Comentários (57)

  • “Nunca diga(s) nunca…”. 🙂

    Responder
  • é impressão minha ou o teu blogue fez agora um aninho?Em Março?Tens essas datas?Seria bonito fazermos uma festa de anos.beijos.

    Responder
  • can you feel it, see it, hear it today

    if you can’t then it doesn’t matter anyway

    Responder
  • Foi fixe, foi!

    Responder
  • Grande malha, sem dúvida. E que noite!

    Responder
  • S. D. Lady,

    Muito obrigado pela forma como nos recebeu!

    Responder
  • Sô Dona Lady,
    Obrigado. Se mo permite, acho que também gostou de nos receber. As Sierras estavam muito boas.

    Confrades,

    Limpámos o estaminé, não foi?

    Responder
  • Parece que te vi por lá de esfregona na mão, de facto.

    Eu confesso que não colaborei, vim para fora do estabelecimento para não pingar mais o chão – recorde-se que 3 cães me despejaram imperiais em cima…

    Responder
  • Meus [sem aspas] queridos Confrades, independentemente daquela merda ter ficado um nojo [apesar dos esforços notáveis] a noite foi notável.

    Guardo-vos no meu coração!

    Responder
  • E sim, Imperial, eu tive imenso gosto em receber-vos.

    Para a próxima eu levo os cds de Faith No More.

    Responder
  • Ok, já percebi que perdi alguma coisa de grandioso…

    Responder
  • Lady não a vi ontem no almada forum?

    Responder
  • Koba, caralho.

    O teu tabaco pá ?!

    Responder
  • Ontem? Fui abastecer-me do stock para noite.

    Responder
  • para a noite

    Responder
  • Leão,

    Foi o chamado chavascal. Só acabou quando tivemos de ir comprar cigarros.

    Responder
  • Então acho q era mesmo 🙂 no parque de estacionamento… fiquei embascada a olhar porque me pareceu que a conhecia de algum lado… ia com a minha filhota.

    Responder
  • Milo, você [repare que mantenho o tratamento na 3ª pessoa] chamou à noite de ontem “chavascal”????

    Chavascal foi terem andado a beber imperial directamente da torneira.

    Responder
  • Lady, não trate dessa forma um sonho de infância do Imperial, finalmente concretizado nesse já mítico lugar da noite que dá pelo nome de “Blue Net Café”.

    Já agora: ó leão da lezíria, pá… V. Ex.a, porventura, é fumador?

    Responder
  • Koba, tire isso a limpo.

    Responder
  • Precisamente Lady, esse foi um dos comportamento merecedores da qualificação de “chavascal”.

    Responder
  • Com aquele chavascal todo não houve brinde dedicado a cada um de vós.
    Estou em falta.
    Mas para a próxima NÃO SOU EU QUE PAGO AS GARRAFAS!!!!

    Responder
  • Esta a ser injusta. Eu paguei pelo menos uma.

    Responder
  • Koba: não sou fumador (e jamais lhe gamaria o tabaco).

    Cerveja bebida directamente do torneirame? Esse é um dos fetiches que ainda me falta realizar…

    Para a próxima vou mais tarde, não me ficarei sozinho com duas horas de preliminares (sim, cheguei às 10 da noite…)

    Responder
  • Leão, em contrapartida tiveste a Lady só para ti, enquanto eles tiveram que a dividir.

    Responder
  • É verdade. E foi bom. Químico…

    Responder
  • Atenção, isto não pode ficar só assim! Vejo-me forçado a inocentar publicamente o leão, homem da lezíria, injustamente acusado de perpetrar um acto vil e atroz: o desvio do cigarro alheio.

    Leão da lezíria, sou neste momento coberto pelo manto da vergonha. Aceite as minhas desculpas públicas (sim, porque o blog da Lady é visto por mais pessoas do que o Canal Parlamento), como se impõe entre cavalheiros.

    Recaem, agora, as minhas suspeitas sobre a outra moça, com ar suspeito e tabagista, que frequentava o bar quando chegámos. Como não percebi logo?

    [Recordo-me do nome dela e também do blogger. Estou certo que ela virá aqui confessar a culpa]

    Responder
  • DEsculpas aceites, Koba. Seja lá pelo que fôr…

    Responder
  • Anónimo querido, eram mais de quatro.

