Tendências

E se não partilhássemos os momentos que vivemos?

Partilhar os momentos

Nisto das redes sociais, da partilha e (consequente) exposição há uma postura (e uma opinião) que não é estática. Por um lado eu não sinto sempre da mesma maneira, as coisas evoluem. Por outro lado vou analisando outras opiniões sobre o assunto que me fazem refletir sobre a minha. Quando partilhar os momentos?

Há umas semanas li (não me perguntem onde porque não me lembro mas acho que foi uma instagramer brasileira) que um dos problemas da partilha é que nos impedia de viver as coisas na sua plenitude. A pausa, a normal expectativa do feed back imediato. O desafio (ou a experiência) era registar o momento, da mesma forma que tirávamos fotos que só víamos depois de reveladas e só partilhar depois, quase como um arrumar de memórias de um momento já vivido.

Quando li aquilo fez-me todo o sentido. Seria exactamente como ir levar as fotos a revelar e estar a organiza-las com legenda. Neste caso “apenas” partilhar os momentos, mostrar o álbum com mais pessoas. Sem perder o momento enquanto está a ser vivido…

Gostava de conseguir estar menos tempo ao telemóvel quando estou a viver um momento. Como o dia que passei no Aquashow com os meus filhos com o telemóvel fechado no cacifo porque não ia com ele para os escorregas. Ou no aniversário da Maria Luiza em que fiquei sem rede e conversei toda a tarde toda a noite sem qualquer interrupção.
Detesto radicalismos porque, como comecei oor dizer, já me deixei disso das certezas e sei que a minha posição em vários temas é dinâmica e está aberta a novas aprendizagens. Não vou deixar de partilhar algumas coisas no instante em que acontecem. Farei um esforço para aproveitar os momentos em pleno e partilhar depois. Faz sentido.

 

As tintas para pintar com os dedos (maiores de 2 anos) foram compradas no LIDL e são maravilhosas porque saem muito facilmente. Foi um momento tão bom.

Vejam aqui mais 7 essenciais no regresso às aulas.

Comentários (3)

  • […] Há umas semanas li (não me perguntem onde porque não me lembro mas acho que foi uma instagramer brasileira) que um dos problemas da partilha é que nos impedia de viver as coisas na sua plenitude. A pausa, a normal expectativa do feed back imediato. O desafio (ou … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
    • Olá!

      Tenho bem presente uma imagem que circula nas redes sociais onde se vê um espetáculo de música e na plateia ninguém se encontra a olhar para o palco diretamente, em vez disso, depositam a sua atenção no telemóvel enquanto filmam e tiram fotografias. Será isso não aproveitar o momento? Provavelmente sim. Ao contrário de sentirem a música e apreciarem um concerto, as pessoas preocupam-se mais em registá-lo.

      É uma boa reflexão. Obrigada pela partilha.

      Beijinhos
      Margarida

      Responder
  • É uma observação bem real. Muitas vezes dou por mim a pensar “deixa de ser tonta, aproveita o momento em vez de o quereres registar com o telemóvel”. É bem verdade.
    http://www.asminhaspequenascoisas.blogspot.com

    Responder

Escrever um comentário