Relações

Violação é crime. E a culpa nunca é da vítima.

Violação é crime

Dormi mal e acordei muito mal disposta. Ontem à noite vi a reportagem da SIC – podem ver nest link https://sicnoticias.sapo.pt/programas/reportagemsic/2019-01-27-Crime-Silencio-e-Preconceito – e tive muita vergonha da justiça neste país. Como é que a lei pode privilegiar um agressor e ignorar a vítima?! Violação é crime. Violação é crime grave. Como podemos encarar isto como um delito menor com penas suspensas?

Pior! Como podemos tratar uma mulher que acabou de ser violada como “a doida que estava a pedi-las e agora está armada em maricas a chorar”? Aquela miúda a descrever como foi tratada no hospital é tão nojento? Quem a violou é um criminoso (condenado a uma pena inferior a cinco anos e que sai em liberdade) e quem a trata como uma criminosa depois de ter sido violada? É o quê??? Quem pode dizer a uma mulher que acabou de ser violada que deve parar de chorar???

É óbvio que uma mulher violada é tratada desta forma porque o preconceito leva alguém a acreditar que teve responsabilidade naquele acto que lhe destruiu a vida. A culpa de uma agressão nunca é da vítima. 

Uma mulher pode estar na rua sozinha. Uma mulher veste-se como quiser. Uma mulher bebe o álcool que quiser (não estou a falar de saúde), toma as drogas que quiser (mesmo que eu seja contra todas elas). Uma mulher comporta-se como quiser e nunca, repito nunca, está a pedir para ser abusada. Nunca! Violação é crime. Não tem desculpa nem atenuantes.

Sou mulher. Tenho uma filha mulher. Sei que a violência sexual também acontece nos homens mas escrevo como mulher. Já escrevi isto e repito. Existe sempre uma atenuante para estes homens, eles não sentiram uma vontade incontrolável nem sequer inventaram um crime. A industria pornográfica continua a ser a imagem das mentalidades, mas também as estimula. Pesquisem. Não existem filmes em que várias mulheres estão a “usar” um homem, não existem filmes em que as mulheres abusam dos homens (com a exceção do sadomasoquismo, em que a mulher abusa porque o homem pagou, ou pediu explicitamente para isso — gostos são gostos). Nos filmes, o sexo é agressivo para as mulheres que estão sempre em posição de submissão.

E aquilo que me dá nojo, que me deixa com vontade de vomitar é que esta mentalidade atravessa a sociedade e chega a outras mulheres – as primeiras a condenar, a apontar o dedo, a dizer que a vítima teve culpa, “é homem”, “ela provocou”. E esta mentalidade chega aos médicos, aos polícias, a todos os que deviam amparar quem acabou de passar por acto horrendo.

Existirão sempre loucos, criminosos capazes do pior. Então, o que podemos fazer? Podemos educar para o respeito pelo corpo e pela identidade de cada um. Podemos educar para a igualdade. Podemos parar de inventar desculpas.

Violação é crime. Não tem desculpa nem atenuantes.

Comentários (9)

  • Esse pensamento mete-me nojo!
    Não consigo perceber como é que em pleno século XXI a culpa ainda é da vitima…

    Responder
  • Fiquei chocada com a reportagem. Sou mulher tenho duas filhas e sinto uma revolta imensa quando vejo uma miúda como a que falou na reportagem sem brilho nos olhos, com medo, porque um tarado resolveu fazer o que lhe apetecia. E a lei Desculpabilizar isso…… Isso é que nos devia fazer uma petição uma manifestação, algo que obrigasse os srs deputados a pensar…. ‘e se fosse com a minha filha?’

    Responder
  • […] Pior! Como podemos tratar uma mulher que acabou de ser violada como “a doida que estava a pedi-las e agora está armada em maricas a chorar”? Aquela miúda a descrever como foi tratada no hospital é tão nojento? Quem … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Catarina, tens toda a razão!!! Culpabilizar uma vítima de violação é inadmissível, é nojento.Também sou mãe de rapaz e rapariga e o meu desafio é educar para a igualdade. Fala-se tanto de feminismo, mas eu acho que estamos a retroceder, noto cada vez mais machismo.
    Vi esta reportagem com grande tristeza e indignação…

    Responder
  • Subscrevo cada palavra sua!

    Responder
  • É isso mesmo Catarina,as mulheres são as primeiras a criticarem-se.Aliás quem estava lá sentada a comentar?! era uma mulher,uma meritíssima juíza!!Tenho medo da justiça portuguesa, ninguém está livre de ser sentenciado por estes senhores/senhoras.É urgente, combater estes estereótipos,esta mentalidade retrógrada.Mas,continuamos muito fechados,parece que temos medo de falar sobre o que continua mal neste País.

    Responder
  • Mas em que mundo é que vivemos! Finalmente parece que nós somos o terceiro mundo e a justiça que construímos está contra as vítimas. Isto é muito triste mete dó e nojo. Damos um passo em frente e dois para trás. Ainda há tanto para fazer. Haja força para nunca desistir.

    Responder
  • Mudam-se os tempos, permanecem as vontades.

    Responder
  • […] Dia importantíssimo. Este dia serve para sinalizar e reforçar a importância da luta pelos direitos das mulheres. E sim, ainda não são os mesmo que os homens. Percebe-se nos salários, na forma como são geridas as logísticas domésticas. E em assuntos da máxima gravidade como os números da violência doméstica ou a postura da justiça perante a violação. […]

    Responder

Escrever um comentário