o meu diário

Como conheci o meu marido? O Tinder e outros segredos que levaram a casamento

como conheci o meu marido?

neste vídeo poderão encontrar todos os pormenores da história de amor que levou ao meu casamento com o Pedro. na verdade o nossa história de amor começou com o mais básico dos engates. mas se quiserem saber onde estávamos quando nos entrámos? porque é que eu nunca encontraria o meu homem no Tinder? e até, o que é o Tinder? têm que ver o vídeo.

 

e faz favor de subscreverem o canal!

Comentários (7)

  • […] post Como conheci o meu marido? O Tinder e outros segredos que levaram a casamento appeared first on dias … Ver artigo completo no […]

    Responder
  • Adorei! Gosto muito desse humor irónico, que tens! Mas isso do Tinder não é assim um bocado perigoso? Beijinhos

    Responder
  • Já sabemos como conheceu o seu marido.
    Já sabemos como “provocou” o parto da sua menina.
    Já sabemos como nasceu.

    O que é que guarda para si, Catarina? 🙁

    (não se deixe enredar na malha dos likes e shares… a Catarina não, por favor…)

    Responder
    • @Ana Maria
      Acredita mesmo que sabermos essas pequenas coisas é sinónimo de que sabemos tudo e a Catarina não guarda nada para ela e para o círculo pessoal que tem?

      Acho que a Catarina faz muito bem em partilhar estas experiências, torna-las mais reais, mais humanas, sem vergonha nem preconceito. Conhecer um grande amor no Tinder, sexo na gravidez, sexo no pós-parto, ter uma família diferentes com 3 meios-irmãos, como lida com o cansaço … nada disto deve ser motivo de vergonha.

      Catarina, parabéns por partilhares a tua experiência de uma forma tão natural! Obrigada por tentares mudar estas mentes fundamentalistas que te visitam.

      Responder
    • Ana Maria, acredite que não sabe tudo. Sabe apenas aquilo que eu não me importo que as pessoas sabiam é que sirvam para desmistificar os assuntos. Só isso.

      Responder
      • @ Ana, não sou fundamentalista – também não me conhece nem sabe tudo sobre mim 🙂
        Leio a Catarina desde os tempos do header de calções, os textos dela fazem parte do meu crescimento, chorei quando li que chorava e sorri quando li que sorria. E aquilo que a Catarina tentou fazer com a Sónia Morais Santos, mudar a vida de uma pessoa/família, e que deu reportagem no NM (penso eu, já não tenho a certeza) foi fonte de inspiração para eu própria entrar numa associação que hoje muda os dias e as noites (mais as noites) das pessoas.
        Comprei o Provo-te, porque tempos antes lhe tinha pedido que voltasse a escrever histórias de amor.
        Por isso – pelo facto de acompanhar este espaço há tanto tempo – posso dizer que, da forma como eu olho para este espaço, os textos mudaram. Tornaram-se mais expositivos, não sei. E, porque já comentei antes, pensei que agora também o pudesse fazer.

        @Catarina, eu sei que não sei tudo 🙂
        Mas isto de ler os caracteres dos outros às vezes faz-nos criar amizades por pessoas que não conhecemos na verdade, e sentir saudade do tempo em que já passou.

        Responder
        • Ana Maria, pode (podes) sempre. Eu percebo essa sensação de exposição principalmente pelas fotos mas – e porque também me defendo – garanto que não. Não se sabe mais, talvez veja mais.

          Beijinho

          Responder

Deixe um comentário