O Meu Diário

Os campos de férias. (ou como começar a chorar em poucos minutos…)

Hoje demanhã, na janela da minha cozinha, enquanto estendia a roupa cheirou-me a campos de férias. O calor intensificou o cheiro de uma qualquer flor do jardim da vizinha… Inspirei profundamente e senti a dor das saudades.
Quem nunca fez campos de férias não entende o que se sente… nem entende as relações que se criam.
É como um Big Brother. É uma Quinta. É a nossa Quinta.
Foi nos campos de férias que vivi os momentos mais intensos da minha vida. Fiz amigos muito especiais. Vivi paixões. Senti-me concretizada como em mais nada na minha vida. Até fiz um filho.
Apaixonei-me vezes sem conta. Foi lá que vivi a morte do meu pai. Foi lá que senti os primeiros movimentos do meu filho dentro daquela barriga grande que nunca me impediu de continuar a fazer o que mais gostava.
Tenho saudades da rotina. Do cansaço. Das pessoas.
Dói-me o peito das saudades que sinto…
A intensidade com as coisas são vividas é inexplicável. As conversas. As cumplicidades. Tomar banho! Fazer cocó juntas :)! Acordar e adormecer. As nossas reuniões! Discussões e lágrimas. As nossas actividades tão dedicadamente preparadas. Os nossos putos…
E já chega… Porque mesmo sem fotografias e sem banda sonora falta muito pouco para começar a chorar…
E uma dedicatória especial: eu sei que o Q. não gosta de blogs mas tenho muitas saudades de trabalhar com ele… no cimo da àrvore. E da minha M. (que está tão longe e tão carente das suas mongolinas…), da C. (tão feliz com o seu L. e eu que soube antes deles…). De ti, não tenho tempo para ter saudades.

Comentários (4)

  • Curto bue cagar em conjunto… é épico! Mas como não gosto de blogs.. não tenho jeito pra isto… e são uma paneleirada, vou despedir-me.Adeus, e vivam os campos de férias .. todos os campos de férias…

    Responder
  • Obrigada meu lindo por este teu esforço. Estou comovida.

    Responder
  • Não me parece que alguma vez tenha tido uma experiência tão intensa num campo de férias como tu tiveste, mas lembro de ansiadade de chegar o dia em que arrumavamos as mochilas para ir passar 2 semanas na quinta… sem pais… só a malta e muito pão alentejano barrado com tulicreme! Jokas

    Responder
  • Ainda bem que não temos tempo para ter saudades…Sem ti já não conseguia viver. Fazes parte de mim. Completas-me naquilo que não tenho e gostava de ter.
    E foi lá que nos conhecemos…
    nos campos, a nossa quinta…
    Doi de lembrar.
    Tantas saudades meu amor.
    A.

    Responder

Escrever um comentário