clientes (e relações) felizes

0

A forma de muitos negócios trabalharem lembra-me a maioria das relações amorosas. Não generalizo, nem para uma coisa – o restaurante que mais gosto no meu bairro serve-me com a mesma atenção e qualidade desde o primeiro dia que lá entrei, estão abertos há dezenas de ano e diz quem sabe que sempre foi assim – nem para outra – conheço casais, ainda que mesmo muito poucos, que se continuam a surpreender e cuidar como quando começaram.

Não considerando as devidas e felizes exceções existe esta tendência para perder o cuidado conforme relações de conquista estabilizam – sejam clientes ou parceiros de vida, que na verdade são a mesma coisa nesta necessidade de manter.

Quando surge um novo negócio o cuidado no atendimento ao público é levado ao extremo. Ainda podem estar a limar alguns pormenores do próprio serviço ou produto mas o grande objetivo é captar com clientes com tudo o que isso envolve de fazer promoções, ser simpático e dar o melhor. Vejamos, é exatamente como quando nos interessamos por alguém: escolhemos um lugar especial para ir, cuidamos da imagem, tentamos surpreender e dar o melhor de nós. É tão bonita esta fase da conquista (e dirão irrealista também, mas eu não acredito nisso).

As relações estabilizam, o namoro ou o cliente que, por gostar do produto ou do serviço, passou a utilizá-lo regularmente, quem sabe com casamento tratado ou contrato de fidelização assinado.

Obviamente nem todos os dias são fáceis, seja nisto de viver ou atender alguém. Obviamente que o produto às vezes tem defeito, não somos perfeitos por muito cuidado que tenhamos na linha de montagem. Refiro-me à generalidade dos dias. Ao cuidado que devemos manter mesmo quando o cliente, o namorado ou marido [a namorada ou melhor] já são nossos – mesmo que, como sempre me ensinaram, as pessoas não pertençam a ninguém. Será esse o segredo do negócio – e das relações felizes – mantermos sempre a qualidade de quem ainda está na conquista.

 

Crónica Dinheiro Vivo

 

a foto [linda] é de uma “cliente” satisfeita no dia do seu casamento [e que façamos por nos mantermos assim, a vida toda].

Comentar

O teu endereço de email não será publicado.