Maternidade

procurar casa. [a vida resolve-se sozinha mas a casa não I]

procurar casa. [a vida resolve-se sozinha mas a casa não I]

nota prévia: os contactos que vos deixo são da experiência e não qualquer tipo de parceria comercial.

depois de nos casarmos a ideia de continuarmos a viver em casas separadas tornou-se insuportável. sim, é verdade, numa primeira fase, eu achei que podíamos manter tudo como estava. acho que foi uma espécie de protecção. tinha medo. mas o medo deu lugar às certezas. e queríamos as rotinas de todos os dias, todos juntos. e queríamos uma casa nossa. nas primeiras buscas desesperámos. nunca iríamos encontrar uma casa suficientemente grande, na localização que queríamos e com o preço que podíamos. eu estava disposta a abdicar da localização. esta é a parte em que acredito que “a vida resolve-se sozinha” e o acaso levou-nos a uma mediadora imobiliária, que nos levou a outro contacto e encontrámos a nossa casa. foi amor à primeira vista. daqueles avassaladores e cheios de certezas. como o nosso.

_DSC8635

dicas para procurar casa:

  • estabeleçam uma lista daquilo que querem mesmo numa casa, por ordem de importância. no nosso caso era: preço, tamanho, localização.
  • não saiam – nunca, do orçamento que definiram, nem para ir “apenas visitar”. se podem pagar 500€ e vão ver uma casa de 700€ com a esperança que seja negociável só estão a contribuir para a vossa frustração.
  • se encontraram a casa que querem não tenham medo de negociar: de forma realista e responsável.
  • visitem a casa mais do que uma vez e em horas diferentes. olhem com atenção para os pormenores – rachas, humidades, cheiros. façam perguntas. todas as perguntas que vos passem pela cabeça [sem medo de ser chato].
  • passeiam até à porta da “casa nova” durante o dia e à noite.
  • seja para alugar ou comprar leiam o contrato com toda a atenção e peçam ajuda a um amigo [advogado ou contabilista] se não perceberem as letrinhas todas.
  • casa é como casar. sintam certezas.

 

quarta-feira passamos às obras.

Comentários (7)

  • Adoro o chão, as portas e mesmo a cadeira que espreita ao fundo. Tem tudo para ser uma óptima aposta. Boa sorte 😉

    http://inspiracionistas.blogspot.pt/

    Responder
  • Não fazia sentido casare-se e viverem separados!
    Mark Margo
    http://www.markmargo.net (site de celebridades e cinema)

    Responder
  • Anciava muito por estes post’s venham eles.
    Belas dicas. Foi nisso que pensamos quando mudamos de casa, não foi amor a primeira vista mas foi a única com dimensões razoáveis, para o preço que podíamos pagar.
    Antes de tudo é preciso poder gastar o que ela vale. Seja arrendamento ou compra.
    Parabéns pelas dicas, simples mas muito útil .
    A vida resolve-se sozinha serve também para se complicar menos e vir aqui torna tudo menos complicado.
    Mais uma vez desejo profundamente que sejam feliz, nessa casa, fora dela, sempre todos juntos.

    Responder
  • Olá Catarina.

    Óptimas dicas. Adoro os tectos altos. Mas olhando as janelas e as portas, a casa não é fria no Inverno?
    Adoraria optar por esse estilo de casa mas quase sempre opto por casas mais “modernas” devido ao isolamento térmico
    Têm algum plano em como resolver este assunto, se fôr este o caso, de forma economica?

    Responder
  • […] casa pequena onde todos nos vemos e ouvimos estejamos em que divisão estivermos. O nosso T2 é a casa dos meus sonhos. E ainda bem que alguns sonhos têm exatamente a mesma dimensão do nossa conta […]

    Responder

Escrever um comentário