o meu diário

que memórias têm das férias de Verão?

guardo as melhores memórias das férias de verão. a minha mãe diz muitas vezes que era nesse tempo que recarregávamos as baterias como família, ou enchíamos as bolsas de oxigénio para não entrar em apneia na logística de todos os dias. eu sei ao que cheirava a casa no Sabugueiro e os banhos de água fria entre as rochas na Serra da Estrela. e sei ao que sabiam os pequenos almoços que a minha mãe deixava preparados para que eu comesse antes de ir ter com os meus pais que saiam para a praia demasiado cedo para uma adolescente. eu sei como o céu ficava estranho em Louriçal do Campo quando havia fogos por perto. nos meus primeiros campos de férias, que ainda se chamavam colónias, e onde, na cama de cima, conseguimos ver todo o dormitório – encontrei isto e tive vontade de chorar. sei como eram os mergulhos ao final do dia, com a minha mãe, em Armação de Pera. e sei a forma de todas as conchas em Vila Nova de Mil Fontes. uma dia quero ouvir os meus filhos a falarem das suas memórias de Verão. os gelados na Mucha Gata, a praia em Vale dos Homens, a piscina em Ferreira, os dias perfeitos com a avó no Algarve. mas sabem, na verdade este post não era mesmo sobre os meus filhos, era apenas sobre as saudades que tenho das minhas férias de Verão quando era apenas filha.

 

 

 

[para verem mais sobre os objectos, basta carregarem em cima.]    

 

também podem querer ler:

que tecnologias levo nas férias?

ténis lindos para usar neste verão.

manual prático para ir de férias com os filhos.

ideias para as férias dos miúdos. quando os pais estão a trabalhar.

Comentários (2)

  • […] depois deste post pus-me a pesquisar no Google, a minha colónia de Lourical do Campo chama-se Colónia de Férias de Media Altitude da Serra da Gardunha. eu lembro-me da enfermeira que fazia os testes de respiração a alguns miúdos asmáticos, e da nascente de água maravilhosa nas traseiras do refeitório. há poucas referências a um dos lugares mais especiais da minha vida, onde cacei gambuzinos, e comi rissóis feitos da carne dos amimais que só os mais velhos conseguiam encontrar, onde dormi ao relento no alpendre, onde fugi pela varanda grande, onde dancei já discoteca. todas as meninas gostavam do mesmo rapaz. tínhamos chapéus de cores diferentes de acordo com o grupo que nos calhava. quando vi estas imagens chorei. chorei de saudades, estão ali as camaratas enormes. lembro-me de tudo. chorei porque custou-me ver o meu lugar abandonado, como se estivessem a maltratar as minhas memórias de infância. fui tão feliz naquele lugar. queria ganhar o Euromilhões e fazer daquele lugar a minha casa de férias. vá, sonhar não custa. […]

    Responder
  • A memória que me saltou à cabeça, foi as minhas férias em Monte Gordo com os meus pais, em que estava sempre com a cabeça no ar para saber quando o meu pai chegava à praia, porque significava que ele ia à água e comigo e comíamos um gelado. Belos tempos.

    Responder

Deixe um comentário