são miguel
viver família

São Miguel, Açores? aqui ficam algumas sugestões para quem vai viajar

Primeiro que tudo: obrigada à Li por ter escrito este post. Em dias difíceis falemos de coisas boas. Porque ser feliz quando pudemos também uma forma de respeitar o sofrimento de quem não pode…

 

São Miguel faz parte das minhas memórias e é um sítio ao qual regresso sempre que posso e com a sensação de casa. É uma terra “feita” para nos demorarmos nela, para saborear todas as surpresas que nos traz, uma terra para voltar sempre.

A última vez  que estive em São Miguel, em Abril, consegui juntar o trabalho às férias escolares dos miúdos e fomos em família, sem grandes planos, apenas com alguns desejos para realizar. Quase todos já lá tínhamos estado, por isso não havia a pressa de conhecer e ir a todo o lado. Conseguimos demorar-nos em cada sítio, sem a pressa e a sede de sorver tudo.

A apenas duas horas de Lisboa é um sítio ideal para aproveitar um fim-de-semana. Desde que agendado com alguma antecedência os voos para a ilha, com a entrada das companhias low cost a viajarem para lá os preços reduziram substancialmente relativamente aos valores astronómicos que se pagava antes de 2015, conseguem comprar ida e volta por 60€ (fora épocas altas) sem bagagem no porão o que também é dispensável dado só irem passar três noites fora de casa.

Quanto à melhor altura do ano para planear a viagem? Ao longo do ano as temperaturas médias mínimas chegam aos 13,5º e as máximas aos 22º. Em 24 horas podem experimentar as quatro estações do ano: vento, neblina, chuva e um sol radioso. Contudo, entre os meses de Junho e Outubro ocorrem períodos maiores de sol e temperaturas mais altas.

É indispensável para conhecerem a ilha alugarem um carro. Há várias empresas onde o pode alugar com alguma antecedência pela internet, com preços razoáveis, optando sempre pela entrega na chegada ao Aeroporto de Ponta Delgada.

Nesta última viagem optamos pela Auto Ramalhense e correu tudo muito bem. Vão levar o carro ao aeroporto e recolhem também no aeroporto. Tivemos um problema com um pneu e substituíram o carro imediatamente [foram ter onde estávamos]. Atenção: há cadeirinhas para os mais novos, basta pedir quando fizerem a reserva, mas se forem bebés pequeninos terão quer levar o “ovo”.

 

Aqui ficam algumas dicas, uma compilação das coisas que me fazem feliz nessa ilha e que me trazem sempre a vontade em regressar.

Locais a Visitar:

Miradouro da Vista do Rei e Hotel Monte Palace
São os dois os locais perfeitos para observar as Lagoas das Sete Cidades e as suas diferentes tonalidades, uma verde e outra azul. Diz a lenda que a cor das lagoas se deve ao amor impedido por um rei entre uma princesa e um pastor, tendo os dois apaixonados chorado tanto que formaram as duas lagoas distintas conforme a coloração dos seus olhos.
Na minha última visita entrámos no Hotel Monte Palace, sempre tive essa vontade, ainda mais depois de ver o programa Abandonados da SIC. Este hotel abandonado há 25 anos, apesar da sua degradação continua a ser imponente, vale a visita.

 

Furnas- Fumarolas
Nas Caldeiras das Furnas e junto à Lagoa das Furnas podem observar as manifestações da actividade vulcânica da ilha. Nestes locais pode-se ver os vapores libertados, as águas ferventes e sentir o cheiro intenso a enxofre. Muitas vezes encontram-se no local a vender maçarocas de milho feitas nas caldeiras ou castanhas.

Podem ainda reservar num dos restaurantes/hotéis na Vila das Furnas o típico cozido, feito debaixo da terra junto à Lagoa onde foram criados buracos para o efeito, onde ficam a cozinhar durante 6h30. Para ter acesso à Lagoa das Furnas é cobrado 0,5€ (pessoa) e 0,25€/15 min (carro).

Arrisquem ainda provar a água das diversas bicas junto às caldeiras ou que podem ainda encontrar na vila.

