Vida Saudável

Vamos tirar a limpo. Sou amiga do ambiente ou não?

Amiga do ambiente. Destas 34 regras, quais é que sigo e não sigo?

No outro dia, no Instagram, publiquei uma fotografia com os miúdos à mesa em que havia uma garrafa de plástico. Em pouco tempo surgiram comentários: não devia incluir na minha rotina este material, nem promovê-lo nas redes sociais, porque ele é um dos que está a contribuir de forma absolutamente substancial para a degradação do planeta. Eu concordo com tudo — tanto que este é um tema recorrente aqui no blogue. Mas fez-me a pensar: quão amiga do ambiente sou eu?

Coincidência, deparei-me com um artigo na Visão (vão mesmo ler!) cujo título é “34 gestos amigos do planeta”. Decidi tirar a teima, numa exercício de auto-avaliação que sugiro que todos façam. É que, nesta leitura, enquanto reflectimos sobre os bons e maus hábitos que praticamos, ficamos a conhecer as melhores soluções para combatermos os tiques de quotidiano que magoam o ambiente, o planeta e — em última instância — a nós mesmos.

Do plástico, às emissões de carbono ou ao excesso de bens materiais, façam como eu e façam esta pergunta: quão amiga do ambiente sou?

Aqui estão as 34 regras e a resposta: pratico ou não pratico? Prometem que fazem também e me dizem o resultado!

 

Do plástico, à casa, aos hábitos do dia-a-dia, quão amiga do ambiente sou?

 

1. Rejeitar palhinhas e outros descartáveis, como palhetas para mexer o café ou copos e garrafas de água — optando por uma garrafa que dura mais tempo e que se vai enchendo – NEM SEMPRE

2. Usar sacos de pano para ir às compras — mas reutilizá-los o máximo de vezes possível, porque o impacto da sua produção também é grande (não tão grande face ao drama do plástico nos oceanos) – AINDA USO OS SACOS DURANTE AS COMPRAS (AQUELES DA FRUTA)

3. Comprar a granel – ÀS VEZES

4. Aderir ao movimento Julho sem Plásticos – NÃO ADERI

5. Por princípio, não imprimir nada. Se tiver mesmo de fazê-lo, usar as duas faces da folha – SEMPRE

6. Quando não for possível reutilizar mais o papel, colocá-lo no ecoponto azul – QUASE QUASE SEMPRE

7. Não usar copos de papel para o café – têm um forro de plástico quase invisível, o que significa que não podem ser reciclados – NÃO USO

8. Não embrulhar presentes ou então reutilizar o mesmo papel em várias ocasiões. A maior parte do papel de embrulho, por conter plástico, películas metalizadas, fita-cola ou glitter, não pode ser reciclado – SOU UMA CHATA, NADA DE EMBRULHOS

9. Não deixar nenhum eletrodoméstico com a luz vermelha acesa. Segundo se lê no livro 12 Pequenos Gestos para Salvar o Planeta, “até um televisor com eficiência energética, que fique em stand-by o ano inteiro, consome tanto de eletricidade quanto uma lâmpada que fique acesa um dia e meio.” – TUDO DESLIGADO

10. Depois de carregar os aparelhos eletrónicos, tirar a ficha da tomada — se assim não for, continuará a consumir eletricidade e recursos naturais usados para fabricar essa eletricidade – TENTO

11. Desligar bem a água enquanto se escovam os dentes. Uma torneira a correr representa um desperdício de seis litros por minuto – TENTO

12. Os banhos devem ser rápidos e, mesmo assim, sem a água ligada sempre que se ensaboa ou lava a cabeça – SUPER RÁPIDOS

13. Enquanto a água do banho aquece, pôr um balde debaixo da torneira. Depois, usá-la para despejar a retrete ou regar as plantas – SIM!

14. Se não tiver um autoclismo de dupla descarga, usar uma garrafa de litro e meio para ocupar espaço na cisterna, que assim puxará menos água – SIM!

