voltamos a falar de alimentação
o meu diário viver saudável

voltamos a falar de alimentação. e podem bater-me porque como açúcar.

eu sei que ter um blog é uma forma de exposição. e que quando nos expomos recebemos coisas boas (que são felizmente muitas e mesmo muito boas, e acho que as pessoas que me enviam mensagens de carinho nem imaginam como são importantes para mim). e quando nos expomos recebemos coisas menos boas. eu já disse isto antes: nunca gosto de críticas. sou uma pessoa normal e preferia que nunca dissessem mal de mim. até vos podia dizer que me é indiferente mas nunca é.

face às críticas há duas hipóteses. as críticas em que reconheço razão custam mais quando leio  mas depois são construtivas. as críticas que não compreendo enervam-me. umas mais, outras menos. e hoje voltamos a falar de alimentação.

nos últimos tempos a alimentação tornou-se um tema fracturante e cheio de fundamentalismos variados. assumo que, neste espaço a culpa até seja minha porque há quatro anos (já passaram quatro anos…) mudei a minha alimentação e partilhei essa fase aqui no blog.

quando perdi 15 quilos não me tornei fundamentalista mas tive que ser rígida. quando queremos perder peso temos que ser rígidos. isso aprendi. aliás aprendi muita coisa nestes quatro anos. e a principal é que a vida dá imensas voltas. poderia ir disto para uma conversa existencialista e poética mas é mais simples. um dia queremos frango e brócolos e no seguinte não conseguimos sobreviver sem uma bola de berlim.

é verdade que, durante mais de um ano, não comi bolachas nem cereais daqueles de pacote em que consigo comer tudo sem perceber como. mas em minha casa sempre tive bolachas e cereais. se os meus filhos quiserem podem comer, depois de comerem a fruta ou intercalando com outros pequenos almoços ou lanches. sim, os meus filhos comem açúcar, depois de comerem peixe cozido, cenouras, vegetais, sopa, panquecas de aveia, ovos mexidos (e olhem que só compro dos biológicos).

voltemos a mim porque é disso que estou a falar. durante um ano estive focada a um ponto que hoje questiono como consegui. aquilo que fiz durante um ano, hoje parece-me missão impossível para fazer durante uma semana. mas, como vos dizia, aprendi muito. chamo-lhe alimentação consciente. o que significa isso? que se comer um manhãzito de massa brioche sei quais são os ingredientes. sei que sabe muito bem mas tem mais açúcar que uma panqueca de aveia. eu sei. é uma opção. faz parte do meu equilíbrio.

e ser saudável é ser equilibrado. e ser equilibrado é sermos aquilo que quisermos ser.

se quiserem ser da brigada fundamentalista anti açúcar, força. mas não esperem isso aqui do blog.

pesava 72 quilos, emagreci até aos 57. depois engravidei e fui para lá dos 75. hoje tenho 62. voltarei com calma ao meu peso. com um bocadinho de açúcar, de vez em quando.

 

também podem ler:

tenho mil defeitos e outras tantas contradições. tenho uns quilos a mais e celulites variadas

SaveSave

Comentários (4)

  • Olá boa noite adoro “segui la” e ler toda a sua experiencia. Admiro muito pessoas como a que “leio” e segui neste blog e insta 😉 tenho 30 anos hoje peso 58 kg estou com o corpo que gosto mas hoje grávida de 2mesinhos sei que vou chegar aos 70 talvez mais mas só penso em recuperar o mais rápido possível por isso vai ter uma perseguidora 😂 porque quero aprender ainda mais com a sua experiencia, organização alimentar e ser feliz ao mesmo tempo. Parabéns pelo blog e espero que continue ainda com mais força 💪😘 aceito todas as dicas e conselhos 😁

    Responder
  • Preocupas-te demasiado com a opinião dos outros. Faz o que queres e escreve o que queres.. Lembra-te de como, quando e porquê começaste o teu blog..
    Foi por isso que as pessoas começaram a seguir-te. Pela tua essência e maneira de ser e pensar. Quem te insulta ou faz criticas (destrutivas)tem bom remédio.. que te deixe de seguir. Mas é um problema delas. Odeio quando te justificas.
    Já houve fases que eu deixei de te seguir. Irritava-me as tuas conquistas (por eu não as conseguir ter admito sem problemas).. depois voltei a seguir e depois voltei a não concordar e não concordo com tanta coisa na tua vida na dos outros. Mas é a vida dos outros. Não a minha.

    Nem li o q escreveste no post. Só li a palavra açucar.. ” and what it’s the problema?”
    Não te apetece?
    Não és tu que o comes?
    Não és tu que o pagas?
    Não és tu que ficas feliz com a ingestão dele?

    Beijocas

    Responder
  • […] vale a pena ir pensando na alimentação em equilíbrio, também para o mundo em que vivemos. […]

    Responder
  • Muito em breve também vou falar disto no meu canto. Também tinha um peso a perder. Li imenso, fiquei meia fundamentalista. Adoptei super low carb e durante 5 meses fui uma senhora da alimentação perfeita das cavernas. Sim perdi o peso que queria, até mais, depois percebi que me sentia com pouca energia e eu faço exercício diário. Mudei aos poucos, encontrei o meu caminho. Estive agora num festival Internacional onde falei com pessoas de todo o mundo que eram muito conscienciosas deste tema. A minha opinião hoje, que creio ser a tua é: equilibrado. Desde que o que comemos seja bom, seja o que for, está tudo bem. E depois ouvir o corpo, ele fala mesmo connosco e diz-nos o que necessita.

    Responder

Deixe um comentário