Eu sou a favor dos trabalhos de casa e explico porquê
viver família

Eu sou a favor dos trabalhos de casa

Tenho lido muito sobre o tema e achei que, tendo um filho no primeiro e outro no 10 ano, também podia vir dar a minha opinião. Eu sou a favor dos trabalhos de casa. Tenho apenas duas condições. Os trabalhos de casa devem exigir tempo proporcional à idade. Imaginemos que num primeiro ano exijam 15 minutos sentado à mesa e no 10 ano cerca de 50/60 minutos. Os trabalhos de casa devem ser feitos em regime de autonomia. Se o aluno não percebe, não faz.

Eu sou a favor dos trabalhos de casa por várias razões.

Primeiro porque existem método e disciplina. Sentar à mesa e estudar, sem ser na sala de aula, é um processo fundamental para a vida escolar. Gerir o tempo livre que temos, mesmo que seja pouco, também.

Segundo, acho que os pais poderem observar os filhos a estudar/fazer trabalhos de casa é positivo. Eu gosto de ver as matérias e assuntos que os meus filhos estão a aprender.

Se o sistema escolar está desatualizado? Se podia ser mais estimulante e apelativo? Podia sim.

Isso é principalmente urgente e relevante nos primeiros anos de ensino. Nessa altura a gestão de tempo entre brincar e aprender é ainda muito sensível. Honestamente, para mim, depende mais do bom senso de quem ensina do que do sistema. Porque há miúdos que gostam de estar sentados e outros que precisam de correr. E ambos terão que ser respeitamos. Seja um caso, ou noutro, 15 minutos é um ínfima parte do dia e os trabalhos de casa serão assim entre um exercício de consolidação da aprendizagem, gestão de frustração, disciplina e perseverança.

Já na adolescência sermos contra o sistema faz parte, seja ele qual for. Por isso, mais cedo ou mais tarde, mesmo que a escola fosse uma permanente interacção com o mundo real, com projectos ao ar livre, com autonomia e motivação, estaríamos contra. Nessa fase os trabalhos de casa ajudam ao estudo. E talvez sejam um cheirinho daquilo que um dia saberemos, até em empregos e vidas de sonho há momentos de merda, dias chatos, e obrigações nada animadas.

Um trabalho de casa é isso mesmo: um complemento às horas de aprendizagem que deverá ser feito em casa. É aproveitar para estudar e despachar para ir fazer outras coisas! Já diziam os meus pais e eu dou-lhes razão.

Comentários (24)

  • Eu também sou a favor dos trabalhos de casa, sem exagero até porque, nas aulas, quando o Professor acabou de explicar parece tudo muito fácil e só quando estão a estudar se dão conta das dificuldades. Tenho uma filha no 12ºano, um no 8º ano e outro na 2ª classe e acho que são essenciais…

    Responder
  • […] Primeiro porque existem método e disciplina. … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Avé!!! AVÉ!! Finalmente, finalmente uma conversa de jeito sobre este tema. Estou farta, farta, farta de ler os mais estapafúrdios argumentos para incitar à preguiça. Raramente estou de acordo consigo, mas lá haveria de chegar o dia. Por favor, partilhe este post até à exaustão por toda a parte, que isto merece ser emoldurado.
    Só espero não vir daqui a uns dias a perceber que afinal isto não passava de uma qualquer publicidade a um qualquer centro de estudos ou qualquer coisa do género – que é o mais certo. Mas até lá, parabéns.

    Responder
    • Honestamente, se raramente está de acordo porque é que vem cá? Há muita gente com alma de mártir, é a conclusao a que chego…

      Responder
    • Lol. Conversa de jeito porque é aquilo em que acredita. Eu acho exactamente o contrário. Deviam emoldurar-se as tentativas de andar com a nossa mentalidade para a frente e não o contrário. Aliás achava que a Catarina era bem menos conservadora que isto… mas lá está. É só às vezes…

      Responder
      • eu sou conservadora naquilo que acredito ser bom conservar 🙂

        Responder
      • Sofia, já pensou que eu posso vir cá precisamente para ter das coisas uma perspectiva diferente da minha? Não acha um pouco redutor frequentar só locais onde todos concordam cegamente consigo? Pense lá nisso com carinho. É que, para mim, alma de mártir tem quem só procura o que lhe é confortável.
        Isso não me impede, naturalmente, de me regozijar quando vejo que, em determinado assunto, a Catarina pensa exactamente como eu.

