o meu diário viver família

“já tem dois filhos de pais diferentes, não devia ter mais nenhum.”

Quando publiquei a crónica da semana passada recebi um comentário que dizia: “a Catarina já tem dois filhos de pais diferentes, não devia ter mais nenhum”. Li várias vezes e, na verdade, a expressão “já tem dois filhos de pais diferentes” soa bastante mal. Assumo: eu também já tive vergonha de dizer que tenho dois filhos de pais diferentes.

Quando fui mãe do Gonçalo e o projecto de vida com o pai dele não resultou pensei que nunca seria capaz de ter outro filho. Apesar de a nossa relação sempre ter sido pacífica — até quando terminou, e apesar de sermos os melhores amigos, a ideia de ter outro filho, de outro pai, fazia-me impressão.

Passaram muitos anos até ter ficado grávida do meu filho pequeno. Apesar do contexto não ser o mais fácil, apesar de todas as dúvidas, foi uma decisão consciente e muito, muito, muito feliz.

O Gonçalo não tolera que digam que tem um “meio irmão”, zanga-se mesmo. Os meus filhos são irmãos por inteiro apesar de terem pais diferentes. No dia da sua festa de anos, o Gonçalo teve consigo os seus dois irmãos, da parte da mãe e da parte do pai. Não há ligação de sangue entre estes dois meninos, não crescerão juntos, mas terão contacto, saberão quem são, serão irmãos do Gonçalo na plenitude que escolherem para a sua relação.

Se gosto de dizer que tenho filhos de pais diferentes? Assim, até parece mal, com os preconceitos a fazerem soar buzinas estridentes na minha cabeça. Sim, tenho dois filhos, cada um tem o seu pai. E são uns sortudos por terem, cada um, o melhor pai do mundo e o pai do irmão que também gosta deles.

Podem vir as leis que permitem novas famílias, novas formas de ser mãe e pai, com a justiça urgente de que ter filhos não é sangue, é criar com amor. Mas é também preciso que os preconceitos terminem, que não julguemos, que não tenhamos medos nem vergonhas. Casei com um homem que não é nenhum dos pais dos meus filhos.

Casei com um homem que ama os meus filhos, mas não é pai deles. São uns sortudos porque têm uma família cada vez maior, cheia de ramificações que formam um ninho gigante, ou uma rede para o trapézio da vida quando precisarem dela. Se um dia tiver um terceiro filho, de um terceiro pai, serei apenas a mulher mais feliz do mundo, e eles apenas irmãos.

 

[muito obrigada pelos comentários, partilhas, mensagens e e-mails. há muito mais amor do que preconceitos. ainda bem.]

Crónica Dinheiro Vivo

 

 

Comentários (89)

  • A única coisa que me vem à cabeça é que de facto ainda há pessoas muito muito estúpidas. Não consigo entender como é que há ainda tanta maldade no mundo.

    Responder
    • Parabéns Catarina Parabéns Degois!!! São um casal maravilhoso com um coração maior, tu porque tens uma força enorme e ele porque te Ama e acompanha no crescimento dos teus filhos como “Pai” sem restrições e com o Amor que te tem a ti e aos “vossos”. Tenham Filhos, tenham muitos filhos, Amem-se e partilhem connosco o vosso Amor, que nos dá inveja da Boa. Eu também sou apontada por o meu filho só me ter a mim, mas deixo que falem, porque enquanto for eu a calçar os meus sapatos, só Eu saberei da Minha Vida.
      Vivemos num Mundo cruel, mas estamos aqui para mostrar ao Mundo que as diferenças fazem a diferença.
      Um grande beijinho aos 4

      Responder
    • Só li o que escresves-te agora e identifiquem me contigo mas com uma história diferente. Sou mãe de 3 e sonho muito que a nossa vida melhore (eu arranjar um emprego) para puder ter outro bebê. Sou muito criticada principalmente dentro da minha família. Sinto- me triste porque parece que estão sempre à espera que isso aconteça para me criticar. Bem foi só um desabafo….bjinhos grandes

      Responder
      • Oi sara como vai? Acho que não entendi direito. Vc tem 3 filhos com 3 país diferentes? Me desculpe por perguntar assim mas é que realmente me identifiquei com a história. Minha mãe até hj não fala comigo pq descobriu que estou grávida de novo mas meu marido está tão feliz q acabo ficando feliz e segura tbm. Boa sorte.

