Relações

A intimidade depois dos filhos

intimidade depois dos filhos

A intimidade depois dos filhos. Este é um dos temas sobre o qual recebo mais mensagens no Instagram. A grande maioria são lamentos, desabafos e pedidos de ajuda. Onde há espaço? Tempo? Onde fica a intimidade depois das noites mal dormidas, dos miúdos que demoram a adormecer, nas camas partilhadas, assaltadas a meio da noite ou pela manhã? O que é possível depois de um dia de trabalho? Ou antes do despertador que toca sempre cedo demais? O que fazer quando, na verdade, nem há vontade?

Antes de tudo entendam as limitações da minha legitimidade para falar do assunto. Sou casada há apenas quatro anos, ainda que nunca casa cheia e a full time que fazem a coisa valer por 16. Acredito que o sexo é sobrevalorizado nas relações. Da mesma forma que acredito que a intimidade do casal é desvalorizada. Fiz-me entender?

Crescemos a acreditar que tudo acontece em formato divino. Amamos para sempre porque sim, basta amor. Desejamos para sempre porque sim, basta existir desejo. Tudo mentira. O amor e o desejo trabalham-se e, pior, dão imenso trabalho.

Uma grande amiga, junta com o namorado que conheceu com 16 anos, dizia uma frase que guardei para sempre: só custa contrariar a preguiça, depois é tão bom. Assim, com esta regra, resolvemos algumas questões.

Mas, tempo? Procurem aquele bocadinho, podem adiar o ginásio (faz melhor ainda), podem fugir uma hora de almoço, procurarem-se a meio da noite. Inventem. Ponham na agenda como diria a sexóloga Marta Coutim. Troquem mensagens mesmo que depois não consigam concretizar nada.

E o mais difícil? A falta de vontade pela ausência de prazer. Conheçam o vosso corpo, percebam o vos dá prazer. Peçam ajuda, falem com a vossa médica, marquem uma consulta especializada. Conversem com o vosso homem (mulher).

Repito, antes de tudo conheçam-se. A masturbação acorda o corpo e dá-vos dicas importantes. Percam os medos e as vergonhas. Façam o lista do que mais gostam e deixem que o vosso homem (mulher) leia.

Assim, em jeito de conclusão, agora mesmo mandem uma mensagem a falar sobre desejo. E logo, troquem um daqueles mais demorados. É como a minha amiga dizia, só custa contrariar a preguiça, depois é tão bom.

 

E, agora, sobre o sexo no pós-parto, neste post.

Comentários (3)

  • Para grandes males grandes remédios. Tudo se resolve a contento, não de todos mas das partes interessadas, isto é; do casal.
    Vaselina! Ora aí está, vaselina! Montes, carradas, contentores dela. Toda (vaselina) aplicada na maçaneta da porta e vai ver como até os pestinhas mais aplicados acabam por desistir.

    Responder
  • […] casais que fazem co-sleeping isso pode parecer um desafio ainda maior. A Catarina Beato também falou sobre isto aqui e sobre como, mesmo dormindo com os filhos, é possível não perder a intimidade como […]

    Responder
  • […] ao assunto da intimidade nas relações estáveis. Na foto, a tentativa de uma fuga em casal que acabou com Maria Luiza no […]

    Responder

Escrever um comentário