viver família

sempre ligados….

hoje estive no programa Faz Sentido, na Sic Mulher, a propósito do livro #Geração Cordão – A Geração Que Não Desliga! da psicóloga Ivone Patrão.

A tecnologia passou a controlar as nossas vidas? Conseguirão os nossos jovens algum dia desligar? Como pais, que modelos estamos a passar? E a escola, qual o papel a desenvolver? O mundo mudou! Todos estamos mais ligados! E é esta ligação que está na base da Geração Cordão. Desta geração fazem parte os jovens que não conseguem desligar nem por um segundo: estão sempre online, comunicam online, passam horas imersos nas redes sociais com os amigos ou em jogos online, completamente alheios ao resto do mundo. Até que ponto será saudável? Como pais estaremos a agir bem? Como devemos gerir esta vontade de estar sempre conectado? Quando dizer que já chega? Estaremos nós a dar o melhor exemplo aos nossos filhos? O que podem as escolas e as comunidades fazer para melhor gerir a tecnologia na vida dos jovens?

cá em casa tenho três filhos em idades completamente diferentes:

– um adolescente que, se puder está sempre com o telemóvel como prolongamento do braço

– um miúdo de 5 anos que quer ser youtuber quando for grande, aprendeu a ler aos 4 anos, que em vez de dizer “a bola é minha” diz “assim sais do meu canal”.

– e uma bebé de 7 meses que já percebeu que quando mexe no telemóvel acontece alguma coisa.

 

como lido com isso?

– primeiro que tudo percebendo que é natural na geração deles [é próprio destes tempos e não deles], que não podemos criá-los num ambiente protegido ou “irreal”;

– tento ser um exemplo e, como trabalho com recurso ao telemóvel e ao computador, largar quando eles chegam a casa;

– criando regras: há momentos em que temos mesmo que desligar e ponto final [como é o caso das refeições e dos momentos em que estamos a conversar, olhos nos olhos;

–  criar regras não basta, é preciso criar alternativas, mostrar que o tempo sem tecnologias sabe bem. como nas últimas mini férias nos Açores não podíamos usar os telemóveis entre as 10h e as 19h quando estávamos em passeio;

– tentando não usar a tecnologia como castigo ou prémio porque vejo com um entretenimento ou um instrumento de trabalho, como outro qualquer.

– acredito que as tecnologias não têm que ser sinónimo de isolamento porque podemos estar ligados mas partilhar e conversar sobre aquilo que estamos a fazer e a ver on-line.

Comentários (2)

  • […] A tecnologia passou a controlar as nossas vidas? Conseguirão os nossos jovens algum dia desligar? Como pais, que modelos estamos a passar? E a escola, qual o papel a desenvolver? O mundo mudou! Todos estamos mais ligados! E é esta ligação que está na base da Geração Cordão. Desta geração fazem parte os jovens que não conseguem desligar nem por um segundo: estão sempre online, comunicam online, passam horas imersos nas redes sociais com os … Ver artigo completo no Blog […]

    Responder
  • […] fazia do telefone a extensão do braço dele. os dois fazem parte da geração cordão – a geração que não desliga. se por um lado os smartphones, a internet e os jogos são uma ferramenta para os entreter e […]

    Responder

Deixe um comentário