        Responder
        • Olá Sara não fiques triste pk eu também estou na mesma situação a minha família também ninguém me fala por causa disso mas o k realmente importa a k somos felizes tenho 3 filhos lindos e a mim o que me importa é que depois de tanto tempo encontrei o homem certo que me ama e me respeita por isso bao ligo para a família bjs e felicidades

          Responder
  • Muitos parabéns pelo texto e pelo Blog.
    Não o conhecia, mas identifiquei-me com esta publicação.
    Também vou ser mãe de um filho de pai diferente, também me causa alguma estranheza, mas o que os outros pensam não me afecta absolutamente nada.
    Só quero que sejamos uma família feliz, e é um privilégio ter um segundo filho, independentemente de ser de um pai diferente.
    Felicidades para si e os seus meninos!
    Boas Festas!

    Responder
  • catarina, a tua felicidade transborda e contagia, mas como o vírus da gripe não contagia todos. eu sou feliz contigo e por ti :*

    Responder
  • acompanho o seu blog..
    este tema fez-me lembrar o título do livro do psiquiatra José Gameiro “Os meus, os teus e os nossos”. o livro aborda as concepções das novas formas de família vai ao encontro daquilo que explana no artigo. numa sociedade em mudança que requeremos todos ser tão “iluminados” faz-me impressão que ainda haja pessoas que pensem da forma como descreveu.

    e se o terceiro vier.. à partida conta já com muito amor 🙂

    Responder
  • Há realmente muito preconceito! Se fosse um homem ninguem diria isso, “já tem dois filhos de maes diferentes nao devia ter mais nenhum!”. Normalmente as pessoas acham mais normal duas crianças infelizes de um mesmo casal, do que crianças felizes seja de que forma seja a familia. Mais importante que serem do mesmo pai é a forma como sao criados e a sua vida feliz. Ser filho dos mesmos pais nada quer dizer.
    Parabéns por saber lidar com estes comentários azedos e mesquinhos. E nao ligue porque sem duvida que sabe que faz o seu melhor e isso está refletido neles. Um beijinho.

    Responder
  • Num mundo onde há tantas histórias tristes de meninos órfãos, sedentos por uma família, por amor e carinho, acho incrível que ainda hajam pessoas que fazem esse comentários sobre se os filhos de A ou B são ou não do mesmo pai, etc. A vida nem sempre é perfeita e nem sempre nos traz o que idealizamos (que muitas vezes é o que a tradição manda, aquela tradição que nos meteram lá bem dentro da nossa mente e à qual nem sempre é fácil fugir). Haja paz, amor e compreensão, seja em que formato de família for. Feliz Natal Catarina! Para si e para os seus

    Responder
  • Quando me perguntavam pelo meu meio irmão, respondia sempre com má cara, se estavam a perguntar pela metade da direita ou da esquerda. 😉

    Responder
  • É tão simples quanto isto Catarina: há pessoas que dizem coisas que pura e simplesmente não têm qualquer interesse e não fazem bem a ninguém. Não ligue patavina 🙂

    Responder
  • É claro que não é a situação ideial … mas os detalhes fazem parte da história de cada um

    E para mim, acima de tudo, a minha reação é “o que é que as pessoas têm a ver com isso???”

    Como é que se atrevem a dar sentenças???? “Não devia ter mais nenhum” ??? Não devia? Como assim??? Atingiu o numero máximo de pais nesta vida?

    Responder
    • “É claro que não é a situação ideal?” Qual é situação ideal então? Ideal é ao final do dia cada um chegar bem e realizado, ideal é os miúdos serem felizes, a Catarina ser feliz.

