contar calorias
perguntar a quem sabe

Perguntar a quem sabe: só tenho resultados se contar calorias?

Hoje o Nuno Martins do Online Coaching – um serviço que acompanha, motiva e ajuda pessoas a atingirem os seus objetivos – fala-nos sobre peso, sobre alimentação e sobre ter uma consciência real daquilo que comemos, ou seja, sobre uma noção realista de quanta energia estamos a consumir sempre que ingerimos um alimento. Contar calorias pode parecer excessivo, mas pode também ser uma boa ferramenta para ajudar a atingir objetivos. O principal é saber utilizar esta táctica de forma correta, sem obsessões ou fundamentalismos. Ele explica tudo!

 

Como falámos na publicação anterior, ser flexível não implica que uma pessoa conte calorias. Por outro lado, uma pessoa que conte calorias também não é obrigatoriamente flexível.

“O quê? O facto de comer tudo o que quero não garante que seja flexível?”

Não, e remato com estas questões (de contexto geral e não de competição):

  • Já tiveram momentos em que evitaram eventos sociais por não terem calorias disponíveis?
  • Já evitaram comer fora de casa por não terem acesso à informação nutricional?
  • Já comeram fora de casa, mas acabaram por sentir-se mal por não saberem as calorias?

Conseguem entender onde quero chegar?

Quem se encontra reticente quando à contagem de calorias costuma colocar algumas questões muito pertinentes: “Preciso de contar calorias para ter resultados? Tenho de o fazer para sempre?”

A resposta a estas excelentes questões é um redondo não. Mas, por outro lado, posso dizer-vos que aprender a contar calorias (e macronutrientes) é uma excelente ferramenta. E como qualquer ferramenta, tem o seu papel, mas apenas em certos contextos.

Porque é que costumo sugerir às pessoas que contem calorias durante um tempo? Porque as pessoas não sabem o que comem!

De uma forma geral, o ser humano, incluindo nutricionistas, são péssimos a registar aquilo que comem, apontando muitas calorias abaixo do que realmente consomem. Por outro lado, muito facilmente sobrestimam o que fazem em termos de atividade. Não é intencional, mas a verdade é que somos “nabos”!

“Eu só como saudável, faço exercício e não perco peso…”

Sabemos que para perder peso é necessário criar um défice calórico. O que 99.9% das pessoas que começa a contar calorias se apercebe é que, “surprise surprise”, estava a consumir mais energia do que devia. Infelizmente, as leis da termodinâmica ainda funcionam, embora em Marte uma pessoa de 70kg só pese 26kg.

 

A minha sugestão para contar calorias é a seguinte:

– Experimentem colocar uma semana normal de alimentação numa aplicação como o myfitnesspal.

– Observarem se o que estão a comer ao longo das semanas é adequado às vossas necessidades.

– Quando tiverem uma ideia do que realmente estão a comer, ajustem e tornem-se independentes!

Porque todas as calorias contam! Exemplo: um “fiozinho” de azeite pode ter mais de 100 calorias.

Como puderam observar, contar calorias é uma excelente ferramenta que dá conhecimento sobre aquilo que realmente comemos. Não é algo obrigatório nem do qual nos devamos tornar dependentes, mas recomendo vivamente a qualquer pessoa que não tenha uma percepção real daquilo realmente consome num dia. Utilizem esta ferramenta durante o tempo que precisarem, ajustem a vossa alimentação de acordo com as necessidades e atinjam os vossos objectivos!

 


Quem é Nuno Martins?

O Nuno Martins sempre praticou desporto, desde o futebol, ao taekwondo, ginástica, musculação. Quis ser engenheiro informático, mas optou pelo exercício porque era, e é, esta a sua grande paixão. Formou-se em Ciências do Desporto na Faculdade de Motricidade Humana. Mais tarde, frequentou um mestrado em Exercício e Saúde. Entre estas duas etapas começou a trabalhar num ginásio. Hoje está a tirar Doutoramento na Universidade de Leeds sobre Nutrição e Comportamento Humano. Tem ainda um serviço de online coaching, em que ajuda quem precisa a atingir os seus objetivos, com prescrição de treino, acompanhamento personalizado e inclusão num grupo onde se promove a partilha de conteúdo relevante.

Deixe um comentário