o meu diário

assim, de forma, reduzida…

Eu confesso que me sinto um bocado pressionada sobre as temáticas da minha escrita depois do episódio abaixo descrito. Queria contar umas coisas giras do meu menino lindo mas envolvia a palavra “pila” e podia ser mal interpretado. Também não posso falar das minhas camadas de pele bronzeada porque nem a quase centena de euros que gastei em mais de dez unidades de cremes variados me salvaram [e também porque anda aí uma gaja gira que depois me goza e diz que eu “ao vivo” não mantenho o estatuto de princesa o que é uma tremenda injustiça]. Hoje faltei ao yoga [e já se zangaram comigo por causa disso mas eu só vou ao ginásio com a minha partner e sem ela não me apetece ir a não ser que vá lá só para tomar banho – acho que isto do banho não abona nada a meu favor mesmo que explicasse a história da caldeira minúscula que tenho lá em casa e que me nego a trocar]. Falava eu no yoga porque o Hugo diz sempre umas coisas inspiradoras enquanto eu me esforço para chegar com a testa aos joelhos e matar os meus traumas de adolescente que me fizeram acreditar que eu nunca poderia ir para a dança jazz nem qualquer outro desporto demasiado feminino. Á conta dos meus traumas obriguei o G.

o meu diário

[sentido certo….]

Sentido certo e intensidade ideal. Fico de olhos fechados e concentro-me no nada. Aprender a gostar do nada é uma arte. Posso nunca fazer o pino. Posso nunca chegar com o queixo ao chão e encontrar um paralelo perfeito entre as minhas pernas e o resto de mim. Mas gosto do nada. Gosto de fechar o olhos e acreditar que basta isso. Sentido certo e intensidade ideal. Sem aulas de ioga na hora de almoço das quartas-feiras, traduzido em caracteres em capacidades de contorcionismo: a vida resolve-se sozinha. E vai ganhando o sentido certo e a intensidade ideal.

o meu diário

uma terapia qualquer de manutenção

Voltei de Cabo Verde com um sorriso que não se desfaz em pequenos pedaços como a pele bronzeada. Voltamos de Cabo Verde com noites de sono calma que não se trocaram como os horários que se mantêm mais perto da linha do equador. Voltamos de Cabo Verde e ficamos cheios de frio apesar do sol que entra pelas janelas da rua do monopólio. Voltei de Cabo Verde e ainda não parei de fazer compras. Retail therapy – explicaram-me. Eu faço qualquer terapia para me manter exactamento como me sinto neste momento.

Sigam-me no Instagram

1
Something is wrong.
Instagram token error.