de roupa. Tenho saudades de não fazer a menor ideia do que tenho no frigorífico. Tenho saudades de não saber o saldo da conta. Tenho saudades de ser apenas filha e ter a certeza que alguém tratava de tudo por mim. Tenho saudades de ser adolescente. Tenho saudades das viagens (até daquelas que não fiz). Tenho saudades de comprar um bilhetes de avião e ir. Tenho saudades de passar uma manhã inteira na cama com o Pedro. Tenho saudades de passar o dia inteiro na praia, ter frio, ter calor, dormir ao sol e voltar a ter frio. E depois ir comer amêijoas com torradas.

E sim, tenho saudades de dormir. Mas acho que é aquilo de que tenho menos saudades.

 

Levei o desafio aos Instagram e lancei a pergunta a outras mães. O post encheu-se de respostas. Deixo aqui 20, com os nomes devidamente omitidos.Obrigada a todas. 

De que temos saudades do tempo em não éramos mães? 

1. “Saudades de sair com fim da tarde com os amigos só para um copo e acabar num jantar, sem qualquer preocupação! Saudades de estar deitada na praia uma manhã toda só a relaxar e a ler. Saudades de não ter que pensar em refeições a toda a hora. Saudades de sair de casa sozinha sem levar tudo atrás! Tanta coisa… acima de tudo, aquela sensação de liberdade e muito menos preocupação!”

2. “Beber sem medo da ressaca do dia a seguir! Fazer o amor onde calha. Dizer asneiras hardcore em voz alta. Jantar fora à 1h da manhã. Pfff”

3. “Chegar a casa, sentar o rabo no sofá e jantar o que calha.”

4. “Tenho saudades da descontração e espontaneidade com que podíamos viver o dia a dia. Tenho saudades de dormir até às 10h. Tenho saudades da leveza de não ter quem dependa de mim. Posto isto tenho a dizer, tal como a Catarina já referiu, que não está em causa o amor pelos meus filhos nem que não os trocaria por nada.”

5. “Tenho saudades de: não ter um relógio sempre na cabeça, de me sentar no sofá e não fazer nada! De jantar fora a qualquer hora e anytime! Dormir de manhã! Happy hoursssssss! E principalmente de não estar sempre em ‘alerta’.”

6. “Saudades de dormir!! De não fazer nada, pijamar o dia todo e ver televisão!! Saudades de sair á noite e chegar a casa de manhã!”

7. “Hum… Tenho saudades de ir ao ginásio e de correr todos os dias! Vá… Podem bater-me à vontade porque não há forma de vencer a preguiça!”

8. “Saudades de dormir o dia todo! Não cozinhar!! Ir ao cinema à noite! Fazer amor com som.”

9. “Da liberdade de fazer o que quero quando quero. De sair à noite. De dormir até tarde. De passar um dia em casa entre a cama e o sofá. O resto é demasiado impróprio para ser escrito!”

10. “Tenho saudades de… poder vestir um cai-cai por cima da pele; que não saiba toda a gente onde estou a toda a hora; de ficar a ler um livro até ao fim até às 4:00 da manhã mesmo que fosse trabalhar a seguir; de falar alto quando faço amor; de ver o nascer do sol no Lux; de fumar; de achar que um dia era mesmo só um dia de cada vez.”

11. “Tenho saudades de ter tardes de sábado de pijama a ver séries sem fim. Saudades de dormir noites inteiras. Saudades de algum egocentrismo. Saudades de ter tempo para ler muitas páginas de seguida. Saudades de sair à noite até tarde. Saudades de pensar que a vida era mais fácil…”

12. “De que temos saudades do tempo em não éramos mães?  Tenho saudades de sentir a liberdade de que as minhas decisões, das mais pequenas às maiores apenas têm influência direta na minha vida. Apenas isso.”

13. “Tenho saudades de não atender telefones que desconheço o número. Depois de ser mãe cada número estranho que aparece fico com o coração na boca — como hoje que atendi um a dizer que a minha mais crescida caiu das escadas e torceu o pé. Aqui estou nas urgências.”

