PubliPost

Este não é só mais um post

Plástico. Este não é só mais um post. Isto é urgente

Falemos de plástico. Aquele assunto óbvio e de máxima urgência. Aquele assunto que todos conhecemos e julgamos não ter dúvidas. Aquele assunto que precisa da nossa máxima atenção (um pedido que vos faço). Afinal, e muito resumidamente, qual é o grande problema? O fabrico de plástico? A sua composição? A sua utilização? O seu destino? Há quem defenda que se proíba a utilização e fabrico de plástico em geral e num todo. Mas e se eu vos disser que grande parte dos instrumentos de cirurgia médica são feitos de plástico e essenciais para a sobrevivência? (pacemarkers, por exemplo).

Sem extremismos: o problema está no uso único. Usar o plástico uma única vez e deitá-lo ao lixo (o mar, muitas vezes). Há lá maior desconforto do que estender a toalha na areia e sentir nos pés tampas de garrafa? Ir ao mar e ficar com um saco das compras preso no pé? Deixar os miúdos a brincar e perceber que um deles já tem na mão um pau chupa-chupa de alguém que não nós? E agora projetem tudo isto no mar. Nós conseguimos distinguir plástico de comida; os animais não.

A palavra importante é: reutilizar. Usar o plástico mais do que uma vez e reciclá-lo na sua fase final. O planeta já levantou a bandeira vermelha e eu faço questão de divulgar e me associar a todos os projetos que contribuam para um planeta melhor (ou menos mau).

Um desses casos é o Lidl. Sabiam que foram pioneiros ao assumir o compromisso de reduzir o plástico em 20% até 2025, integrando plástico 100% reciclável nas embalagens, e a abolir a venda de plásticos descartáveis e de ovos de galinhas criadas em gaiolas? Faz diferença. Tanta.

Além disso, desenvolvem um projeto de que vos quero muito falar – o TransforMAR: um projeto focado na redução de plástico e nos princípios da economia circular, promovendo mudanças de comportamento que possam contribuir para um planeta mais sustentável.

Como? O ano passado, foram colocados “plasticódromos” nos areais, depósitos que ficaram lá ao longo de três dias, onde as pessoas podiam colocar aquilo que iam recolhendo. O resultado é incrível: foram recolhidas 88 mil unidades de plástico, o equivalente a cerca de 1,5 toneladas, que, de outra forma, iriam parar ao mar. Mas não acabou aqui! Enquanto parceira, a Amb3E (Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos) assegurou o correto tratamento dos resíduos de plásticos, que serão agora transformados em aparelhos de circuito de atividade física e entregues a cada uma das 14 praias onde decorreu a iniciativa.

Acho que concordam comigo: isto faz a diferença. Tanta. Toda! E por isso continua. Este ano, e a partir de dia 15 de junho (sábado) e até dia 18 de agosto, de Norte a Sul de Portugal, o Lidl volta às praias.

Este não é só mais um post. Esta é a responsabilidade que assumo em informar, em divulgar e apelar para as boas práticas, dando valor aos que realmente fazem acontecer, comprovando-o. Este projeto é isso; além de contribuir para proteger o planeta, apoia comunidades locais com os resultados e de acordo com as necessidades.

Este não é só mais um post. Isto é urgente. Reutilizem. Repensem. Estamos juntos?

 

 

E agora algumas dicas para reduzir a utilização de plástico, neste post.

Escrever um comentário