revitalizada
o meu diário

revitalizada. agora a parte boa.

ontem falei-vos do meu cansaço. confesso mesmo que, na semana passada, sentia que estava mesmo no meu limite. aquele momento em que te apercebes que, quando te perguntam como estás, respondes sempre: “mas ou menos” ou “muito cansada”. aquele momento em que te olhas aos espelho e te sentes com mais 100 anos. e que tudo custa muito e o humor vai atrás.

na semana passada para além do cansaço tive que gerir um novo dado: o Pedro ia ser operado numa altura em que estaria a trabalhar e eu iria de férias uma semana com a minha mãe. correria tudo bem na operação? o que era necessário para o pós operatório? desmarcava as férias e ficávamos todos em casa quando o homem precisava de descanso?

decidi [decidimos] orientar tudo em casa para o seu máximo conforto e mínima preocupação e manter a semana de férias que permitia tirar o ruído todo de casa.

quando cheguei a Santa Eulália – nuns dias que já se tornaram tradição – depois de dias terríveis e uma viagem infernal só me apetecia chorar. era este o ponto de situação na noite de quarta-feira.

desde quinta-feira que a minha vida é dormir, mimar os meus filhos, apanhar sol e treinar. a diferença que faz poder dormir meia hora ao sol [um agradecimento do tamanho do mundo à minha mãe]. a diferença que faz não ter rigorosamente nada para fazer [agora só falta a magia da roupa de férias parecer lavada em casa]. e a diferença que faz comer bem. apesar de consciente das vantagens de uma alimentação de base paleo [já falei várias vezes nisso] não tinha tido o meu momento. e desde a gravidez e pós parto tem sido muito complicado gerir o cansaço versus alimentação. aqui é fácil, a comida do Grande Real Santa Eulália é a melhor do mundo [quem tem acompanhado no instagram?].

sinto-me outra pessoa. menos 100 anos! estou revitalizada e capaz de aguentar o que vier.

 

e antes que se ponham com coisas, eu sei que o hotel é de cinco estrelas, merece cada tostão que custa mas não é uma opção barata, eu sei que é um privilégio poder descansar assim. consciente de toda a sorte que tenho, vou aproveitar os dias que faltam. e respirar fundo porque: dormir + comer bem + treinar + apanhar sol + mimo de filhos e mãe + tentativas de meditação com vista de sonho = tudo de bom [apesar de saudades do meu homem que está a recuperar com todos os mimos que à distância fui organizando].

 

 

 

Comentários (1)

  • […] na semana passada para além do cansaço tive que gerir um novo dado: o Pedro ia ser operado numa altura em que estaria a trabalhar e eu iria de férias uma semana com a minha mãe. correria tudo … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder

Deixe um comentário