        Responder
  • não percebo como é que podem haver opiniões contra os trabalhos de casa, mas respeito.
    Eu sou a favor também! Com bom senso na carga horária que exigem, tal qual como mencionas 🙂
    Beijinho *
    https://umachavenadecharme.blogspot.com/

    Responder
  • Eu sou contra os trabalhos de casa. Seria a favor não passassem as crianças tantoooo tempo enfiadas na escola. Quando saem dali, da mesma forma que deveria acontecer quando saímos do trabalho, o importante é respirar, desligar, relaxar, viver o mundo de fora. As minhas filhas passaram a primária toda a fazer trabalhos de casa todos os dias, não demorando menos de 1.30h por dia. Aquilo era um insulto ao NOSSO tempo, uma invasão. O tempo que passamos em família é tão pouco que não faz qualquer sentido trazer trabalhos de casa do trabalho e da escola. Por isso sou 100% contra. Compete-nos a nós incutir a disciplina do ir estudando para que assimilem o que aprenderam. Mas trabalhos de casa, não mesmo.

    Responder
  • Eu ainda não tenho filhos em idade escolar. Mas sou a favor dos trabalhos de casa. O problema está nas condições de vida da maioria das familias, que complicam muito o acompanhamento escolar aos filhos. O tempo é escasso. Muito escasso para tudo.
    Como indica, os TPC devem ser adequados à idade e a ser realizados em tempos «exequiveis» para os alunos e para os pais (que devem ver e apoiar os filhos com os trabalhos de casa).
    Não obstante, nos dias que correm acrescem algumas questões aos TPC:
    Os pais estão fora de casa cada vez mais horas.
    Os filhos passam mais de 10 horas entre as escolhas e os ATL.
    Para muitos casos, ao contrário do que acontecia comigo (por exemplo), nem há avós que possam dar esse apoio porque ainda trabalham.
    Perante este cenário muitas crianças chegam a casa e, depois de jantar (que já acontece tarde) têm ainda trabalhos de casa para ir fazer. Os pais têm todos os afazeres de casa para tratar. Sentem-se culpados e frustrados quando não conseguem ter tempo para dar apoio aos filhos.
    Em resumo, os trabalhos de casa são uma coisa boa, mas tal acontece quando a familia tem as condições de organização temporal que permitam à criança estudar e ainda ter tempo para ser criança / adolescente.
    Hoje, com ambos os pais fora de casa tantas horas e a falta de apoio dos avós (pelos motivos expostos) é muito complicado.
    Não são os trabalhos de casa que são um problema. É a falta de tempo para ser pais, para ser filhos, para ser alunos, para ser aplicados. E no fim disso tudo ainda lhes ser permitido ser crianças/adolescentes.

    http://embuscadafelicidade.blogs.sapo.pt/

    Responder
    • Estou 100% de acordo. Houvesse tempo para tudo e os trabalhos de casa seriam, com toda a certeza, uma mais valia. Mas a realidade de muitas família é chegar a casa às 19h30/20h00, tratar dos banhos, jantares, e ainda arranjar um tempinho para os trabalhos… Parece-me uma tarefa que só vem trazer stress ao final de dia que se queria tranquilo. Será sempre difícil arranjar a receita perfeita, que sirva a todas as famílias, mas talvez o ideal fosse um meio termo: trabalhos de casa rápidos e esporádicos durante os dias de semana, complementados com trabalhos aos fim-de-semana.

      Responder
  • Eu também sou a favor dos trabalhos de casa desde que os mesmo tenham em conta a idade escolar e mais, acho que devem ainda ter em conta a altura do ano em que os alunos se encontram. Explicando, sou da opinião que numa altura, por exemplo, de testes/ provas/ exames a carga de trabalhos de casa deve ser menor do que nas restantes alturas do ano, porque sendo por defeito uma altura em que os alunos se encontram mais stressados e mais focados no estudo das matérias que vão ser objeto de avaliação, não devem ser sobrecarregados com os “tpc”. Essa sobrecarga só vai fazer com que tenham de dividir o seu tempo e percam o foco no objetivo do final de período/ ano. Muitas vezes os professores, especialmente a partir do 2º ciclo (generalizando e não querendo ferir susceptibilidades), tendencialmente se esquecem que as suas disciplinas não são as únicas que os alunos têm.