15. Reduzir a quantidade de carne, mudando para uma dieta mais verde, baseada em legumes – COMEMOS POUCAS CARNE (EXCEPÇÃO PARA O PEDRO)

16. Comprar produtos locais, frescos e de época, de preferência no comércio tradicional – NÃO ME DESLOCO PARA COMPRAS

17. Não levar mais do que o necessário, nem cozinhar grandes quantidades, para travar o desperdício alimentar no final da cadeia – TENTO

18. Evite produtos processados e embalados – TEM DIAS

19. Escolher roupa sem fibras, como poliésteres. Quando é lavado, este tipo de peças larga microplásticos que acabam no mar e representam um enorme problema ambiental. Para evitá-lo, compre um saco para proteger a roupa sintética no momento da lavagem – SÓ GOSTO DE ALGODÃO

20. Encher bem o tambor da máquina, ponha a temperatura o mais baixo possível e não use máquina de secar – SEMPRE (SECO ÀS VEZES)

21. Repensar a necessidade de novas roupas na ida às compras. Caso seja necessário, espreitar uma loja ou feira de roupa em segunda mão – TENTO MESMO

22. Reutilizar a roupa que já não faz falta, transformando-a em outras peças, dando a quem mais precisa ou reciclando-a – SEMPRE

23. Sempre que possível, parar o carro e fazer o percurso a pé ou de bicicleta. Além de ajudar o planeta, faz  bem à saúde – NÃO TENHO CARRO

24. Se o trajeto for longo para caminhar ou pedalar, equacionar os transportes públicos, mais eficazes porque utilizam menos energia por pessoa – OK

25. Se o carro for inevitável, não andar a acelerar, ligue o ar condicionado apenas quando vai a maior velocidade, e retirar a tralha que lá está dentro para consumir menos combustível. Um veículo elétrico é a opção mais ecológica – OK

26. Escolher as escadas, substituindo o elevador – OK

27. Para que não acumular, não aceitar compulsivamente tudo aquilo que se atravessa nos nossos caminhos, mesmo que seja gratuito – HÁ QUEM DIGA QUE SOU ANTIPÁTICA

28. Pensar no que realmente faz falta, para reduzir o consumo. E não deitar para o lixo o que já não queremos – é melhor doar a quem possa ser útil – CADA VEZ MAIS

29. Dar uma vida mais longa a tudo o que não é possível recusar ou reduzir, optando por artigos com preocupações ambientais. – CADA VEZ MAIS

30. É importante saber reciclar, colocando os resíduos inevitáveis (e o mais espalmados possível) nos ecopontos corretos – A APRENDER

31. Deixar de usar champôs em frasco: de cada vez que eles acabam, é mais um resíduo plástico que se acumula no lixo lá de casa. Optar pela a versão sólida, sem embalagem. E rematar com amaciador, do mesmo tipo – FALHA  (uso o que me dão, não compro)

32. Os desodorizantes descartáveis também ficam à porta. Há muitas opções ecológicas, desde a pedra de alúmen a desodorizantes sem embalagem ou em tubos de cartão compostável – FALHA (uso o que me dão, não compro)

33. Trocar as escovas de plástico pelas de bambu (algumas cerdas não se reciclam, mas o resto é biodegradável), as pastas tradicionais pelas sólidas e os cotonetes pelas suas versões ecológicas (algodão, bambu, madeira) – A TRATAR

34. Substituir tampões e pensos higiénicos pelo copo menstrual — as mulheres gastam cerca de 17 mil produtos descartáveis durante o seu período fértil – A TRATAR

 

 

Auto avaliação é chato. Não ter carro é um contributo importante. Considerando as tentativas meio ponto obtive 22/34 (65%). Positiva mas muito para melhorar!

 

E já que falo em ser amiga do ambiente, ficam aqui mais dicas!

Escrever um comentário