PubliPost

Falemos de adolescência. E voltemos a falar de prevenção.

voltemos a falar de prevenção

Falemos de adolescência: ainda “ontem”, quem saía à noite e ia a concertos era eu. Quem dava (algumas!) dores de cabeça lá em casa… também era eu. Fui a típica adolescente, e confesso que há um bocadinho de mim que ainda não deixou de o ser.

 

 

Ao ver este vídeo, revi-me. Como mãe, claro, mas também como a Catarina adolescente. Todos nos lembramos de como éramos nestas idades: o beijo íntimo frequente, a frequência de discotecas… enfim, uma vida despreocupada e alguns hábitos que, uns mais cedo, outros mais tarde, praticamente todos passámos a adotar.

Desde que sou mãe, e sabendo que estes comportamentos facilitam a transmissão de microrganismos que causam doenças como a Meningite Meningocócica, uma doença frequentemente grave e potencialmente fatal, estou mais atenta. Lembro-me da adolescente que fui, e tenho a plena consciência de que, por mais que aconselhemos os nossos filhos, o mais certo é que continuem a viver sem grandes preocupações.

Tudo é vivido intensamente, e tudo muda muito depressa; para que o possam fazer de forma saudável, também é de extrema importância que vão regularmente a consultas de rotina com o seu Médico Assistente. Este Profissional de Saúde, para além da avaliação da sua saúde na consulta, aborda e discute temas que potencialmente podem ser alvo de preocupação em cada idade. E falará sobre a prevenção de doenças como a Meningite Meningocócica, que pode e deve ser considerada, tanto para crianças pequenas como para adolescentes a partir dos 10 anos. Aconselhem-se com o Médico Assistente do vosso filho!

Conheçam mais sobre esta doença, sintomas e comportamentos de risco em https://www.conhecerameningite.com/. Vão ao site e partilhem-no com os que vos são mais queridos – há conteúdos especiais para eles. Nunca é demais reforçar a importância da prevenção de doenças graves e sabemos que a informação é o primeiro passo para o fazermos da forma mais eficaz.

Patrocínio Pfizer #ad