    Responder
  • Eu era a favor dos TPC (com conta, peso e medida) até ter uma filha com deficit de atenção e dislexia. Se as aulas já eram um massacre para ela, imagine quando tinha que chegar a casa e continuar uma tarefa tão penosa. O que podia fazer em 30 minutos, fazia em 2 horas. Mas não é preciso ter NEE para estar estafado ao fim do dia. As horas que passam na escola deviam ser suficientes para não terem que trazer TPC mais do que duas vezes por semana. Mas trabalhos de pesquisa ou para apresentarem em sala de aula, etc, que promovessem a sua autonomia e curiosidade. Trabalhos a metro para preencherem o livro até ao fim do ano, não!

    Responder
  • Eu pergunto: Depois de saírem do trabalho, gostariam de passar mais 1 ou 2 horas a trabalhar ( proporcional à idade …)? Pois … Eu tb não …

    Responder
  • O tema dos trabalhos de casa é sempre controverso. Como professora, sou a favor de que haja algum trabalho de casa, de vez em quando, pois só assim o aluno consegue ter noção daquilo que realmente sabe, visto que ao fazer na aula, juntamente com a professora e/ou os colegas, é mais fácil e não dá para nos apercebermos de que afinal não compreendemos tudo.

    Penso que o “problema” hoje em dia prende-se com o número de atividades que as crianças/os jovens têm. Não só vão à escola como também têm desporto, música e inglês. Nada contra – na verdade, acho ótimo poderem experimentar isto tudo (eu ia à escola e aos tempos livres); mas, “às tantas”, são atividades a mais. Sim, é preciso ter tempo para se fazer apenas nada. E às vezes os trabalhos de casa roubam esse tempo para se fazer absolutamente nada… mas será que não se encontra o equilíbrio?

    Responder
    • Concordo tanto com este comentário! Muita gente é contra os TPC, mas depois têm os filhos em 1001 actividades.

      Responder
  • Até me doi alma ouvir dizer que ser contra os trabalhos de casa é incitar à preguiça. Claro que é essencial que as crianças aprendam a estudar sozinhas, a ter responsabilidade, e a solidificar o que aprenderam. Mas honestamente, para pais, como eu, que chegam a casa as 7h3o da tarde, que ainda tem jantar e banhos para dar, os miudos vao fazer os trabalhos quando? a correr antes do banho? ou depois do jantar e antes da cama? Nem para os adultos é bom muito menos para as crianças de 6 ou 7 anos, é um stress horrendo e destabiliza em muito a família.

    Conheço bem argumentos a favor e contra. A minha mae, há uns largos anos foi pioneira no estudo do impacto dos tpc nas crianças e familias, e eu propria ainda nao tenho decisao e opiniao firme sobre o assunto, mas uma coisa é certa, não pode ser tema leviano.

    http://www.aurore.pt/2017/09/back-to-school.html

    Responder
  • Completamente em desacordo. E ainda bem que se tem escrito e muito sobre isto. Pode ser que os 5 contra o 1 a favor vão ficando e que assim se mudem mentalidades. Não é preciso trabalhos de casa para se saber o que o filho aprende na escola. Antes pelo contrário.

    Responder
  • Eu não sou, de todo a favor dos trabalhos de casa. As minhas jornadas de trabalho funcionam em rotatividade, o meu marido chega a casa às 20:30, para ter que deitar o miúdo as 21:00, que tempo aproveita o meu filho connosco e nós com ele. Há muita gente a favor, claro q sim, nao poderíamos ter todos a mesma opinião. Se eu saísse as 17h/18h mas não…. chego a casa as 20h. E também não tenho fins de semana com o meu filho como muitas mães têm, talvez aquelas q são a favor, saem cedo, não trabalham noites e todos os fins de semana estão em família. Nós cá em casa não. E por isto, aproveitamos todos os momentos q temos a três, sempre!
    Não é por isto q sou desleixada e que o meu filho irá ser menos inteligente ou educado. Ele tem é q ser Feliz é estar dentro de uma escola 8h e ainda ter q fazer TPC, cá em casa não! A escola é o trabalho dele, enquanto lá estiver exijo disciplina e atenção, quando sai acabou, ele tem q brincar, eles são crianças. Acompanhando igual forma o que estuda no momento, somos pais presentes na vida escolar. São a favor dos TPC, óptimo. Mas não julguem quem não o é, não falem com m desdém de quem não é… nós não somos, nem vamos ser!
    Bjinho Catarina