      Responder
    • Amei o seu comentário! é tal e qual o que penso 🙂

      Responder
  • Há pessoas muito estúpidas. É o meu primeiro comentário. O segundo, e mais importante, é um grande, grande parabéns e um obrigada por seres um exemplo de que se pode ter uma família feliz – nem que ela esteja espalhada por várias casas! Haja amor!

    Jiji

    Responder
  • A felicidade é a única coisa que importa!

    Responder
  • As pessoas não sabem dar nem receber amor… julgam sempre os outros porque só conseguem ver pelos seus próprios olhos. Se há amor, que diferença faz de onde veem as pessoas? Como se encontram? Os laços que criam? Eles não serão menos irmãos, nem a Catarina menos mãe, nem os pais deles menos pais… são todos uma grande família. Há amor entre vocês, é tudo o que importa… mesmo que isto pareça uma ideia utópica ou disparatada, eu acredito mesmo nisto.

    Responder
  • Eu sou uma dessas sortudas com um ninho gigante! Tenho 3 irmãos lindos (2 do pai e 1 da mãe) que amo incondicionalmente? Não têm o mesmo pai e mãe que eu? 2 deles não moram comigo, mas e então?? Quero os meus pais felizes, se a vida os levou por caminhos diferentes, paciência! Sou uma grande sortuda! E ainda me divirto a baralhar a cabeças preconceitosas acerca da minha “rede”, na qual felizmente toda a gente convive e se dá bem, onde as portas das casas estão abertas para quem for comigo, mesmo que seja filho “do outro”!

    Sou, com muito orgulho, filha de uma mãe (e de um pai) com filhos de pais diferentes!

    Responder
  • O que interessa é terem saúde, amor, carinho e que sejam felizes!
    Esses comentários não têm lógica nenhuma.
    Felicidades!!

    Deixo o meu blog se quiser visitar, celestepacheeco.blogspot.pt

    Beijinhos *

    Responder
  • Tenho dois irmãos que são “meios-irmãos”, acho esse nome ridículo, são irmãos e é o que interessa. Não percebo qual o mal de se ter filhos de pais diferentes, é uma coisa absolutamente normal. Houve um fruto de uma relação que não funcionou mas isso não quer dizer que não possa haver outra. Sinceramente acho que a escolha das palavras, filhos de pais diferentes, muito pobrezinha, mas não vejo mal nenhum nisso. A única coisa que interessa é que tanto os pais como os filhos sejam felizes.

    Responder
  • Nao ligue aos comentarios e aos julgamentos de outras pessoas… Tambem ja ouvi Tanta coisa por ai. Nao interessa SE São de um ou 4 pais diferentes. Interessa sim que SE encontram bem amados, nutridos e felizes. Tudo o resto nao interessa. ForCa.

    Responder
  • Olá desde já parabéns pelo teu blog, eu também tenho dois filhos de pais diferentes, nunca tive vergonha de o dizer ou de as pessoas perguntarem,curiosas como são! O único receio que tive quando conheci o meu actual marido foi a reacção do meu sogro ao saber que já tinha uma filha, outras mentalidades…mas graças a deus gosta muito dela. E a vida continua????????????

    Responder
  • Isso no fim são bonequinhos mas não reconheceu.bjs

    Responder
  • Não vou comentar o comentário que foi feito, pois acho que existem pessoas que não sabem de todo o que dizem ou sabem, mas são tão infelizes que querem o mesmo para os outros…

    Mudando de página adorei a sua critica!

    “a Catarina já tem dois filhos de pais diferentes, não devia ter mais nenhum” que tenha mais 1 mais 2 e mais 3, se todos tiverem amor nad amais importa <3

    Não tenho filhos mas tenho o homem que amo e respeito na minha vida a 4 anos, quando o aceitei sabia da existência de já 2 filhos na vida dele um que tem neste momento 13 anos e a menina que tinha 1 ano e meio na altura, o menino está longe apesar de pouca ligação nas fe´rias e recebido com muito amor e carinho na nossa casa e tratado como se fosse meu filho…..
    A maria é menina dos meus olhos:), lidando com ela desde 1 ano e meio de idade e tendo ela neste momento 5 anos, não é mais é como se fosse minha filha, trato ela como se fosse se sou criticada por tratar e dar tudo por uma menina que não é minha filha? já fui!