14. “De chegar à sexta depois de uma semana de trabalho daquelas e ir jantar com amigos até o sol nascer. De sentir que ‘tenho todo o tempo do mundo’ e que 24h dão para tudo e ainda sobra. De comprar coisas para mim sem sentimento de culpa. De não ter de comer às escondidas coisas boas para não quebrar as regras da alimentação saudável.”

15. “Comer uma simples refeição sentada e com descanso.”

16. “De poder chegar a casa e não fazer nada. Do silêncio.”

17. “Tenho saudades de ir para a praia só com uma mochilinha, com o livro toalha, protector e garrafa de água.  Agora, agora é um martírio: é brinquedos, é comida, é muda de roupa, é pranchas é guarda sol é um sem fim de coisas que me custa à brava levar.”

18. “Tenho saudades de me sentir totalmente livre, porque agora esteja eu onde estiver sei que tenho sempre dois pedaços de mim soltos por aí.”

19. “Sinto falta de ter energia, de ter paciencia, de dormir e acordar à hora que quiser, do silêncio, de passear sozinha,namorar em paz.”

20.”Viajar para longe e aventurar-me sem receios ou saudades das crias que que nos esperam…”

De que temos saudades do tempo em não éramos mães?

 

Foto: Lia Rodrigues

Comentários (22)

  • […] Há muitas coisas de adulta que nunca fiz sem ser mãe. O Gonçalo nasceu quando eu tinha 24 anos. … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Catarina,

    Obrigada por esta partilha, emocionou-me ler os comentários. Também eu sinto falta de tantas dessas coisas. Estar sempre alerta cansa muito.
    Um beijinho

    Responder
  • Também me emocionei ao ler os comentários. Tenho dois e cheia de vontade de avançar para o terceiro. E mesmo assim tenho saudades de tanta coisa. Como somos incríveis enquanto seres humanos… obrigada uma vez mais.
    Nota: e as mães de filhos adultos do que têm saudades dos seus pequenos? (ideia de post para que as que somos mães há pouco tempo, olhemos para os nossos, gratas de ainda viver esses momentos!) espero não ter sido muito confusa.

    Responder
    • e as mães de filhos adultos do que têm saudades dos seus pequenos? exceente ideia tambem voto nesse post

      Responder
    • Excelente ideia Andreia, tenho filhos adultos (38/33). Era tão bom quando eram pequenos e eu achava que tinha preocupações (quando estavam doentes etc…), agora sim, sei dar valor ao termo que sempre ouvi “filhos criados trabalhos/preocupações dobrados”. Abraço enorme Catarina.

      Responder
  • Olá Catarina!
    Esperei bastante tempo para ser mãe precisamente porque achava que depois ia ter saudades da despreocupação e do desapego, na verdade tinha medo da responsabilidade. Agora com um fofinho de quase 1 ano posso dizer que o que tenho mesmo saudades é de dormir muito e descansada!
    Beijinhos

    Responder
  • É emocionante ler tantos comentários e rever-me neles. . . 🙂
    Fui mãe aos 19 anos. Hoje sou mãe de uma adolescente de 15 anos.
    Não estar em constante “Alerta”! Sem duvida que também é do que sinto mais saudades. 🙂 :*

    Responder
  • No fundo apenas uma verdade. Ou tudo condensado na mesma realidade
    Saudades da falta de responsabilidade. Fado de todas e de todos.
    É a essência da vida, é o tributo a pagar à existência.
    Todos! Todas sem excepção nascemos para servir os outros.
    Fomos servidos e agora servimos quem outros servirão

    Responder
  • Às vezes sinto muitas saudades de mim… da minha dança e de passar horas dentro de agua a surfar sem contra relógio, tantas tantas saudades! desses momentos restam-me as memorias e os bocados em que os volto a viver na minha cabeça quando fecho os olhos.

    Responder
  • Da falta da irresponsabilidade, melhor dizendo.

