viver saudável

miss kale: “há uma profunda obsessão à volta da imagem”

Adoro a Miss Kale há muito tempo. Revejo-me no conceito de equilíbrio e invejo as receitas. Invejo também a sabedoria mas isso agora está mais fácil de alcançar – pelo menos uma parte. A Francisca Guimarães, autora do blogue “Miss Kale“, lançou um livro –  o “Escuta o Teu Corpo – que é uma espécie de guia de princípios essencias para uma vida mais saudável e feliz. Segundo aquilo que defende, todos estes princípios nascem da capacidade de conseguirmos escutar o nosso corpo, através da leitura dos sinais que ele tantas vezes nos dá, mas que nós, tantas outras vezes, ignoramos: a barriga inchada, o cansaço constante, os problemas de pele, de sono ou intestinais.

A primeira cobaia deste guia foi a própria Francisca: através da difícil batalha contra o acne, e depois de desilusões consecutivas com a medicina convencional, iniciou um longo caminho, que ainda não terminou, no mundo da medicina natural – onde conseguiu encontrar não só a sua cura, mas também uma nova área de interesse para explorar e formar-se – frequentou vários cursos no estrangeiro relacionados com o tema, está atualmente a terminar o curso de homeopatia no Reino Unido e tem dado vários workshops sobre antiaging e longevidade.

O livro “Escuta o Teu Corpo” tem fotografias da minha Marta, que tornam toda a informação numa obra de arte absolutamente linda. Já está à venda e depois de lerem a conversa com a Francisca acredito que o quererão comprar. Eu comprei, já li e está na mesa de cabeceira para me inspirar.

 

O que é que mudou quando mergulhaste no mundo da medicina natural?
Os primeiros resultados que notei foram sem dúvida na minha pele – o acne começou logo a desaparecer; nos meus ciclos menstruais – tornaram-se regulares; no meu sono – deixei de ter insónias; e na minha barriga – mais concretamente nos meus intestinos, refletindo-se numa barriguinha lisa e leve.

Antes de iniciares este processo de mudança, que tipo de hábitos tinhas?
Eu não tinha consciência sobre o impacto que o estilo vida tem sobre a nossa saúde e beleza e, muito menos, conhecia a relação que existe entre o corpo e a mente. Deste modo, os meus hábitos iam contra a minha natureza de ser humano e, no meu caso, de mulher. Este estilo de vida errático traduzia-se em consumir imenso açúcar, trigo, variados alimentos processados (bolachas de pacote, batatas fritas, refrigerantes, cereais de pacote, bolos de pastelaria, gelados, etc.) e lacticínios (um dos piores alimentos para quem sofre de acne!); dormia poucas horas; fazia modalidades de exercício físico que desarmonizavam a minha energia, especialmente durante a menstruação; tomava a pílula e outros fármacos na tentativa de eliminar o acne e o síndrome do ovário poliquístico; sofria imenso de stress e ansiedade; utilizava cosméticos convencionais, repletos de químicos; e, durante muito tempo, envolvi-me em relações tóxicas – uma fonte de toxicidade tão comum, embora tão menosprezada.

O que é que foi determinante para conseguires “escutar-te”?
Yoga. Sem dúvida! Foi no momento em que comecei a praticar yoga que tomei consciência da relação que existe entre o meu corpo e a minha mente e que, finalmente, comecei a conseguir escutá-lo. Apercebo-me que yoga foi o gatilho que desencadeou a grande transformação que tanto desejava.

A tua batalha com o acne foi muito dura. Mas tudo mudou quando deixaste de consumir fármacos. Por onde é que começaste e o que é que te levou a isto?
Eu decidi deixar a medicina convencional no momento em que me apercebi que estava a sofrer mais efeitos indesejados do que desejados. O acne, e restantes sintomas, estavam longe de desaparecer e, pior do que isso, estavam a surgir novas queixas resultantes dos efeitos secundários das medicações que tomava. Isto levou-me a procurar ajuda junto da medicina natural. Na altura eu vivia em Barcelona e, uma vez que não conhecia nenhum profissional dentro desta área, decidi começar a estudar o meu próprio caso. Encomendei uma série de livros e, com a ajuda dos conhecimentos que possuía sobre o funcionamento do corpo humano, comecei a implementar a teoria que ia aprendendo. E foi aí que o milagre aconteceu!

O stress é um dos elementos tóxicos que referes. Como é que podemos controlar este fator quando ele é tão comum e inevitável no nosso dia-a-dia?
O stress é uma reação; uma resposta por parte do teu organismo a uma dada situação. Isto significa que tu podes escolher como essa resposta será. Perante um determinado evento desafiante, podes reagir com stress – aumentando a probabilidade de criares um estado de desarmonia em ti e nos outros e, também, de não seres capaz de resolver o problema com a devida equanimidade e clareza-; ou, por outro lado, tu podes escolher reagir com elegância, maturidade e serenidade, o que muito provavelmente irá conduzir a uma solução harmoniosa, dado que a questão será resolvida com o auxílio da tua intuição (quando sentes stress, bloqueias o acesso à tua sabedoria interior).
Deste modo, sempre que surgir um imprevisto que possa desencadear uma resposta de stress, sugiro que pares (não faças nada!), respires e te questiones: como posso lidar com esta situação com assertividade e harmonia?