    Mas já não ligo, sou feliz ela é feliz nos somos feliz, acordar com um olhar junto ao meu e dizer " Vanessa o meu coração está a bater muito forte….. pois meu amor quando bate muito forte é sentimento de amor…. e ela responde pois é vanessa o meu coração bate muito forte quando tu me abraças <3

    E estas pequenas coisas que fazem a diferença da nossa vida nos tempos que decorrem.

    Um grande beijinho Catarina, e continua como és pois é raro haver pessoas assim ainda.

    Boas festas 🙂 <3

    Vanessa Silva

    http://prazeressaudaveis.inshape.pt/

    Responder
  • Já eu acho que é a situação ideal. Porque te levou onde estás, porque te deu os dois filhos maravilhosos que tens, e porque se vê que estás imensamente feliz com a tua vida.

    Se as pessoas olhassem mais para o espelho e fizessem as pazes com as voltas e reviravoltas da vida, talvez deixassem de lado a amargura que os leva a criticar os outros…

    Responder
  • Eu diria: A Princesa já tem dois filhos de pais diferentes, que em NADA se deve envergonhar, e a Princesa não deveria nem sequer dar ouvidos a opiniões que não incutem suporte incondicional. A Catarina já tem dois filhos de pais diferentes, deverá ter quantos mais desejar e conseguir amar, e deverá fazer exactamente aquilo que o seu coração mandar!
    Há mais amor que preconceito, subscrevo!

    Responder
  • 🙂 não pude deixar de sorrir ao ler este texto. Quando tive a minha segunda filha laqueei as trompas, não queria mais filhos e não queria “filhos de pais diferentes”. Olho agora para trás e percebo a minha decisão, não queria admitir que a relação estava a terminar e recusar outros filhos de outros pais era uma forma de por travão ao que havia de vir. Somos aquilo que somos, somos o melhor que conseguimos, e quando a leio há uma coisa que é certa: a Catarina ama os seus filhos, muito. E isso é o que verdadeiramente interessa. Como dizia a minha avó “vozes de burro não chegam ao céu”. Viva, seja feliz, ame, a si, aos filhos e aos pais deles. O resto, o resto não interessa. Um Feliz Natal.

    Responder
  • Eu tenho 1 irmã de outro pai que não o meu e sempre a considerei como igual até porque quando eu nasci ela já cá estava.
    Se não correu bem da primeira vez para a minha mãe, correu melhor depois. A vida é mesmo assim e na minha opinião ninguém tem nada a haver com a vida de ninguém, pois cada um tem que ser o mais feliz possível a sua maneira.
    MUITAS FELICIDADES PARA OS FILHOTES, é mais importante na vida de qualquer mãe.

    Responder
  • Olhe Catarina, só tenho um filho e Mantenho me com o meu marido, o que eu penso é o seguinte: os meus filhos terem cada um seu pai não me faz diferença e que me aflige e terem padrasto, porque quando o meu marido se zangava com o meu filho, e era o pai, eu só me apetecia esganalo, imagino se fosse um homem que não era o pai. Mas pelo que vejo da Catarina na TV, é uma pessoa equilibrada e saberá encontrar um equilíbrio, por isso siga o seu coração.

    Responder
  • Em pleno século XXI é muito tacanho este tipo de preconceitos.
    Sendo assim sou de uma família completamente disfuncional, somos três irmãos, e todos de mães diferentes…por nada deste mundo trocaria os meus irmãos.
    O que é preciso é que essas crianças tenham amor…esse sim faz toda a diferença em qualquer desenvolvimento.
    Boas Festas