    Responder
  • Uau… também me vieram as lágrimas aos olhos por este top 10… emocionar-me no fundo pk me revejo neles… saudades de não ter “ninguém” que dependa de mim e do meu lado mais brincalhão pois sinto que estou sempre preocupada e leva-me a ser mais séria… saudades de não estar “cansada”, saudades de “férias” e saudades de poder fazer escolhas na minha vida que não fossem afectar outras pessoas. Mas não trocava a minha filha por nada disto.

    Responder
  • Meu Deus, agora senti-me menos egoísta por ter os sentimentos que vejo escritos mas que não digo em voz alta para não me sentir pior ainda por os ter.
    Tenho tantas saudades de mim…. de mim…
    Sinto-me tão egoista por isso
    Beijinhos a todas

    Responder
  • Este post também mostra muitas daquelas que são as minhas saudades de antes de ser mãe. E estou ali na lista do Instagram… Continuo a bater em mim própria por não voltar a correr todos os dias!

    Responder
  • Saudades de fazer uma grande viagem!!! E saudades de nao ter tanta responsabilidade.. O amor pelos filhos e tão grande, que ate dói!

    Responder
  • Sabes do que tenho saudades? De conseguir ir à casa de banho sozinha. Eu bem tento, mas a criança vem sempre atrás. E, se por acaso vou sem ela e tranco a porta, fica do lado de fora a bater na porta e a chamar por mim. Oh vida boa. lol

    Responder
  • A Catarina disse logo no principio o que mais tenho saudades, “…tenho saudades de não ter medo de morrer.” Embora seja saudável tenho um medo enorme de morrer e ele não estarem “criados”, se é que algum dia estarão, mas é do que mais tenho saudades, de não ter medo de morrer.

    Responder
  • A eterna saudade de mim!!! Às vezes , tantas vezes, acho que sou má por pensar sequer nisso, agora com menos culpa, é de mim que tenho saudades, da liberdade de ser eu!

    Responder
  • Eu também sinto saudades… Tenho muitas saudades do meu marido! Tenho saudades de estar só com ele, deitados no sofá a ver séries, de jogar Scrabble pela noite dentro, de ficar a manhã na cama a preguiçar e a fazer amor… Sinto muitas saudades nossas! E sei que ele também sente saudades minhas porque inevitável já não sou a mesma… Amo muito a nossa família e somos muito felizes… Mas sinto saudades de quando era só eu e ele!

    Responder
  • Tenho saudades de sair do trabalho sem pensar em nada, apenas no sofá à minha espera, saudades do silêncio, e de estar sossegada no meu canto…que delícia

    Responder
  • Hoje a noite não foi fácil e eu cheguei mesmo a dizer “que saudades de dormir uma noite inteira” Ahah… tirando isso, ainda é muito cedo para eu ter saudades! :)Mummys power! :b

    Ummaisum-tres.blogspot.pt

    Responder
  • Mãe de um “pikeno” de 18 anos … saudades… saudades de o ver dormir e ver o sorriso dele enquanto sonhava, saudades de o ouvir e ver rir como se o amanhã não existisse. Saudades do dia em que o vi pela primeira vez.
    Saudades antes? De viver somente cada segundo de cada vez, sem pensar no amanhã.
    Não posso dizer que tenha saudades de muito mais coisas pois como estávamos os 3 sozinhos (pai, mãe e filho) desde sempre que tentamos inclui-lo em tudo o que fazíamos, posso dizer que o primeiro concerto que fomos os 3 o meu filho tinha 4 anos, foi Xutos e Pontapés (acústico).
    Tenho mais saudades de tudo o que fizemos até hoje em conjunto do que propriamente aquilo que fazia antes dele nascer.
    Mas revejo-me um pouco em todos os comentários que li.
    Saudades tenho daquilo que não vou conseguir fazer 😊

    Responder
  • […] Custa ser adulta. E do que que temos saudades do tempo em não éramos mães? […]

    Responder

Escrever um comentário