 

Parque Terra Nostra
O parque Terra Nostra fica no Vale das Furnas e convida a um passeio com ou sem banhos termais. Para além do bonito jardim, considerado um dos mais bonitos do mundo, tem uma piscina de águas férreas de águias termais de cor castanha. Para quem gosta, que não é o meu caso, podem tomar um banho a 25º. Preço: 8€ adulto/ 4€ >10 anos

 

Poça da Dona Beija
Reforçando a ideia de que eu não sou de banhos quentes, para quem seja, este será dos sítios preferenciais para poder usufruir dos mesmos. A Poça tem diversas piscinas criadas ao longo de um ribeiro, com diferentes temperaturas, aproveitando as fontes termais de água quente. Às vezes e dependendo da altura do ano, está demasiado lotada. A entrada custa 3€ para adulto e 3,5€ para crianças. Estão disponíveis balneários para trocar de roupa e banho de água fria. Está aberta até às 23h, o que o que pode o programa nocturno bastante interessante, para quem gosta.

 

Lagoa do Fogo- Miradouro da Serra da Barrosa
Se tiverem a sorte e não estiver enublado, esta é das lagoas mais bonitas de São Miguel. Encontra-se no centro de uma caldeira vulcânica e toda a zona envolvente constitui reserva natural.

 

Ponta da Ferraria e Termas da Ferraria
As águas quentes, paradas, provocam-me alguma confusão, mas a ideia de entrar no mar como se estivesse no jacuzzi fascina-me. Na Ferraria podem ter essa experiência. Uma nascente termal no mar proporciona durante a maré baixa esse momento.
Podem ainda aproveitar para irem às termas da Ferraria, que ficam próximas da nascente, onde funciona um SPA e um bar/restaurante.

 

Ponta Delgada
Na cidade, percam-se pelas ruas, passem pelo Campo de São Francisco, entrem na Igreja do Santo Cristo, passeiem pela marginal, vejam as Portas da Cidade, sentem-se numa esplanada e vão ao mercado.

 

Caldeira Velha- Ribeira Grande
É mais um dos sítios onde podem usufruir das águas quentes na ilha, paga-se entrada: 2€ (adulto) 1€ (4 aos 12 anos). Aproveitem para depois visitar a Ribeira Grande, passando pela Praia de Santa Bárbara.

 

Sítios para comer

Quinta dos Açores

Caminho da Levada, 134 Fajã de Cima 9500-081 Ponta Delgada
Tel. 296653412

Sítio ideal para miúdos e confesso que também para graúdos. Podia dizer que voltámos lá várias vezes porque eles adoraram, mas foi mesmo porque eu gosto dos gelados de lá, principalmente os sabores dos doces regionais. Para os que gostam de arriscar, experimentem o de chocolate com queijo do Pico, estranha-se mas entranha-se. Podem almoçar, jantar ou simplesmente lanchar. As carnes e os lacticínios utilizados são de fornecedores seleccionados de todas as ilhas dos Açores. No menu podem contar com hambúrgueres, saladas, bifes, waffles, crepes e não sei se já falei dos gelados.

 

Mané Cigano

Rua Eng. José Cordeiro nº1, 9500-311 Ponta Delgada

O Mané Cigano é uma pequena tasca em Ponta Delgada e está na minha lista de desejos para um regresso à ilha. Não aceitam reservas, só servem almoços e tem poucas mesas, por esse motivo não consegui ir em Abril. Mas tenho garantias de fonte próxima que é um dos locais imperdíveis. A especialidade do restaurante são os chicharros (jaquinzinhos) fritos panados em farinha de milho com feijão assado, cebola curtida e pimenta regional a acompanhar. Mas também se podem deliciar com iscas, carnes estufadas, entrecosto guisado, inhame e outras especialidades. Se pretendem um ambiente descontraído, familiar e comida caseira a preços bastante acessíveis, é imperdível!