    Responder
  • Tem dois filhos de pais diferentes. E daí? Ama-os e são felizes não deveria de haver vergonha nem preconceito nenhum nisso 🙂
    Era de uma mãe assim, que todas as crianças deviam ter.
    Beijinhos e continue com este bom optimismo <3

    http://denisemachadomakeup.blogspot.pt

    Responder
  • Que curioso! Para quem tem todos os filhos do mesmo pai soa estranho quando as vida de divide, mas que neste caso até se multiplica e desmultiplica. Tenho uma amiga minha que ficou gravida pela segunda vez e lhe perguntaram “e é do mesmo pai?” Ela confessou-me que respondeu imediatamente com um redondo “claro que sim” surpreendida. A reação foi tão genuína que se sentiu constrangida pela espontaneidade (quem perguntava era uma mãe com filhos de pais diferentes), alias não queria fazer juízos de valor, e sem pensar fê-lo. Acho que é um pouco como a catarina disse. Para quem a realidade é nova parece estranho e confuso e claro que é uma situação não ideal (o ideal é o pai e mãe juntos e felizes). Mas o facto de acontecer não é mau sinal, desde que se consiga criar harmonia na família e principalmente para as crianças. Palavra de ordem é e sempre será tolerância.

    Responder
  • Cara Catarina,

    Estou 100% de acordo. A família é sangue, é amor, é amizade.
    Temos algumas coisas em comum, os meus filhos que são 3 são todos da mesma mãe, tenho um enteado que é o máximo, todos gostam de todos. Também sou casado com a mulher da minha vida, que não é a mãe dos meus filhos. Penso muitas vezes que gostava de tangibilizar o nosso amor, de ter mais um filho, com a mulher da minha vida. Faz-me sentido! Bolas tive 3 filhos e não tenho filhos com a mulher da minha vida?
    Este é sempre um projeto em aberto, quando penso nisso não chego a grandes conclusões, a única conclusão positiva é achar que faz sentido, na prática as coisas não são fáceis, já somos 6, filhos de uns e de outros, os juízos inevitáveis das pessoas que dizem “tantos” e quando percebem que não são inteiramente nossos, fazem um ar admirado. As relações com a mãe e pai dos nossos filhos, não é tão simples como as tuas, não é fácil gerir, são visões que dividem em vez de unir. Não me canso de repetir aos 4, cuidem uns dos outros, no futuro contam apenas uns com os outros e têm de ser unidos e tratarem-se bem. Eles gostam muito uns dos outros (claro com as embirrações normais entre crianças/pre-adolescentes), defendem-se, protegem-se é sim é isso mesmo constroem a rede para os amparar quando caírem do trapézio.
    Ao contrário do comentário que desencadeou este post, eu diria exatamente o inverso, o amor é para ser vivido. Se tens certeza do teu amor, não há nada a temer, os filhos são e serão a personificação do amor. Conheço bem o teu marido, sempre gostei muito dele, é 5*! És uma afortunada, por isso aproveitem, a singularidade e a sorte daquilo que conseguiram encontrar.

    Responder
  • Ter 2 filhos de 2 pais diferentes? O que é a tradição hoje em dia?
    Não é fazer os nossso filhos felizes e criá-los sem preconceitos de qualquer tipo, ou será que isso se aplica só fora de casa?
    Ter 2 filhos que são amados por 3 homens é uma benção. Parabéns!

    Responder
  • Acho o comentário que alguém lhe fez de profundo mau gosto. Se ama o seu marido, se pretendem um projeto de futuro a dois e realmente querem um filho em comum, porque não? Sou casada com um homem que tem dois filhos de um outro casamento, mais duas “filhas emprestadas” (filhas da companheira que teve antes de me conhecer). Não são meus filhos e atendendo à idade deles desenvolvemos todos uma relação de amizade. O nosso projeto a dois passa agora por termos os nossos filhos e nem por um segundo vou admitir a quem quer que seja moralismos ou preconceitos. Estou grávida de quatro meses e vejo no meu marido um brilho fantástico nos olhos como se fosse a primeira vez. Este meu filho vai ter irmãos por inteiro mesmo com uma mãe diferente, mesmo que neles não corra o mesmo sangue. Fico verdadeiramente boquiaberta por no séc. XXI o povo português se diz tão evoluído e depois tem saídas de uma “moralidade a toda a prova”. Felizmente não lidei com esse preconceito mas lidei, no início do meu casamento, com outro o da diferença de idades; são dezoito anos que quase não se notam mas vi durante muito tempo os rostos fecharem-se quando dizíamos a diferença de idades. Força Catarina. Aprendi à minha custa que só a mim própria devo satisfações. Siga o seu coração e o seu instinto e deixe a opinião dos outros com eles próprios.
    Boas Festas!

