Dieta das Princesas

couves de bruxelas ao pequeno-almoço?

couves de bruxelas ao pequeno-almoço?

o desafio sugerido no grupo começou ontem. eu estive desde sexta-feira a praticar e fiquei mesmo muito feliz com a sensação de saciedade que tive. aliás a sensação foi mesmo de ficar a abarrotar o que, para mim, numa primeira fase, depois de muitos dias a precisar de comer sem parar, é bom porque afasta completamente os pensamentos sobre comida.

na alimentação [como no exercício físico] é preciso perceber que não existem verdades absolutas. existem factos. com essa informação base temos que ir procurando a fórmula que resulta connosco. e esta solução não é para sempre. a vida muda, os nossos horários mudam, as exigências mudam, o corpo muda. aquilo que funciona para mim – em termos práticos [o que como, quando como, que desporto faço] não funciona para todas as pessoas.

há dois anos quando perdi mais de 15 quilos encontrei um equilíbrio. hoje esse ponto tão desejável como difícil mudou.

os últimos três dias trouxeram uma serenidade em relação à comida que tinha perdido nos últimos tempos. sinto-me saciada, serena, com força física e lucidez mental.

a minha sugestão não é que sigam nenhum plano em específico, é que encontrem o vosso equilíbrio saudável.

 

ficam mais umas fotos das refeições. prato cheio com aquilo que mais gosto: abóbora hokaido, batata doce, romãs, couves de todas as variedade, manteiga de caju… a base é juntar: proteína, hidratos complexos, legumes, gorduras boas e a fruta quando precisamos do doce.

2015-11-23 10.40.55-2

barriga cheia. e nada de fome.

vou dando novidades da minha experiência.

 

mais logo outro artigo da psicóloga Filipa Silva Jardim.

 

 

 

 

 

Comentários (2)

  • Não sou fã
    Mark Margo
    http://www.markmargo.net (site cor de rosa com noticias de famosas e cinema)

    Responder
  • […] de emagrecer] tivesse outro nome qualquer. parece sempre uma coisa fundamentalista e não é. é, como dizia no outro dia, tentar comer de forma saudável e saciante. mais importante ainda: estarmos nutridos, equilibrados […]

    Responder

Escrever um comentário