Relações

Podemos amar um homem que não ouve a mesma canção?

Rock dos anos 70 para abanar a cabeça. Anjos, brasileiradas Tony Carreira. Dividem-se assim os gostos cá por casa. De um lado está o Pedro. Do outro estou eu. Que impacto tem na vida amar um homem que não houve as mesma canção?

É disso que falamos no novo episódio de consultório sentimental. Acreditem. Se no início nos faz desconfiar, e sentir uma ligeira comichão, no decorrer da relação acaba por nos dar espaço. Sim, gostos diferentes podem ser compatíveis. Podem comprovar neste vídeo. Para que não restem dúvidas, pedi ao Pedro para comentar (ou gozar) as minhas canções. E se nos amamos? Infinitamente.

Dêem oportunidades aos candidatos que ouvem uma canção diferente. Já agora, subscrevam o canal e enviem mais sugestões de temas para os vídeos.

 

Revejam o vídeo em que falo sobre pais solteiros namorarem.

 

Para a semana há mais!

 

Comentários (4)

  • […] É disso que falamos no novo episódio de consultório sentimental. Acreditem. Se no início nos faz desconfiar, e sentir uma ligeira comichão, no decorrer da relação acaba por nos dar espaço. Sim, gostos diferentes podem ser compatíveis. Podem comprovar neste vídeo. Para que não restem dúvidas, pedi ao Pedro para comentar (ou gozar) as minhas canções. E se … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Por acaso tenho a experiência oposta o que mais uma vez demonstra que somos todos diferentes e não há regras nisto dos relacionamentos (muita força para o Pedro :D).
    Por aqui temos mesmo que ouvir uma boa parte das mesmas canções. Não precisam de ser todas, claro que não. O meu namorado gosta de jogos, gosta de carne, eu gosto de costurar e prefiro comida vegetariana. Eu sou extremamente tagarela e ansiosa e ele é a calma em pessoa, é raro vê-lo nervoso (se vi duas vezes foi muito). Mas, em geral, gostamos da mesma música, gostamos do mesmo tipo de filmes(com exceções, claro), gostamos de viajar e de passar o tempo de formas semelhantes. Acho isso importante mas gosto ainda mais quando ele me mostra coisas que não conheço e passo a gostar e vice versa, por isso não creio que venha a ser monótono isto de termos gostos semelhantes. É uma outra forma de ver as coisas. 🙂
    De qualquer forma acredito muito que as relações podem funcionar perfeitamente quando não “ouvem a mesma canção” porque o que interessa mesmo que exista em comum é o amor e os valores base que estão relacionados com o carácter. O resto são mais ou menos detalhes.

    http://www.vinilepurpurina.com

    Responder
  • […] viram o vídeo sobre amar um homem que não ouve a mesma canção? E subscrevam o […]

    Responder
  • Catarina, não imaginas como está publicação veio de encontro aos meus últimos pensamentos e dúvidas. Estou numa relação em que somos bastante diferentes um do outro e o gosto musical é apenas uma pequena amostra. Já me questionei: como será no futuro contornar todas estas diferenças? Muitas vezes me recordei da música do Rui Veloso “não se ama alguém que não ouve a mesma canção”. Será que alguma vez iremos assistir a um concerto juntos tendo gostos tão díspares? Ter a pessoa que gostamos a nosso lado a assistir à nossa banda favorita é um momento único e especial! Não sei se alguma vez isso será possível. Ficarei na expectativa.
    Beijinhos e continuação de um excelente trabalho! 😘

    Responder

Escrever um comentário