    Responder
  • Eu sou contra e explico porquê: o meu filho mais velho está no 4º ano de um colégio privado em Lisboa. O 1º ano foi um tormento, uma tortura. Uma simples linha de letras para fazer demorava horas, tal era a contrariedade com que a fazia. Fazia mal, apagava, voltava a fazer mal. Estávamos horas naquilo e eu com uma série de tarefas para fazer em casa: jantar, banhos, etc… Não tenho família perto, o meu marido tem maus horários por isso na maior parte do tempo sou eu com duas crianças. Ele foi crescendo e foi crescendo também a sua aversão aos trabalhos de casa. Agora está no 4º ano e encara a coisa de outra forma, embora seja sempre na base da obrigação. Há dias trazia duas páginas de matemática para fazer, um exercício de português, um exercício de História e duas páginas de Inglês para copiar. Achei inacreditável tal carga de trabalhos para um dia da semana, e não fez tudo. Escrevi um recado na caderneta mas ele ainda levou na cabeça da professora.
    A minha filha está no 1º ano de uma escola pública e a professora avisou logo que trabalhos de casa só ao fim-de-semana porque já trabalham muito durante o dia e precisam de tempo para brincar. Os miúdos não são iguais, há uns mais despachados que outros, uns gostam de fazer trabalhos, outros querem sair da escola e desligar. Os meus filhos são extremamente diferentes em tudo mas uma coisa eu sei: deviam ter ambos tempo para desligar e brincar.

    Responder
  • Sou contra os trabalhos de casa. Os meus 4 filhos passam 8h na escola e eu tenho diariamente 3 horas com eles. Nessas 3 horas tenho que levar às atividades que a nossa família acha importantes ( que a escola não proporciona, nem deveria, pois é opção nossa, pensamos que os nossos filhos poderão aprender mais/outras coisas que a escola não lhes ensina). Tenho ainda que dar banhos, fazer o jantar, tratar da casa e das roupas, brincar, conversar com eles, preparar o dia seguinte e por na cama até às 21h30 (para ser uma boa mãe ).
    Quando eu puder enviar para a escola um cesto de roupa para engomar, começarei a olhar para os tpc com outros olhos…
    É claro que não somos fundamentalistas, sou contra a regra, nao a exceção! Mas respeito muitíssimo quem é a favor.

    Responder
  • Excelente artigo de opinião. Lendo os comentários parece-me que a oposição aos trabalhos de casa se prende com duas razões evidentemente inválidas… Por um lado um certo incômodo com o tempo que as crianças demoram a fazer os TPCs (se não treinarem não ficarão mais rapidos seguramente… E se não aferirem conhecimentos em casa provavelmente vão ser ultrapassados pelos outros miúdos todos) e em segundo lugar a falta de tempo em família. Quanto a isso sugiro que os país passem menos tempo no trabalho e mais com os filhos (se os forem buscar à escola em vez de chegar a casa às oito da noite talvez se encontre um tempinho para estudar em família).

    Responder
  • Falando apenas nas crianças e pensando no caso do meu irmão pequeno, eu concordo que possa haver trabalhos de casa mas que sejam conjugados com uma pouca carga horária na escola! Então se os miúdos já passam lá o dia enfiados, faz todo o sentido que passem o resto do dia a brincar! São crianças, e ainda por cima vieram do pré-escolar, não estão tão habituadas a uma rotina tão exigente e cansativa.

    Mas claro que esta é só a minha opinião…

    Responder
  • Sou a favor. 100% a favor. Mas, devidamente adaptados à realidade escolar da criança / jovem. Alguém já o disse aqui: é contra os TPC mas os filhos estão em mil e uma atividades…isto sim é contraditorio. As crianças/jovens têm que ter tempo para se conhecer. Para estarem sozinhas. Para fazer outras coisas que não sejam obrigação. Se assim for, há tempo para tudo.
    Cá em casa temos muito tempo livre e em família. O miúdo anda numa atividade desportiva 1:30h duas vezes por semana. Os restantes dias é tempo livre para estar connosco, para passear, para visitar avós, para não fazer nada, para estar no seu quarto a ler ou a fazer outra coisa qualquer, para ajudar os Pais nas tarefas da casa, para ouvir música em altos berros e, melhor ainda, para conversar efetivamente connosco…para falar do seu dia!
    Se gerirmos bem o tempo e se formos conscientes nas opções familiares que fazemos, os TPC são um ‘mal’ menor.
    É a minha opinião muito, muito pessoal.

    Responder

Deixe um comentário