Tag / feliz

maternidade o meu diário

meus bebés… [bom fim-de-semana]

hoje falo sobre os meus bebés. quando o Afonso nasceu percebi que o Gonçalo já era crescido. e era mesmo, com quase 9 anos. continuava a querer a minha atenção mas já não era o meu bebé, filho único ou não. ficaria até chateado se lhe chamasse isso. quando a Maria Luiza nasceu o Afonso ainda era o meu bebé, continua a ser. e continuará até me proibir de o tratar assim [ele sabe ler por isso já pode pedir-me que nem ser o escreva]. o Afonso é o irmão protector da sua menina mas [também] é o meu bebé.
eu sou filha única. mas não tenho qualquer dúvida que o melhor que dei na vida aos meus filhos foram os irmãos. ciúmes? talvez existam mas eu nunca os senti. sinto-os protectores uns com os outros e [felizmente e quando necessário] contra mim. mantenho a regra em que vou acreditando: dar atenção a cada um como dava antes. e tentar – como aprendi com a Sónia – que se sintam filhos únicos sempre que possível.
este é um post lamechas e apaixonado pela família que tenho. dá muito trabalho, é um desafio constante, mas é infinitamente doce. são todos os meus bebés [desculpa filho grande].
 
[e para que seja mesmo lamechas, estamos todos de igual nas fotos com as túnicas da Baunilha, são lindas, perfeitas para o dia da mãe e para os outros todos.

dieta das princesas viver saudável

comer bem e ser feliz: tarte de lima e mirtilos

comer bem e ser feliz: tarte de lima e mirtilos

mais uma receita que nos mostra que comer sobremesas não tem de ser sinónimo de muito açúcar, de muita gordura e de poucos nutrientes. muito pelo contrário. a minha amiga Joana Moura sugeriu esta tarte de lima e mirtilos [vejam na imagem como é linda] para o primeiro dia do ano, mas eu acho que ela é perfeita para qualquer ocasião. porque não experimentar já este fim de semana?
Ingredientes para a base:
2 copos de tâmaras sem caroço (de preferência Medjoul)
1 1/2 copo de farinha de amêndoas, ou avelã (ou um mix)
3 colheres de sopa de óleo de coco
flor de sal qb
Modo de preparação da base:
1.Triturar os ingredientes num processador de alimentos.
2.Espalhei numa base de tarte redonda ou quadrada (usei uma quadrada descartável).
3.Pressionei de forma a criar uma base mais compacta.
Ingredientes para o recheio:
400g cajus (hidratados em água durante umas horas, ou durante a noite)
1 lata de leite de coco
1 copo de coco seco ralado
4 limas (sumo e raspas)
1/2 copo de maple syrup (pode ser mel, embora tenha um sabor mais forte)
1 c.sopa de baunilha líquida
2 c.sopa de óleo de coco (derretido)
1 copo de mirtilos congelados
2 c.sopa de açúcar de coco
Modo de preparação:
1.Juntei todos os ingredientes num processador de alimentos (com a excepção dos mirtilos e açúcar de coco).
2.Triturei muito bem, até obter um creme suave e homogéneo.
3.

maternidade o meu diário viver mais com menos

o glamour da caravana *

*ou apenas a nossa forma preferida de passear e uma forma de dar as boas vindas ao Verão!
 
já temos planos para a velhice: arranjar uma caravana e andar por aí [podemos estacionar à porta dos filhos quando eles precisarem de nós – vi isto numa comédia romântica qualquer e adorei a ideia].
o meu encanto por autocaranavas é tanto que, para além de brasileiras jeitosas e fotografias maravilhosas de comida, o meu instagram está cheio de contas de pessoas que vivem dessa forma: em permanente viagem.
fica o link de uma reportagem muito gira, onde eu e o Pedro aparecemos, sobre o glamour das caravanas e onde explico aquilo que sinto por esta forma de viajar. 
quase sempre só acordo quando o Pedro já estacionou ao pé do café mais próximo [é a primeira coisa que faz depois de acordar].
 
há umas semanas fizemos um fim-de-semana assim e soube-me a uma semana inteira de férias [na verdade comi em dois dias o equivalente a sete, principalmente quando no domingo fomos tomar o pequeno-almoço em Vila Nova de Mil Fontes no Pão Café & Companhia [que bolos inesquecíveis, daqueles caseiros que valem cada caloria que tenham porque são mesmo divinais].

claro que também fui ao Pão do Rogil comer a minha broa de alfarroba e pimenta rosa e à melhor pizzaria do mundo [Arte Bianca em Aljezur].

maternidade o meu diário

gravidez. vamos falar de peso [outra vez]?

vamos falar de peso, outra vez.
quando há quase três anos mudei o meu estilo de vida e perdi 15 quilos tornei-me um bocadinho fundamentalista – também poderia dizer irrealista, também faria sentido. digo-o à distância de três anos face a uma decisão que voltaria a tomar e a uma mudança que me trouxe mais amor próprio e – agora – equilibro. depois de perder 15 quilos achei que qualquer pessoa poderia fazer o mesmo dependendo da sua força de vontade. sei hoje, com esse equilibro de que falo – que força de vontade depende de muitos mais factores do que imaginaria.
voltar a ver na balança o número do qual me libertei há três anos tem tanto de assustador como de desafiante. assusta-me porque sei que sou muito mais feliz sentindo-me bem comigo mesma. não há nada de fútil no facto do bem estar e do amor próprio dependerem do nosso aspecto físico porque é um reflexo da nossa atitude. não quero ter este peso num contexto normal. nem pensar.
desafia-me porque sei exactamente o que devo fazer – manter e mudar – para estar como gosto. saber é uma coisa é fazer é outra, é esse o desafio.
todos os corpos são diferentes, já o sabia há três anos, e hoje ainda o sei melhor. sou mulher de anca larga. perante uma gravidez o meu rabo acompanha a minha barriga garantindo que será sempre maior que ela.

Sigam-me no Instagram

1
Something is wrong.
Instagram token error.