PubliPost viver família

os brinquedos adequados para cada idade, em casa e na praia

quais são os brinquedos adequados para cada idade?

 

a partir do momento em que nascem, e durante toda a infância, as crianças desenvolvem-se continuamente. em diferentes idades, conquistam metas fundamentais: aprendem a sentir e a distinguir texturas, cheiros, começam a ter a noção da dimensão dos objetos, começam a controlar os movimentos. aprendem a sentar-se, a gatinhar, a andar, aprendem a falar, aprendem a pedir para ir à casa de banho, aprendem a conviver com outros miúdos, começam a compreender que existem regras.

brinquedos não são só brinquedos. brinquedos são formas de estimular as crianças. potenciam e desenvolvem todas estas competências físicas e cognitivas – todas estas conquistas. os brinquedos ajudam a educar: despertam a curiosidade, ajudam a definir interesses e a própria personalidade. mas também podem deseducar. podem ser pouco pedagógicos, desadequados para a idade e até perigosos. daí a importância de saber escolher.

é sobre isso que vamos falar hoje: dos brinquedos adequados para cada idade, considerando a fase de evolução em que as crianças se encontram. e como o verão está a chegar [e o calor já chegou], ainda dou algumas sugestões dos brinquedos mais indicados para levar para a praia.

 

 

até aos 6 meses

nesta, que é a primeira fase de vida, importa estimular os sentidos e a capacidade motora dos bebés. além do contacto físico, que é fundamental para o desenvolvimento da criança, é bom dar-lhes brinquedos grandes e coloridos, mobiles, rocas e bolas com guizos [os miúdos adoram barulhos] que despertem a visão, a audição, o tato, o olfato.

é, no entanto, importante ter sempre a consciência de que alguns, com esta idade, já vão levar o objeto à boca, atirá-lo ao chão e tudo mais. por isso os brinquedos devem ser seguros, sem peças pequenas. também é importante confirmar que o barulho dos objetos não é demasiado intenso.

e para a praia? o ideal será levar um ou dois bonecos mais leves e fáceis de transportar, como os de pano ou borracha. levar aqueles que fazem barulho poderá ser uma boa forma de os distrair – mas atenção ao volume!

 

 

dos 8 meses a 1 ano

os cuidados mantém-se os mesmos, os brinquedos anteriores ainda servem, mas já podem adicionar-se outros: cubos grandes e coloridos para empilhar e encaixar, livrinhos próprios para a faixa etária, brinquedos de borracha (são uma ajuda para aliviar as dores de dentes – até podem ser introduzidos antes), bonecos para o banho, bonecos de pano.

as preocupações de que falei em cima mantêm-se. nesta altura os miúdos já se sentam e conseguem agarrar nas coisas. ou seja, nesta fase é garantido que levam tudo à boca e que atiram para o chão. ter sempre isto em consideração.

e para a praia? nesta idade levar bonecos com peças ainda não será aconselhável – até porque eles atiram tudo para o chão. o ideal será, mais uma vez, optar por bonecos de pano, de borracha ou para o banho. os mais pequenos e menos pesados serão os melhores para não ocupar e pesar muito na mala.

 

 

1 aos 2 anos 

a partir de um ano os miúdos querem mexer em tudo o que vêem. é também por esta altura que começam a andar e a conviver com outras crianças. começam a ter consciência dos hábitos dos adultos e querem imitá-los. por isso, telefones, relógios e cozinhas a brincar são boas opções. os brinquedos de empilhar e de borracha mantêm-se, mas podem ainda introduzir-se os mais simples de construção.

Também é a altura para começar a estimular a veia artística. a criatividade! podem começar a brincar com com lápis de cera e a pintar com as pontas dos dedos. é neste intervalo que começa a ser boa ideia dar-lhes instrumentos musicais (sem peças pequenas) e livros infantis ilustrados.

e para a praia? além dos bonecos, podem introduzir-se os livros infantis e os baldes de praia mais simples.

 

 

3 aos 5 anos

a partir dos três anos os miúdos já podem começar a brincar com plasticina, lápis, cadernos para colorir, quadros para pintar e escrever. as peças de encaixar começam a ser mais pequenas e começam a introduzir-se os primeiros jogos com regras, ainda que com lógicas simples – com o tempo vão ganhando complexidade. objetos para puxar e empurrar também são importantes. é por esta idade que surgem os primeiros triciclos.

e para a praia? aqui – conforme a criança for crescendo – já podem introduzir-se os baldes mais complexos, com vários acessórios e as raquetes de praia mais leves com bolas moles, por exemplo.

 

 

6 aos 9 anos

a partir desta idade as crianças começam a ler e a escrever. assim, os jogos passam a ser mais complexos, com mais regras [jogos de tabuleiro e cartas, por exemplo]. introduz-se a estratégia e a competição. os livros podem ser mais elaborados [contos infantis]. começam a aparecer os legos, brinquedos desportivos [bolas, cordas para saltar, raquetes] e os objetos para montar e desmontar [aviões, barcos, puzzles].

e para a praia? nesta altura já é bom introduzir as bolas para jogar na praia, as raquetes e ainda os jogos de cartas. como já frequentam a escola e começam a saber ler e escrever, é boa ideia ter sempre um livro por perto!

 

 

a partir dos 10 anos

a partir dos 10 anos, entramos numa nova fase: a pré-adolescência, altura em que os miúdos já desenvolveram gostos e apetências próprias. ainda assim, os pais podem continuar a estimular aspetos importantes como a lógica, raciocínio e criatividade com jogos de tabuleiro, aparelhos para ouvir música, material mais virado para as artes, como guaches, telas, caixas de lápis de cor são bons estímulos.

e para a praia? aqui os miúdos já têm algum poder de escolha nos brinquedos que levam. ainda assim, o ideal será sempre estimular o lado mais desportivo. assim, em praias mais calmas e, sempre com a supervisão dos pais, podem acrescentar-se às bolas e raquetes, as pranchas ou os óculos para ver debaixo de água. ou um jogo de cartas para desafiar a família.

 

 

e o que a Maria Luiza vai levar para a praia? o balde e a pá, mesmo que seja para os irmãos fazerem um castelo por ela. uma bola, para brincarmos todos. e já agora a prancha, serve para os irmãos levarem para a água e para a miºudo ficar a assistir em terra 🙂

Comentários (1)

  • bolas até isso as mães não sabem ??? desculpe-me mas a nossa sociedade está cada vez mais atadinha. Faz-me confusão escrever-se sobre tudo e sobre nada …

    Responder

Deixe um comentário