quanto tempo
o meu diário

quanto tempo dura uma bateria [re]carregada?

há mais de uma semana voltei do Algarve, se fosse uma bateria estava a 100%. a minha bateria esgotou-se mais depressa que a do meu Iphone mais que viciado. é tudo diferente quando estamos em casa, quando temos as coisas por arrumar, as refeições por fazer, a logística normal dos dias. caramba, enerva-me! como é que uma bateria a 100%, recarregada com tanto carinho, os olhos mais vivo, o sono quase em dia, a alimentação certinha, sem ânsias nem compensações, a capacidade de respirar fundo, as bochechas com boas cores. até consegui começar a meditar naqueles dias.

depois regresso casa e parece que tudo está desarrumado, muito mais desarrumado do que está na realidade – ou está mesmo, e parece que a roupa acumulou no cesto, e acumulou mesmo, e as refeições que dão trabalho a pensar e a fazer – quando for rica vou ter um buffet a todas as refeições, cheio de saladas e comida maravilhosa.

caramba, enerva-me! apetece deitar tudo fora, limitar a casa ao essencial (menos ainda porque sou excelente a destralhar e faço-o quase todos os dias), assim como quando estamos de férias apenas com aquilo que precisamos e cabe numa mala.

respirar fundo. desejar os próximos dias desligada do mundo. e estabelecer como objectivo para o próximo ano (ano lectivo porque sou daquelas para quem a passagem de ano acontece entre Agosto e Setembro) saber meditar, repor os níveis de ansiedade em valores aceitáveis, e manter a bateria recarregada – mesmo que seja a 70% – por muito, muito, muito tempo.

 

 

quanto tempo dura a vossa bateria?

Comentários (7)

  • Eu sou do mesmo tipo mas tenho 3 pequenotes a cargo: 2 , 7 e 9 , a primeira menina, e os mais velhos rapazes… sinto-me exaurida!

    Responder
  • Eu tenho dificuldade em carregar baterias, com crianças sempre a volta não há oportunidades para sestas e verdadeiro descaso; além disso o afastamento do trabalho também é parcial como tal não dá pra desligar menos. Como consequência rapidamente volto a entrar em modo automático ☹️

    Responder
  • Voltei de férias sexta-feira passada com um bebé de 5 meses e senti exactamente o mesmo. Se tivesse mais dinheiro não queria coisas queria estar livre das tarefas domésticas para poder ter mais tempo de qualidade com a família e comigo.

    Responder
  • Neste momento o meu cérebro fechou para férias pelo menos durante 1 mês, também sou fanática pelas limpezas, mas numa casa onde viviam 5 pessoas agora vivem 7 é impossivel pensar em tal coisa, só o essencial,pois assim consigo tirar mais partido da família que veio do outro lado do mundo( Austrália), aquela família que só vemos de 5 em 5 anos e que nunca sabemos se voltaremos a ver, pois pelo menos um deles já tem mais de 70 anos, assim sendo como costumo dizer “fechei para obras” senão fico louca, pode não acreditar mas na entrada de casa tenho sem exagero, 6 ou mais pares de calçado.
    #maedocoracaosoueu#

    Responder
  • […] mãe. assim que regressei a Lisboa, em poucos dias, esta sensação foi-se – como expliquei noutro post a bateria esgotou-se mais rápido do que a do meu iphone. voltei a sentir-me cansada demasiado […]

    Responder
  • […] minha mãe. assim que regressei a Lisboa, em poucos dias, esta sensação foi-se – como expliquei noutro post a bateria esgotou-se mais rápido do que a do meu iphone [e note-se que ela está viciada]. voltei […]

    Responder
  • […] e garante que a sensação “pós-férias” não desapareça em poucos minutos – mesmo não consiga que dure muito mais que alguns dias? deixar a casa impecavelmente arrumada e limpa antes de […]

    Responder

Deixe um comentário