 

A Tasca

R. do Aljube 20, 9500-049 Ponta Delgada
Tel: 296 288 880

N´A Tasca podem apreciar várias das especialidades da gastronomia açoriana, podendo optar por uma refeição partilhada em jeito de petiscada ou pratos individuais. O restaurante tem um ambiente rústico e um atendimento simpático. Recomendo o prego de atum envolto em sementes de sésamo com mostarda e maionese caseiras, morcela com ananás e o polvo. Está aberto até às 2h, o que pode ser uma boa opção para matar apetites tardios. É ideal para grandes grupos, mas recomendo sempre que seja feita reserva, tanto para dois como para 20.

 

Cantinho do Cais

Rua do Ramal, Porto Formoso, 9625-420 São Brás
Tel. 296 442 631

A não perder, mesmo. Sopa de peixe e molho de peixe (espécie de caldeirada) divinal. Há outros pratos de peixe igualmente deliciosos, mas estes são o meu destaque. O espaço do restaurante é simples e o serviço familiar. Os preços são bastante razoáveis face à qualidade e doses servidas. Quanto ao tempo de espera, temos de ter em conta que as coisas são feitas no momento. Mais uma vez, recomendo a reserva com antecedência.

 

Restaurante da Associação Agrícola

Recinto da Feira, Campo de Santana, Rabo de Peixe. Tel. 296 490 001

Para os carnívoros este é o paraíso e imperdível se quiserem comer a genuína carne açoriana. O típico bife é feito na frigideira e servido como manda a tradição com alho e pimenta, acompanhado com batatas às rodelas e legumes. As doses são bastante generosas. Tem ainda outras opções no menu, como os hambúrgueres e não se assustem os não apreciadores de carne que também há pratos para eles. Ideal para grupos e crianças e aconselho reserva.

 

No Andar de Cima

R. António José d’Almeida, 10 Ponta Delgada
Tel. 93 834 6886

Da última vez que estive em Ponta Delgada fizemos um workshop No Andar de Cima. Antes reunimos família e amigos num brunch delicioso que se arrastou durante horas. Este espaço, que nos recebe como se estivéssemos em casa, foi inaugurado há um ano e veio trazer à cidade o sítio ideal para tomar um pequeno-almoço buffet composto de pães variados e croissants, quiches, queijos, cereais, laranjas para sumo, chá, iogurte, compotas, bolo caseiro e saladas. São servidos à mesa ovos mexidos, bacon e waffles.

 

[a cadeirinha da Mada in Lisbon é excelente para levar em viagens.]

 

Fábrica de Chá da Gorreana ou de Porto Formoso

Gorreana  9625 Maia
Estrada Regional, nº 24,  9625-413 Porto Formoso

Não é comida mas não consigo deixar de sugerir uma paragem numa das fábricas de chá onde os visitantes são convidados a conhecer as fábricas, autênticos museus, e provar as várias variedades de chá aí produzidas, para além das vistas deslumbrantes das plantações de chá a tocarem o mar.

 

Dentro destes locais que vos sugiro para irem comer percam-se nos sabores que a ilha vos pode dar, experimentem, arrisquem, provem: massa sovada, bolo lêvedo, queijo com pimenta da terra, lapas, cracas, caldeiradas de peixe, carne de vaca, polvo guisado, inhame, morcela, pé de torresmo, chicharros, queijo de São Jorge, queijo do Pico, queijadas de Vila Franca do Campo, ananás, chás, licores do Capote, cerveja Especial, Kima, caldo de peixe, torresmos de molho de fígado.

 

 

E agora releiam o post sobre aquilo que devemos levar quando vamos de viagem!

 

Comentários (3)

  • […] A última vez que estive em São Miguel, em Abril, consegui juntar o trabalho às férias escolares dos miúdos e fomos em … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • Boas dicas

    Responder
  • Eu já fui a são Miguel e adorei , sinceramente um dos locais mais belos que já conheci!
    Visitei todos esses locais e são maravilhosos, passei ao pé do hotel mas não parei pois andava por conta própria e não sabia que se podia entrar para ver! Se ainda for a tempo vou ver de certeza.
    A ilha terceira Também é muito bonita acreditem ! Visitem que vale muito a pena!

    Responder

Deixe um comentário