Maternidade

A adolescência é mesmo uma montanha russa

Montanha Russa: a adolescência num palco do teatro

O Teatro Nacional D. Maria II abre as portas à adolescência com um espectáculo que reúne em palco actores e músicos, uma viagem alucinante que eu não vou querer perder. A adolescência é mesmo uma montanha russa.

Muitas vezes me sinto ainda nesse sítio que é a adolescência, hoje tenho um filho adolescente e isso ainda reforça mais a minha memória e leva-me a (re)viver tantas situações agora com o chamado “coração fora do peito”.

Esta fase, a mim, diz-me muito. É dura, intensa, assustadora e ao mesmo tempo apaixonante, é mesmo uma Montanha Russa. E este é também o nome do espectáculo que vai estar em cena no Teatro Nacional D. Maria II já a partir de sexta feira dia 9 de Março.

Não percam, eu vou ver e deixar-me levar nesta viagem alucinante. 

Montanha-Russa, um musical sobre a adolescência, estreia a 9 de março na Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II. Uma criação da dupla Inês Barahona e Miguel Fragata, aos quais se juntam Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo (Clã).

Este é um espetáculo em que o teatro e a música disputam o palco, desafiando as convenções do “teatro musical”, como quem desafia as leis da gravidade num loop. Montanha-Russa mergulha vertiginosamente na adolescência, retirando-a dos lugares-comuns e procurando aproximá-la da dimensão da intimidade. Uma dimensão secreta, privada, interior, mas que vive no desejo de ganhar um palco onde se possa exibir. Montanha-Russa é o diário deixado em cima da mesa, o diário destilado nas redes sociais, ou o diário perigosamente transportado para o liceu: uma intimidade a gritar “leiam-me!”, uma geração a querer fazer-se ouvir, ao som da música.

O espetáculo ficará em cena até ao dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro.

Após o espetáculo de 23 de março, decorre a noite teen friendly: um grupo de consultores adolescentes transformará o átrio do D. Maria II num espaço onde não faltará muita música para dançar a verdadeira montanha-russa que é a adolescência.

Inserido no projeto Montanha-Russa está também o documentário “Canção a meio”, com realização de Maria Remédio, que documenta todo o processo de pesquisa levado a cabo por Inês Barahona e Miguel Fragata durante mais de um ano. Será apresentado no D. Maria II nos dias 11, 25 e 27 de março.

Após a sua carreira no D. Maria II, Montanha-Russa seguirá para digressão por várias salas do país: Teatro Municipal de Portimão (21 abr), Teatro Virgínia – Torres Vedras (26 abr), Teatro de Vila Real (11 mai), Centro Cultural Gil Vicente – Sardoal (25 mai), Teatro Nacional São João – Porto (21 mai – 10 jun) e Teatro Municipal Baltazar Dias – Funchal (30 jun – 1 jul). ”

 

A adolescência é mesmo uma montanha russa.

Comentários (1)

Escrever um comentário