    Responder
  • Mas porque raio é que as pessoas se acham no direito de opinar? São tão tristes!

    Responder
  • Eu próprio não podia ter dito melhor. Mais pais/irmãos = mais amor, mais carinho, mais apoio.
    Só vejo vantagens em ter uma família assim grande, visto que se dão todos bem.

    Responder
  • Eu ia ter um terceiro filho de um terceiro pai só para chatear…

    Responder
  • Os preconceitos são e serão sempre um defeito do ser humano. Para mim, ter pais diferentes é óptimo, é cada um deles ter mais alguém que se preocupa e os ama. Tudo o resto só está na cabeça de algumas pessoas e no papel.

    O Pai,
    http://www.soupai.pt

    Responder
  • Conheço um pai de cinco filhos, cada um de uma mulher diferente.
    Já não há preconceito por ser homem.
    Não compreendo como é que ainda se proferem determinados comentários e como é que ainda somos tão inimigas de nós mesmas (a maioria destas idiotices continuam a ser ditas pelas próprias mulheres).

    Responder
  • pois eu penso que essas cabeças acabam por levar abanões na vida e mudam de pensamento. Mas algumas, que conheço, não merecem ter filhos de pai nenhum.
    Felicidades

    Responder
  • Infelizmente a sociedade em que vivemos adora apontar o dedo. É exímia nessa função.
    O que importa são os desejos da Catarina e que seja feliz com as suas decisões. Nada soa mal quando há amor pelo meio, carinho e uma família feliz. Tenha ela as ramificações que tiver.

    Beijinho,

    Ana
    http://www.annastyleandliving.com

    Responder
  • Boa tarde Catarina,
    Também eu tenho duas filhas de pais diferentes, também eu casei com um homem que não é pai das minhas filhas mas que as ama.
    Também eu tenho uma família enorme…. Os meus os teus e os nossos.
    Simplesmente maravilhoso!!!!
    Viva os filhos a igualdade e o amor!!!!
    Feliz Natal Catarina e todas as mulheres!!!

    Responder
  • Também tenho dois filhos, irmãos e não meio-irmãos, que são filhos de pais diferentes. Também já ouvi essas “buzinas” dentro da minha cabeça. Quando nasceu a minha neta mais velha, o meu filho escolheu o irmão para padrinho da filha. E também convidou o pai do irmão para o baptizado. Porque os meus filhos também gostam dos pais do irmão.

    Responder
  • Bom, tenho 2 filhos, pais de filhos diferentes. Estou a divorciar-me. Espero sinceramente vir a ter o terceiro. Obviamente com um pai diferente. Nào morremos para a vida nem as crianças se tornam infelizes com isso. Alias para os meus filhos que foram criados ambos pelo pai do segundo existe um só pai. Mas , admiro ainda mais a sua situação. Pessoas civilizadas e responsaveis.

    Responder
  • Dizem que estamos muito evoluídos e sem preconceitos, mas a verdade é que em Portugal ainda estamos muito agarrados à imagem de um casamento indissolúvel mesmo sem sermos felizes… A imagem do casamento perfeito à custa de tudo…
    Passei por isso, pois quando me divorciei com 2 filhas ouvi muitos comentários… Devia pensar melhor, devia manter o casamento, mesmo perante evidências de que deveria acabar tudo…
    Lá me divorciei e depois vieram outras bocas… Agora fica mãe solteira, pois ninguém a vai aceitar… Com duas filhas??? Coitada…
    Até que conheci uma pessoa magnifica que é como um pai para as minhas filhas e não podia estar mais feliz e realizada por ter tido coragem de terminar com um casamento infeliz. ..
    Agora assumo que sou realmente feliz como nunca fui, com o homem da minha vida e com um terceiro filho! Sim sou mãe de 3 filhos de 2 país pais diferentes e qual é o problema? São os 3 lindos e irmãos que se adoram! Por isso também quis partilhar a minha história!!!

