Tag / blog

maternidade o meu diário

Vocês sabem que o melhor de um blog está sempre nos comentários?

Vocês sabem que o melhor de um blog

Ao meu texto desta manhã, que falava no desafio dantesco de ser casal feliz e ter filhos, recebi duas preciosidades. 
A menina é muito moderna para a minha maneira de pensar. Não concordo consigo em 99% das vezes. Não quero mais ser notificada dos seus posts. Como mãe desejo-lhe muitas felicidades para si e para a sua prole. No entanto, deixe-me lembrar-lhe que não fez os seus filhos sozinha, não é justo (na minha opinião) privar os pais das suas crias. Uma moeda tem sempre dois lados. Mas a vida é mesmo assim, cada pessoa tem a sua maneira de ser e de estar e só temos que respeitar.
Por partes: primeiro cara leitora, não sei o que fez para ser notificada dos posts mas pergunte a alguém e resolva isso rapidamente. Não vou contar-lhe que ser mãe solteira não foi uma opção, já falei nisso aqui no blog, mas pasme-se porque a minha modernice chega ao ponto de achar muito bem que um homem ou uma mulher escolham ser pai e mãe sem ser em casal. Sou assim moderna e apologista que o importante é amar os filhos.
Também lhe podia escrever milhares e milhares de carácteres sobre os pais ou mães que têm que ser obrigados a exercer a sua função depois da parte fácil de fazer os filhos. Mas por várias razões vou poupá-la, para já, a isso.

o meu diário viver saudável

voltamos a falar de alimentação. e podem bater-me porque como açúcar.

voltamos a falar de alimentação

eu sei que ter um blog é uma forma de exposição. e que quando nos expomos recebemos coisas boas (que são felizmente muitas e mesmo muito boas, e acho que as pessoas que me enviam mensagens de carinho nem imaginam como são importantes para mim). e quando nos expomos recebemos coisas menos boas. eu já disse isto antes: nunca gosto de críticas. sou uma pessoa normal e preferia que nunca dissessem mal de mim. até vos podia dizer que me é indiferente mas nunca é.
face às críticas há duas hipóteses. as críticas em que reconheço razão custam mais quando leio  mas depois são construtivas. as críticas que não compreendo enervam-me. umas mais, outras menos. e hoje voltamos a falar de alimentação.
nos últimos tempos a alimentação tornou-se um tema fracturante e cheio de fundamentalismos variados. assumo que, neste espaço a culpa até seja minha porque há quatro anos (já passaram quatro anos…) mudei a minha alimentação e partilhei essa fase aqui no blog.
quando perdi 15 quilos não me tornei fundamentalista mas tive que ser rígida. quando queremos perder peso temos que ser rígidos. isso aprendi. aliás aprendi muita coisa nestes quatro anos. e a principal é que a vida dá imensas voltas. poderia ir disto para uma conversa existencialista e poética mas é mais simples.

dieta das princesas

oito factos sobre mim – mais oito porque chegou o mês oito

oito factos

1. depois do aniversário do Afonso – que será dia 5, passei o mês de Agosto de 2016 à espera da Maria Luiza. meti na cabeça que ela nascia no mesmo mês que o Afonso e assim aconteceu mas mesmo no último dia. ou seja, fez-me a vontade mas mostrou que quem manda é ela.
 
2. sempre disse que pais que gostam dos filhos fazem tudo para que eles não nasçam em Agosto porque é um problema organizar festas de anos. depois de ter tido dois filhos neste mês confirmo que festas de aniversário com amigos é missão impossível (pelo menos enquanto são pequenos porque depois acho que podem fazer coisas bastante divertidas por estarem em tempo de férias).
 
3. tirei a carta de condução a 31 de Julho de 1996. tinha 18 anos e fiz várias vezes aquela piada do “depois entra a gosto”. ainda não não sei muito bem como é que passei à primeira porque era um verdadeiro desastre nas aulas de tão nervosa que ficava. o exame de condução era em Setúbal, mesmo ao pé do estádio do Vitória, razão pela qual, durante uns anos afirmei ser do Vitória de Setúbal.
 
4. adorei o filme “Aquele querido mês de Agosto”.
 
5. adoro feiras. adoro as festas de cada terra em Agosto. adoro cheiro a farturas, carróceis, e as luzes e os barulhos dos carrinhos de choque.

maternidade o meu diário

exausta. primeiro vamos falar das queixas.

exausta

muitas pessoas acham que ser blogger não é profissão. eu percebo, também não me identifico com a palavra. gosto de “digital influenciar”. e vejo isso como um trabalho de comunicação. já fui jornalista e escrevia num determinado ângulo, com determinadas regras, e de acordo com um código ético da profissão, já trabalhei numa agência de comunicação e escrevia para clientes, com outro ângulo, outras regras e outros valores, agora escrevo no meu blog – num trabalho nação muito diferente daquele que é feito numa agência de comunicação. este não é um post sobre publicidade no blog, calma!
vou alimentando as redes sociais de forma muito espontânea, respeitando os dias em que não me apetece ou os momentos em que, por razões pessoais, não faz nenhum sentido. quando estou triste ou chateada posso desabafar sobre isso ou sentir que nenhuma imagem ou texto faz sentido naquele momento. este também não é um post sobre as minhas angústias de exposição, calma!
sou uma privilegiada porque trabalho “em casa”, obviamente com aspas porque nem sempre estou em casa, mas sou eu que faço a gestão do tempo e não tenho que estar horas e horas fechada num escritório.

maternidade o meu diário

Dias de uma Princesa Grávida

É fácil responder quando me perguntam “qual foi a data da última menstruação”. Chorei compulsivamente naquele final de tarde. Dia 9 de Dezembro. Não me esqueço. Foi a primeira vez na vida que chorei quando o período veio. Queira mesmo ter outro filho. Nesse dia percebi que sim.
 
ao longo da gravidez da Maria Luiza [que é Luísa mas que continua a ter z até me esquecer deste desejo não concretizado] fui escrevendo um diário. ao longo da gravidez da Maria Luiza mandei dezenas e dezenas de sms e mensagens no messenger à Sofia com dúvidas [umas mais ridículas que outras]. são estes os dois factos que fizeram nascer este livro.
este livro é um diário semanal – escrito por mim – com as principais dúvidas de uma grávida esclarecidas por quem sabe – a médica ginecologista obstetra [e minha amiga] Sofia Serrano. sou suspeita mas o resultado é um livro lindo [e ainda mais bonito porque tens as ilustrações da Rita] e muito útil.

Quando estamos grávidas queremos ser um bocadinho médicas e perceber tudo o que se passa com o nosso corpo e com o bebé que cresce dentro de nós. Este livro é um diário e um guia de uma gravidez. Na verdade, é uma companhia, um diálogo nascido da amizade, da curiosidade e do amor.
 
não me vou por já nos agradecimentos se não perco o discurso para as apresentações.

Sigam-me no Instagram

1
Something is wrong.
Instagram token error.