Relações

25 de Abril (parte III ou 4 de Fevereiro de 2006)

Existem momentos mágicos em que a nossa vida passa a ser parte integrante de um filme de amor. E tudo acontece como nos filmes
Enquanto o fogo coloria a escuridão dos ceús, acreditei numa paixão arrebatadora. Em que o macho pega na mão da sua femêa e lhe pede para ser sua mulher. Ali e agora. Numa carência deseperada para serem marido e mulher. Pertencerem um ao outro.
De repente a luz acendeu-se. O filme acabou.
Há histórias que só acontecem nos filmes.
Foi uma noite em que todas as luzes podiam ter continuado apagadas (eu consigo ver-te, de olhos abertos, na escuridão).
Gostava que me quisessem como nos filmes

Comentários (1)

  • Olá Princesa. :O).. desculpa só agora tive tempo de vir ao teu blog. Voltarei oportunamente, pois neste momento nem tempo para o meu tenho. Os sonhos por vezes são assim, como armadilhas impiedosas que fazem-nos cair em ilusões. Eu sou ópitmo na matéria, sonho tanto que fico frustrado com a realidade. Enfim coisas da vida.. Estive em Almada neste fim de semana, adorei ver Zeca Afonso.. Acho que a festa foi linda, mas fiquei saturado que ouvir a Emilia.. Fiquei com a impressão que ela repete-se todos os anos. Bjos

    Responder

Escrever um comentário