O Meu Diário

Como ser feliz todos os dias? Guardar, para sempre, o dia de ontem

Como Ser Feliz Todos os Dias

Estava muito nervosa.  Talvez nunca me tivesse sentido tão nervosa. Nisso os livros são mesmo como os filhos. No primeiro não sabemos ao que vamos, depois estamos mais conscientes das dores e das responsabilidades. Mas, assim como os filhos, depois do parto, há outra calma para usufruir.

Acho sempre que a sala vai estar vazia. E ontem até brinquei que, por isso, tinha escolhido um espaço mais pequeno. E ontem, enquanto falava, desejei que o espaço fosse muito maior para poder olhar para todas as pessoas que já sem espaço acabaram por ficar nas escadas.

Não há aqui falsas modéstias, nem aquele exercício infantil de dizer mal de nós para que nos digam o contrário. Fico sempre absolutamente surpreendida com a quantidade de carinho que recebo. É um dia importante, é um dia em que nos sentimos mais frágeis e ter ali todas aquelas pessoas é avassalador. Digo, sem falsas modéstias ou “fishing for compliments” que não mereço o tanto que me dão. Mas se o recebo quero retribuir, quero agradecer, e quero repetir o quanto isso me ajuda no exercício de ser feliz todos os dias.

Tenho tendência para fechar a cara. Tenho tendência para aquele existêncialismo meio negro que nos faz agarrar mais a saudade do que a vontade do futuro. Este livro, amarelo como um enorme post it, é a partilha dos meus lembretes diários para nunca esquecer como ser feliz todos os dias.

E ontem, aquele gigantesco “melhor do meu dia”, faz parte das memórias que guardarei para aconchegar o coração nos dias em que o exercício de ser feliz é mais duro.

 

Obrigada à Matéria Prima por me ter acolhido e escolhido neste desafio.

Obrigada à Mariana Alvim pela apresentação. Sou uma mulher tão real que lá tive que ser a Catarina de mama de fora porque a Maria Luiza estava assustada com tanta gente.

Obrigada a todas as pessoas que estiverem presentes. E à minha “claque” que está sempre comigo.

Obrigada por me oferecerem este sorriso enorme (o visível e não visível). Talvez não tenham noção de como são importantes na minha vida.

 

 

 

Agora, espero por vocês no Porto. Para conversarmos sobre como ser feliz todos os dias.

Comentários (8)

  • […] Não há aqui falsas modéstias, … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Catarina,
    Foi muito bonito mesmo.
    Ainda bem que nos deste a oportunidade de usufruir cada palavra deste novo filho. É gigantesca a tua generosidade para nós, sem te dares conta dás tanto . É mereces o retorno.
    Falando em cansaço e mamas, a família linda que tens exige de ti, cada um ao seu jeito e por isso eu acho mesmo bonito dedicares uma obra tão cheia de coisas boas a este universo que precisa de mais dias felizes e reais.
    Ontem gostei tanto de te ver emocionalmente feliz. Mereces.
    Desculpa, fica sempre tudo por dizer.
    Gosto muito de ti, obrigada pelos gestos e palavras, sou tão melga e tu tao querida!
    Carolina Melo

    Responder
  • Catarinaaaaaa! Coloquei o meu livro na mala bem cedo ontem de manhã com uma vontade imensa de estar presente.
    Infelizmente o trabalho não me permitiu.
    Ainda assim confesso li meia dúzia de páginas e logo na primeira conseguiste me fazer ver-te lágrimas. (Não sou muito de paneleirisses mas a verdade é que chorei).
    É muito bom ler-te. Um beijinho enormeeee! 💛

    Responder
  • Verter*

    Responder
  • Vamos ver…ainda compro este novo filho, afinal foi por ler o “dieta das princesas” que interiorizei que nunca tinha sido gorda e que já era tempo de voltar a mim e as minhas duas lindas filhotas não podiam ser a desculpa ( engordei 23 kg em cada gravidez), vamos ver, afinal também quero e preciso ser feliz todos os dias e aqui também por elas.

    Responder
  • […] grande orgulho. Digo-o sem vergonha. É o quinto livro. E é um resumo de tudo aquilo que, com um esforço imenso, fui aprendendo ao longo destes anos, […]

    Responder
  • […] não assim todos os dias. Mas faço esse esforço todos os dias. E nunca me esqueço de agradecer o que tenho (mesmo que seja a última coisa que faço antes de […]

    Responder
  • […] abandonam-se. Deixam de ser amantes. Há palavras que não são permitidas aos amantes: “Para sempre” é uma […]

    Responder

Escrever um comentário