Maternidade

5 dicas para aguentar os miúdos nas férias do Natal

férias de natal

Não há aulas. Os miúdos estão de férias. Há um misto de emoções entre a vontade de estar com os miúdos sem a logística do dia a dia e a realidades dos factos. Primeiro nem todos os pais têm férias quando os miúdos não têm escola. Segundo, muitas horas seguidos com crianças exigem gestão e criatividade. Ou arriscamo-nos a ver o lado negro da força.

Para os pais que trabalham fora de casa, a solução imediata passa por deixá-los com os avós, tios ou em atividades da escola [que é logo a primeira dica]. Mas, até para os fins de semana e feriados,  ficam 5 dicas práticas para passar pelas férias de Natal com o menor sofrimento possível – e aproveitar da melhor forma o tempo com a família.

 

1. Escola

Regra número um: para os miúdos que já andam na escola, é deixá-los lá sempre que estiver aberta nas férias. Toda a gente ganha: nós, pais, saúde e tempo para as nossas tarefas e eles, crianças cheias de energia, brincam com miúdos da idade deles, cansam-se, divertem-se e escusam de estar fechados o dia todo em casa. Por cá fazemos um 50/50. O Afonso faz um 50/50, vai os primeiros dias à escola e depois fica em casa (aproveitar para ir ver o pai e matar saudades das avós).

 

2. Dormir
Dormimos muito! Acordamos o mais tarde possível – o que não significa que seja, de facto, tarde, mas é mais do que o normal. Assim, há menos dia pela frente e aquele que há é vivido com mais boa disposição, paciência e energia. Eu confesso que não ter a pressão do despertador é a minha definição de férias.

 

3. Almoçamos fora

Almoçar fora corta imenso o dia. É assim uma espécie de break, em que todos apanhamos ar e o mais provavel é ainda fazermos mais coisas a seguir. Não estamos fechados em casa, escuso de cozinhar e tratar da loiça e a casa desarruma-se menos. Nesta altura do Inverno. Também podem fazer um super piquenique na sala e mandam vir do Uber Eats. 

 

4. Filmes (em casa ou no cinema)

Um ótimo programa, para os entreter ou para usufruir em família. No Natal, as grelhas de televisão têm em conta as férias dos miúdos. Nos dias em que isto não acontece, sempre há Netflix [tem imensas opções para crianças], a possibilidade de andar para trás ou alugar filmes na box. São 1h30 ou 2h passadas em sossego, paz e harmonia. E há o meu programa preferido: ir ao cinema. Vão ao Alegro, comprem o Bounce + Cinema, para eles inesquecível e para nós conta como treino.

 

5. Tirar proveito da época

Cá em casa andámos em arrumações profundas. Eu não dou prendas. como já expliquei. Mas sei que há quem dê e sei que há quem queira dar e não possa. Escolhemos aquilo que podíamos oferecer, fizemos embrulhos e levámos a outras famílias.
Outra ideia gira é pôr os miúdos a personalizar os embrulhos, com recortes, colagens, desenhos com canetas, lápis de cera, de carvão ou ate mesmo aguarelas. Enfim, criar assim uma espécie de oficina das artes em que eles se entretêm, estimulam a criatividade e umas tantas outras capacidades importantes.

 

E agora, 6 motivos que não estão a deixar os miúdos dormir a sesta.

Comentários (5)

  • Dicas excelentes mas a da escola, eles ja passam tanto tempo la que acho que se os pais puderem fazer um esforço era bom passar em casa, e lembro-me q as ferias de Natal passavam tao rapido que num instante estava a voltar a escola 🙂
    Bjinhosss

    Responder
  • […] Para os pais que trabalham fora de casa, a solução imediata passa por deixá-los com os avós, tios ou em atividades da escola [que é logo a primeira dica]. Mas, até para os fins de semana … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Concordo com tudo excluindo o ir para a escola, mesmo estando aberta (deve estar para os pais que não têm férias e não para aqueles que as têm) e com o almoçar fora todos os dias. Acredito que existem muitas pessoas que não podem fazer isso… Podem sempre fazer o almoço com os filhos, ou simplesmente fazer mais comida ao jantar de forma a poderem descontrair com o almoço do dia seguinte, uma vez que está orientado! Ou pegar numas sandes e ir almoçar dentro do carro a ver o mar, sei lá…
    Beijinhos Catarina!

    Responder
  • Concordo plenamente, mais escola não, já chega , dia 3 ou dia 4 sim já é obrigatório.
    Já me basta o facto de a minha filha levantar todos os dias às 8h para ir ao Centro de Estudos fazer TPCS e estudar pois tem necessidades acrescidas, à tarde o Centro tem actividades lúdicas e ela fica feliz, contudo há dias em que falta para fazermos actividades a duas ou mais quando vamos com amigas minhas ou dela.

    Responder
  • Por acaso, ao contrário de muitas pessoas (e entendo-as perfeitamente) concordo com a questão da escola. Eu deixo as miúdas na escola, às vezes, mesmo quando eu e o meu namorado estamos de férias.
    Não o fazemos os dias todos, a maior parte das vezes é só um dia ou dois mas já o fiz para poder fazer compras e também para poder ir almoçar fora ou simplesmente passear um pouco.
    Por aqui somos só nós a maior parte do tempo e, se não for assim, nunca temos uma folga. Acho muito benéfico para pais e filhos que possa existir um tempo só para os pais. E eu nem estou a falar de uma vez por mês. Se calhar faço isso uma vez a cada 3 meses ou menos. Mas, para quem não tem com quem deixar os filhos, poder deixar na escola em dias de férias ou de escola é importante.
    Todos os dias temos tempo de brincadeira com as nossas filhas, em que estamos completamente dedicados a elas sem ser a dar banho, ou comida ou a fazer qualquer outra coisa rotineira. Por isso não sentimos tanta falta dos dias de férias para podermos estar com elas mais sossegadamente. Sinto que, felizmente, vamos conseguindo ter isso todos os dias.

    http://www.vinilepurpurina.com

    Responder

Escrever um comentário