Filhos-da-mamã

11

A Ana escreu sobre os meninos-da-mamã. Eu, mãe de um menino-da-mamã me confesso.
Eu visto o meu filho-de-olhos-fechados quando ele tem muito sono. Eu preparo-lhe a comida que ele mais gosta mesmo que me dê imenso trabalho. Eu descasco-lhe a fruta. Até descasco tangerinas e laranjas contra todos os meus princípios de vida. Eu trago-o ao colo quando ele adormece no carro mesmo vivendo num prédio sem elevador. Eu vou buscar copos de água e bolachas. E mais qualquer coisa que ele se lembre. Eu encho-lhe a banheira para banhos demorados. E [pior] limpo-lhe o rabo.
Eu sou mãe de um menino-da-mamã. Vou fazer-lhe a comida preferida até ao fim da vida, ter o frigorífico cheio de coisas que ele adora para quando aparecer lá em casa. Vou fazer tudo o que ele me pedir e for possível de fazer. Vou coser-lhe as bainhas se ele pedir e eu puder. Vou descascar-lhe tangerinas e até uvas quando ele tiver 50 anos desde que a graduação dos óculos e a tremura das mãos me permita. [Espero deixar de lhe limpar o rabo.]
E nesta coisa das mães-sozinhas é natural que o G. veja apenas a mulher [mãe] a cozinhar, a tratar da roupa, a limpar o chão…
Mas, mesmo assim, quero que o meu filho-da-mamã saia de casa [desde que me diga a morada], vá estudar para fora [prometo mandar a marmita], seja um gajo independente [mesmo sabendo que me tem sempre aqui], que respeite as mulheres, os homens, os animais e tudo o resto e [até] quero que encontre o grande amor da vida dele [e que saiba, aconteça o que acontecer, que é o grande amor da vida da mamã].

[Ana, eu entendo o teu post e juro, juro mesmo, que tentarei ser a melhor sogra do mundo!]

11 Comentários
  1. Miguel Barroso says

    Quem tem uma mãe assim é um sortudo, como eu o sou(não me limpa é o rabo)

    Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

    PS – Grande mãe, grande mãe. ele há-de ler o post…

  2. Ana C. says

    Lady, não sei se me entendeste muito bem. Eu sou apologista do mimo até doer. Tanto para meninos, como para meninas, muito colinho sempre. Adoro os teus posts ternurentos acerca da tua cria e jamais faria a apologia de endurecer uma criança com baldes de água fria e tratá-la como um macho logo desde a nascença. O que eu critico é as mães que não deixam as crias/rapazes voar e que as mantêm mesmo após os 30 debaixo de uma asa sufocante. As mães que não lhes ensinam a sobreviver sem elas, entendes? Que mantêm os filhos numa espécie de prisão emocional/dependente. Vou-te dar o meu exemplo chave, no qual baseei o meu post. Cristiano Ronaldo e sua mãe. Acho que resume tudo aquilo que quis transmitir acerca da mãe tipicamente portuguesa.
    Nunca deixes de mimar o teu menino, mas quando chegar a altura de ele voar, ensina-o a voar sem ti, porque pode ser preciso. Às vezes a maior prova de amor é saber recuar quando já não somos necessárias e avançar apenas quando somos.
    Bjs

  3. Dias de uma princesa says

    Ana, eu disse-te que te entendi.
    O problema é que é difícil não ser um bocadinho como a mãe do Cristiano. Babada e ridíciula…

  4. Ana C. says

    Ok, sendo assim não tens cura 😉

  5. Dias de uma princesa says

    Mas eu sou gaja, por isso comprometo-me a ser uma boa sogra!

  6. Soinico says

    eu tenho 27 e o meu pai ainda me corta laranjas (porque sempre achei que não tenho jeito), quando acabo de comer ele pergunta-me se quero que me descasque uma maçã, bebo chá todos os dias e assim que ele captou o processo começou a fazê-lo sem que pedisse… a minha mãe lava-me e passa-me a roupa… 🙂 somos três e todos fomos mimados! embora haja coisas que eles não me façam, admito que tenho muita sorte. *

  7. Peregrina says

    Que ternura!

  8. mir says

    até agora ainda só tinha pensado em quão pirosa seria se fosse uma filha, mas esta perspectiva não é menos assustadora!

    é que até podia pensar que sou demasiado preguiçosa, mas se tu “caíste”…onde é que encontro umas solas de borracha (com pitons)?

  9. Rute Soares says

    Pelo que tenho observado no último milénio, coitadas das mães de meninos que um dia serão sogras e que já levam um estereótipo preocupante desde que se tornaram mães desses rapazes. Abençoada a minha sogra que é tanto quanto uma mãe para mim e que para surpresa de todos, vá-se lá imaginar porquê, apanhou as meias do filho do chão até ele sair de casa dela e levantou-se às 5 da manhã para lhe preparar o almoço. Que raio de mãe esta… que em vez de mãe tem de pensar que um dia vai ser sogra e nem se preocupou em preparar o filho para a sua mulher. E que pouca sorte a minha que sou só uma mãe de um filho e ainda por cima menino e que também eu ainda lhe limpo o rabo porque não tive o desplante de me preocupar com a sua futura mulher. Esperem lá… e se para ser diferente…
    – Mães de meninas que um dia serão noras de mães fantásticas que “perderam” os amores da sua vida. Eduquem-nas para serem mais sensíveis e gostarem das suas sogras, que não passam de mães incompreendidas e que no fundo só não os querem perder! Grandes mães essas, grande a minha sogra, grande a minha mãe e que grande mãe sou eu.

  10. […] chegar ao final deste texto e concluir que tudo isto não passa de uma desculpa para andar a criar meninos (e menina) da mamã. Ainda que possam ter uma parte de razão e juro que acredito verdadeiramente naquilo que passo a […]

  11. […] chegar ao final deste texto e concluir que tudo isto não passa de uma desculpa para andar a criar meninos (e menina) da mamã. Ainda que possam ter uma parte de razão e juro que acredito verdadeiramente naquilo que passo a […]

Comentar

O teu endereço de email não será publicado.