PubliPost

Há rotinas que criam filhos esclarecidos

Rotinas. Há hábitos diários que criam filhos esclarecidos

Um dia eles vão ter dúvidas (muitas ou algumas) e vou querer ser eu a responder sem hesitar. Um dia eles vão ter vergonhas e vou querer ser eu a desembaraçar esse novelo. Um dia vou querer resolver-lhes tudo e vão ficar ofendidos, quais adolescentes adultos. Um dia eu não vou poder fazer mais nada e, conscientemente, não me preocuparei com isso. O trabalho estará feito. Está a ser feito agora, no barco das rotinas e ao colo de conversas desmedidas. Saberão cuidar de si e dos seus, não com medo de falhar mas de não serem que chegue. O normal.

As rotinas são da família das tatuagens. Cravam-se eternamente, por muito que o tempo insista em esbater a cor. Precisam de ser bem pensadas, bem programadas e umas vão custar mais que outras.

Das nossas rotinas fazem parte as leituras, porque vinham da minha. Leio todas as noites antes do Afonso e da Maria Luiza adormecerem (fiz o mesmo com o Gonçalo e a minha mãe fez o mesmo comigo até ao dia em que saí de casa, aos 19 anos). Da nossa rotina faz parte falar de tudo. Dizer pénis (ou pilinha) e vagina (ou pipi) sem rir de mãos na boca, como se fosse asneira. E dessa abertura não surgem tabus nem medos. Surge o esclarecimento. Quero muito filhos esclarecidos – com o mundo e com eles próprios.

Enquanto crianças, gostam de saber o que vai acontecer durante o dia. Traz-lhes conforto e segurança. É preciso, no entanto, saber ser flexível na hora certa para que a rotina não se torne algo imposto e negativo. Ao criá-la, cria-se um hábito. E, segundo consta, para criar um novo hábito basta repeti-lo pelo menos 21 dias seguidos. 21 dias é nada numa vida. Principalmente no que toca a rotinas de higiene, diárias e fundamentais. A falta delas não é apenas um problema que pode interferir com a saúde – está associada diretamente à auto-estima e ao bem-estar, podendo causar nos jovens dificuldades de relacionamento entre os seus pares.

Penso nisto tudo; sempre muito e em muitas opções. É por isso que, no que toca a higiene, aplico a rotina que também veio comigo: Lactacyd Girl (embora o nome, pode ser usado em meninos pois o pH das zonas íntimas na infância é igual). Ensinar como tratar e prevenir infecções hoje, para não ser um problema depois. Esta fórmula ajuda-nos a cuidar sem preocupações. Não tem sabão, álcool e parabenos. Pelo contrário, é testado sobre controlo pediátrico.

 

Não sou ninguém para vos dizer quantas ou quais rotinas deverão ter com os vossos filhos. Mas se me permitem dar conselhos, dou-vos este que já veio comigo: continuem-na. Continuem esta rotina pelos que têm em casa. Não exige esforço algum e é uma segurança para a vida adulta. De resto, sejam só felizes. Rotineiramente.

Escrever um comentário