6 características da melhor cadeira auto. Segurança nunca é demais

6

Os números que se seguem não são bonitos. Em 2017 morreram 509 pessoas na estrada — mais 64 do que em 2016. Andar de carro é, para muitos, um comportamento quotidiano e um bem quase indispensável que oferece maior qualidade de vida, porque poupa tempo em viagens cheias de etapas nos transportes. Mas o carro pode ser perigoso e, infelizmente, não depende só de nós torná-lo seguro. Na sua origem, os carros não foram desenhados com mecanismos que contemplem a segurança dos mais novos. Por isso é preciso perceber quais são as características da melhor cadeira auto.

A solução não será deixar de os transportar no carro, porque isto não é sustentável para a grande parte das famílias. Mas ter uma boa cadeirinha auto — obrigatória por lei — já é. Deve ser o mais adequada e segura possível. É um investimento, daqueles mesmo importantes, que valem a pena. Estas são as seis características da melhor cadeira auto. São seis dicas importantes na hora de fazerem a vossa escolha.

 

1. É de uma boa marca. 

A reputação da marca interessa. Muito. Pesquisem, vejam o que as outras pessoas dizem e invistam numa cadeira segura, de uma marca recomendada. Repito: se há aspeto em que vale a pena investir é nisto.

2. Tem cinto de segurança em 5 pontos.

Decorem (ou guardem nas notas): acima do ombro, do lado esquerdo, direito, perto do quadril e entre as pernas. A cadeira auto deve ter cinto de segurança nestes cinco pontos do bebé.

3. Deixa o bebé a dormir confortável. 

Há cadeiras que não deixam o bebé encostar-se bem. Resultado: adormecem e a cabeça cai para a frente. Esta posição é má e a longo prazo faz mal — e é certo que vão acordar mais rápido. Garantam que o bebé consegue um bom encosto.

4. Tem SIP – Side Impact Protection. 

Para o caso de choques laterais, é essencial que a cadeirinha auto esteja equipada com material mais resistente, capaz de proteger do embate. Confirmem sempre se vem equipada com SIP.

5. Pode ser colocada de costas para a estrada, virada para o banco. 

Sabe-se que o bebé viaja mais seguro se for virado no sentido contrário ao da marcha — ou seja, virado de frente para o banco de trás e de costas para os pais. Acontece que, em caso de embate, pela força do choque, se o bebé estiver virado para a estrada, a cabeça será projetada para a frente, o que pode resultar em lesões séries no pescoço e cabeça. De costas há um amortecimento maior da cabeça, sendo que as forças do impacto são espalhadas numa área maior, que percorre a zona entre a cabeça e as costas.

De acordo com investigações, até aos 15 meses os bebés viajam mais seguros assim. Por isso, o novo regulamento R129/ i-Size exige que sejam transportadas desta forma até esta idade.

6. Quando for para virar para a estrada, tem de ter airbag

A partir dos 15 meses o bebé já terá o pescoço forte o suficiente para estar virado para a estrada. Porém, quanto mais tempo estiver de costas para a estrada, melhor. No entanto, como queremos conseguir olhar para o bebé durante as viagens, especialmente se forem longas, e promover o seu despertar/interação— sugiro mesmo uma cadeira que tenha airbag.

  

Mas existe uma cadeira auto com airbag?

Para quem se estava a questionar, sim, existe. É a AxissFix Air da Bebé Confort, a primeira cadeira equipada com a tecnologia Air Safety. O airbag é super seguro: o bebé não corre risco de asfixia e não leva com o choque da sua ativação, caso haja um acidente.

  • Ao contrário dos outros airbags, no caso de colisão, este segue o movimento em que a cabeça da criança se move, amparando-a — não a para, como fazem os mais comuns, para os adultos.
  • Fixados nas almofadas de proteção do arnês, os airbags não colocam o bebé em risco de asfixia, caso sejam ativados. É impossível: eles inflam em 0,05 segundos e esvaziam, automaticamente, todo o processo dura segundo.

Fica a dica para viagens de carro mais seguras: escolham bem a vossa cadeira auto. Há investimentos que valem a pena. E este é um deles. Porque prevenir nunca é demais — principalmente quando falamos de viagens de carro.

 

 

Já agora, os ténis são da Lotto.

6 Comentários
  1. […] A solução não será … Ver artigo completo no Blog […]

  2. Tété says

    Em podendo, é pôr as crianças de costas para a estrada até aos 3/4 anos. Quanto a poder vigiá-las e interagir, compra-se um espelho que se coloca à frente da criança e onde a podemos ver através do retrovisor. 🙂

  3. Corvo says

    Nunca é de mais toda a segurança que se possa prestar a uma criança.
    Sem esquecer, todavia, que por toda a segurança que a criança quando auto-transportada tenha, ainda assim de nada vale quando as mãos que seguram o volante não são racionais.

    1. Catarina Beato says

      Grande verdade.

  4. Angela Pimenta says

    Olá!
    Os estudos realizados por essa marca de cadeira referem que a criança deve ir contrária ao sentido da marcha até aos 15 meses. Mas são os estudos dessa marca, talvez porque lhes convenha.
    As recomendações mundiais, sem marcas, são que a criança deve ir contrária ao sentido da marcha até aos 3/4 anos, devido às suas características anatomofisiológicas, essencialmente pela cervical e restante coluna não estar capaz (até essa idade) de aguentar, por exemplo, um impacto traseiro (os mais comuns) sem fazer golpe chicote.
    E para os mais sensíveis eles podem, sim, ir ao contrário. O desconforto está na nossa cabeça. Falo por experiência própria e por estudo deste assunto.
    Obrigada
    Tudo de bom para o seu blogue.

  5. Alexandra says

    Boa noite,
    Com tanta informacao e a mais diversa panóplia de cadeirinhas auto qie existe no mercado. Sera que me podem me dizer quais sao as cadeirinhas auto em que devemos investir para a seguranca dos nossos filhotes?? Help

    Beijinhos

Comentar

O teu endereço de email não será publicado.