    Responder
  • A moça [porque é que esta palavra me faz sempre lembrar meninas roliças e coradinhas?!] reclama a sua inocência já que chegou a casa sem cigarros.

    Lady, mais de quatro?

    Responder
  • Ahá! Pugnando por inocência, eis que surge Carrie, a fumadora. Sem que haja, sequer, sido formulada acusação, defende-se invocando o argumento falacioso de que chegou a casa sem cigarros!

    A explicação é óbvia: fumou-os todos no caminho!

    Responder
  • Ao contrário do Leão não moro da Lezíria. Dificilmente teria tendo para fumar dois cigarros até casa, quanto mais todos [sejam lá quantos forem].

    Na ausência de acusação a suspeita – “Recaem, agora, as minhas suspeitas sobre a outra moça, com ar suspeito e tabagista, que frequentava o bar quando chegámos” é suficiente para me fazer repor a verdade dos factos.

    Responder
  • errata: onde se lê tendo deve ler-se tempo

    Responder
  • Koba,

    isso só lá vai com um duelo, pá!

    Os cães que andaram a despejar as imperiais em cima da roupa da malta têm um nome só: Koba!

    Mas a noite foi bem porreira e portá-mo-nos todos à altura.
    Só foi pena por vezes não deixarmos a Lady falar…

    Eu bem tentei dar-lhe a palavra…

    Responder
  • Carrie, vejo que não desmente o ar suspeito (e tabagista)…

    Raspa, é verdade que terás ficado salpicado com uma gota ou duas de tequila. Mas o encharcado em jola fui eu, garanto-te. Os cães chamavam-se Milo, Imperial e Pândego (olha que três…)

    Responder
  • Bolas, como fui eu perder uma festança destas?! Lady, infelizmente não pude comparecer. E mais infelizmente ainda não pude eu também meter a boca no instrumento das imperiais…:-(

    Responder
  • Lady, como diz e bem o Milo, está a ser injusta. Ainda bancámos aí umas … sei lá, duas garrafitas, não ?

    Carlota, espero que o gajo tenha valido a pena.

    Responder
  • Sempre perspicaz este Imperial… Valeu a pena, sim senhor.

    Responder
  • mas olhe que ter sete confrades ali à babugem … e ainda bar aberto.. bom, vovê lá saberá. Consegue andar?

    Responder
  • Koba, eu a despejar imperiais?

    HERESIA !

    SACRILÉGIO !

    Responder
  • Ó Imperial, conseguia correr uma maratona.

    Responder
  • … entao nao valeu a pena.

    Responder
  • Pronto, nunca seremos compatíveis.

    Responder
  • nunca?

    Responder
  • Eu sei. Pagaram algumas.

    Carlota, de facto a festa foi do melhor…

    Imperial e Carlota, isso das compatibilidades só experimentando.

    Responder
  • Nunca. Eu gosto de estar em condições para poder soltar a minha imaginação diariamente. E vejo que o imperial gosta de as deixar incapacitadas.

    Responder
  • Isso não sei. Mas olhe que uma mulher incapacitada pode ser uma mulher feliz.

    Responder
  • Carlota,

    “gostar de” é claramente teórico. Já na prática …

    Xô Dona Lady,
    Os seus sócios já a desculparam?

    Responder
  • Gostos…:)

    Responder
  • Acho que sim Espero que sim.

    Responder
  • [os sócios]

    Responder
  • Koba, as minhas calças também foram testemunhas desses acidentes.

    Responder
  • Mas quanto às suas calças não nego a minha eventual responsabilidade…

    Responder
  • Vou perguntar-lhes se estão recordadas do responsável.

    Responder
  • Pergunte-lhes, também, se viram quem é que me atirou uma imperial cheia para cima… desconfio do Pândego, mas Milo e Imperial também estavam posicionados em zona de tiro

    Responder
  • Se calhar foram as gajas que levaram o seu tabaco. Cheiram a fumo que tresandam.

    Responder
  • ‘tou a ver que foi rambóia total esse encontro de confrades…!

    Responder

Escrever um comentário