Os meus livros

Dias de uma Princesa Grávida

Quando uma mulher está grávida quer ser um bocadinho médica e perceber tudo o que se passa com o seu corpo e com o bebé que cresce delas. Este livro é um diário e um guia de uma gravidez. Na verdade, é uma companhia, um diálogo nascido da amizade, da curiosidade e do amor. Catarina e Sofia eram amigas. Tinham em comum o gosto pela escrita nos blogues, em que partilhavam bocadinhos da sua vida: Dias de uma Princesa e Café, Canela & Chocolate.
A Catarina ficou grávida e pediu ajuda à Sofia, médica especialista em ginecologia e obstetrícia. Das dúvidas, certezas, angústias e rotinas nasceu um diário partilhado, semana a semana, trimestre a trimestre com histórias pessoais, conselhos e descobertas. Um diálogo entre amigas, mas também entre uma médica e uma grávida.

COMPRAR

Provo-te

Aos 14 anos acreditava que todas as histórias de amor eram como nos filmes de domingo à tarde.Demorei algum tempo a digerir a desilusão de que, na vida real, as histórias não são exactamente como nos filmes. Ou a desilusão de nunca me ter calhado uma história como essas. É mais fácil pensar que não existem histórias como nos filmes do que aceitar que nunca nos cruzámos com a nossa.Optei pela primeira hipótese.

COMPRAR

Dieta das Princesas

Este livro é o registo do processo de reencontro da autora com ela mesma. Conta-vos o que fez, o que sentiu, o que aprendeu. Partilhando convosco os seus meus medos e as suas conquistas. São 15 quilos perdidos e muitos centímetros, são as calças 44 que se transformaram em 36. Conta-vos sobre os números que perdeu mas, principalmente, sobre aquilo que ganhou. Estas páginas são sobre a mais importante história de amor, aquela de que se esquece na rotina dos dias, aquela que é mesmo para sempre: nós e o nosso corpo.

COMPRAR

Dias de uma Princesa

Sou mãe solteira. Dois rapazes. Jornalista por paixão. Freelancer por opção. Feliz por convicção. Acredito que viver com menos pode significar viver com mais. No meio das fraldas, roupa por passar, louça por lavar, banhos e trabalhos de casa. Com mimos, muitos mimos, birras e zangas. Entre contas para pagar, refeições por fazer e testes para ajudar a estudar. Enquanto ponho o mais novo a fazer a sesta e faço de taxista do mais velho há tempo para ser filha. Para os amigos que se vão tornando família. Para esquecer que já sou crescida e chorar de saudades do meu pai. Para me aninhar no sofá e aproveitar que isto de ser solteira oferece o monopólio do comando. E, algures, ter tempo para voltar a acreditar em histórias-de-amor.

COMPRAR