Maternidade

Mães Super Mulheres. Ana, qual é o teu super poder?

A Ana Matias acaba de entrar na montanha russa da maternidade. É, há sete meses, mãe da Luz, primeira filha. Todos os nascimentos são como se fossem o primeiro, mas é natural que a estreia seja marcada pela insegurança das pequenas acções, como ela diz nesta entrevista.

O maior tabu? Acharmos que conseguimos fazer tudo sozinhas? O maior truque para gerir o stress? A serenidade. Foram algumas das dicas que a Ana Matias deixou nesta conversa, juntamente com outras reflexões importantes.

Qual é o maior tabu da maternidade?
O maior tabu é mantermos uma fachada de super mulher, que está tudo bem, e que estamos a conseguir dar conta do recado, mas quando ficamos sozinhas desabamos… Não nasci ensinada para ser mãe e confesso que sou uma mãe ainda insegura. Os 7 meses da Luz ainda não me meteram à prova pois tem tudo corrido muito bem. Mas vacilo muito nas decisões, nas pequenas coisas, sinto que posso falhar a qualquer momento, e talvez esse para mim seja o maior tabu. Só os mais próximos sabem o quão frágil eu fiquei quando me conheci “mãe”. Mas ainda bem, sei que aprendo todos os dias e sei que ainda terei muito caminho a percorrer, e que no final do dia o sorriso dela para mim mostra que afinal até sou capaz de estar no caminho certo.

Qual é o truque para lidar com birras?
Manter a serenidade. Birras são muitas vezes crianças incompreendidas e não acho que fazermos nós birra em cima de birra vá resultar. Não tenho ainda truque, a minha Luz tem 7 meses, mas lá chegará a sua altura. Acima de tudo quero mostrar que a mãe está ao seu lado, falar com ela calmamente e dar-lhe um abraço.

Castigo ou palmada. Qual é a sua opinião quanto a isto?
Não aplico nenhum, por enquanto. A minha opinião é de que nada que uma boa conversa não resulte. As crianças só querem ser compreendidas e amadas.

Na curta aventura pela maternidade, qual foi o erro mais importante que cometeu, por lhe ter ensinado algo maior?
Achar que conseguia fazer tudo sozinha. Sempre tive dificuldade em pedir ajuda, em tudo na vida. Mas aprendi que caminhar com alguém ao lado é bem mais fácil.

Nisto dos filhos, o que é que jurou nunca fazer e que acabou por fazer?
Ainda não tenho grande experiência nesse sentido. Mas talvez achar que iria conseguir manter o meu dia a dia de antes de ser mãe, que a Luz iria ser só mais uma pessoa na minha vida e que tudo seria igual… Ahaha inocência a minha!

Qual é o seu super poder?
Conseguir acordar a cada movimento dela no berço. Eu que adoro dormir e que sempre dormi lindamente, dou por mim a acordar de 3 em 3 horas e a não me sentir privada de sono… Claro que há dias mais cansativos mas por regra não me sinto cansada.

E saber que gerei no meu ventre uma menina linda, saber que o meu corpo conseguiu célula por célula formar cada parte do corpo dela, saber que a natureza consegue ser tão sábia. Esse super poder confesso que me fascina 🙂

Depois da entrevista à Ana Matias, vamos lembrar a da Lénia Rufino. E já agora, relembrar a chegada da Maria Luiza.

Escrever um comentário