De acordo com certos estudos, o stress que afeta a nossa sociedade, e naturalmente a nossa saúde, provém não tanto de acontecimentos marcantes como um acidente ou a perda de um familiar, mas principalmente de situações corriqueiras do dia-dia, como estar atrasado para o trabalho, um prazo de entrega, excesso de “afazeres”, etc. Perante este cenário, a minha sugestão é que te organizes, concentres no que realmente é prioritário e aprendas a render-te em relação às coisas que não dependem de ti (se estás atrasada para uma reunião devido ao trânsito caótico da IC19, põe uma boa música e relaxa, pois não há nada que tu possas fazer!).

Qual é o elemento principal que distingue este livro dos outros?
Na altura em que eu decidi ir em busca da minha auto-cura, um dos obstáculos que mais atrasou o processo foi a disparidade da informação e o facto de se encontrar espalhada em várias fontes, nomeadamente livros. Isso trouxe-me muita confusão e fez com que demorasse muito mais tempo a integrar tudo aquilo que ia aprendendo. Como escrevi logo nas primeiras páginas, este é o livro que eu gostaria de ter lido há 15 anos atrás. Isto porque compila todos os princípios que considero serem fundamentais para uma pessoa alcançar um maravilhoso estado de harmonia. Num único livro, encontras conteúdos sobre as principais causas que podem estar a conduzir-te a um estado de desarmonia, como lhe costumo chamar, e quais os pilares capazes de resgatar a tua saúde, beleza e energia de volta à harmonia. Explico também em que consiste a energia vital e como bloqueios energéticos, que nela possam surgir, levam ao aparecimento de desequilíbrios; assim como a importância, absolutamente essencial, de nos reconectarmos com o nosso corpo e sabedoria. Ah, e contém receitas também!

Creio que o que distingue o meu livro é o facto de incluir, num único volume, vários conteúdos, todos eles com um mesmo objetivo: ajudar-te a alcançar um pleno estado de harmonia que se reflete num corpo forte, saudável e enérgico.

Que alimentos é que nunca faltam em tua casa?
Fruta e vegetais. Os verdadeiros alimentos da Natureza – repletos de energia vital, nutrientes e absolutamente deliciosos.

Vivemos numa época em que se dá muito valor à imagem. Qual é a tua opinião sobre isto?
Concordo plenamente. Como diz a escritora Julia Cameron, damos mais importância à celulite do que ao crescimento pessoal! A maioria das mulheres investe mais tempo e esforço a tentar perder 2kg, do que alguma vez investirá em tornar-se num ser humano melhor.  Há uma profunda obsessão à volta da imagem. E acredito que um dos motivos seja a procura de amor, aprovação e aceitação. Há uma fome voraz de amor que resiste ser exposta. E a grande parte das mulheres busca-o no exterior – homens, status, fama, etc. – e através do próprio corpo. Inconscientemente utilizam o seu corpo, que passa pela imagem que tem, para conseguirem o reconhecimento de que necessitam. Só que não irá resultar. Ou melhor, ilusoriamente até poderá resultar durante uns tempos, mas não é sustentável a longo prazo, nem sequer real. E na minha opinião é um abuso ao próprio corpo, o que consequentemente trará mais dor e sofrimento.

O nosso físico é regido por uma das principais leis Universais que é a Lei da Impermanência. O corpo, assim como a sua aparência, sofre variadas e inevitáveis mudanças ao longo da vida. E, as mulheres que estiverem a ir buscar o amor e apreço ao exterior, e através do seu aspeto físico, estão a comprar um bilhete certo para a infelicidade.

Apenas no momento em que realizarem que elas próprias são amor e que não necessitam de qualquer aprovação ou aceitação, muito menos por parte dos outros, é que encontrarão paz; e a guerra que poderão estar a travar com o seu corpo, terminará de vez. Desejar ser saudável e bonita é legítimo. Contudo, há que saber discernir se esse desejo está a vir de um lugar de amor ou desamor. Tu aspiras ter um corpo saudável, bonito e enérgico para poder desfrutar da tua vida ao máximo ou para satisfazer os caprichos da tua mente e as necessidades dos outros?

 

Comentários (4)

  • É, de facto, a imensa informação que nos confunde. Mas é essencial essa atenção para connosco. É o desleixo no desequilíbrio que a dada a altura não sabemos por onde começar.. mas temos cada vez mais urgência em começar. Ótima entrevista. Era precisamente duma resposta dessas que estava à procura neste momento!

    Responder
  • […] Adoro a Miss Kale há muito tempo. Revejo-me no conceito de equilíbrio e invejo as receitas. Invejo também a sabedoria mas isso agora está mais fácil de alcançar – pelo menos uma parte. A Francisca Guimarães, autora do blogue “Miss Kale“, lançou um livro – o “Escuta o Teu Corpo – que é uma espécie de guia de princípios essencias para uma vida mais saudável e feliz. Segundo aquilo que defende, todos estes princípios nascem da capacidade de conseguirmos escutar o nosso corpo, através da leitura dos sinais que ele tantas vezes nos dá, mas que nós, tantas … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Fantástico

    Responder
  • […] vejam ainda a entrevista com a Francisca Guimarães, do blogue Miss Kale. […]

    Responder

Deixe um comentário