    Obrigada 🙂

    Responder
  • Minha Querida Catarina! Fico contente que um qualquer oligofrénico lhe tenha deixado a mensagem que deu origem a este post! Foi a minha maneira de conhecer o seu blog !!!!!!!!!!!!!!!!!! Gosto dos posts, da imagem e da leveza que transparece nas suas fotografias! Vislumbro uma mulher madura, feliz e resolvida 🙂 Sobre o comentário que considero inqualificável, deixe-me dizer-lhe o seguinte! Bendita mulher ou homem que decide viver na autenticidade, é que, um filho é um projecto de amor, numa dada altura com uma determinada pessoa e por vezes, muitas das vezes esse amor finda 🙁 e depois há aqueles que se sujeitam a serem infelizes e viver do faz do conta em nome de que? Criar os filhos juntos? ou seja, manter um relacionamento em nome da sociedade? em nome de convenções socais do tempo das avós ” aie e tal a cruz é para ser levada até ao cemitério” Pois, mas os tempos mudaram e, somos independentes, felizmente, as que largam tudo em nome do AMOR! O Amor próprio! é que não é qq uma que se sujeita a viver na mentira, na dor de saber que o marido regressa às tantas da noite pq esteve com a amante ou aquela que entretanto descobriu que o pai dos filhos é gay mas TEME a censura social e não assume! Posto isto, entendo a revolta que sentiu qd for interpelada com esse comentário disparatado que foi expresso por um ressabiado qq!! Não há nada mais valioso do que viver na Verdade e isso tem o seu preço: o apontar do dedo dos Oligofrénicos que mais não são que, mulheres sem amor próprio e homens adulteres! Que nada lhe tire esse sorriso e alegre-se por ter a família que quer ter! a sua não é a mesma que a minha mas tb não tem que ser, somos diferentes e vivemos o Amor à nossa maneira! Espero tb encontrar o Homem da minha vida e com ele projectar o meu segundo filho! Não será pai da minha primeira filha mas será à sua maneira um melhor amigo! O Amor é forte como a morte e quem quer estar ao nosso lado tem que nos amar por inteiro! Alegre-se pq a Catarina parece ser UMA SUPER MEGA MÃE GENIAL 🙂 Beijosssss

    Responder
  • Eu tambem tenho dois filhos… de pais diferentes….[tenho um rapaz filho do meu 1 casamento…] o casamento nao resultou… divorciei-me e uns anos mais tarde voltei a casar… e tenho um menino do meu 2 casamento…e voltei a divorciar-me novamente … e hoje vivo maritalmente com um homem que me faz muito feliz…mas nao tenho filhos com ele…nao percebo porque que muitas pessoas nos olham de lado… porque os filhos nao sao do mesmo pai…. já basta oque sofremos por ter que chegar a um ou dois divorcios… ninguem se divorcia de animo leve…o divorcio e dificil e deixa muitas marcas… só quem passa por isso é que sabe o que custa…. ninguem deveria dar palpites se nunca passou por estas situaçoes.. claro que eu gostaria de so ter casado uma unica vez e estar feliz ate hoje …. mas infelizmente nao foi possivel….NINGUEM DEVE FALAR E TER PRECONCEITOS SOBRE ESTES ASSUNTOS,…. PORQUE NAO CONHECEM A HISTORIA E NAO SABEM O QUE A PESSOA SOFREU PARA CHEGAR AQUI…. TODAS AS PESSOAS TEM O DIREITO DE SEREM FELIZES…SE NAO FOR NO 1… QUE SEJA NO 2… OU 3.. CASAMENTO… QUEM SOFRE COM O MARIDO É QUE SABE O QUE DEVE FAZER DA SUA VIDA… E NADA DE FALAR SEM SABER…

    Responder
  • Este seu texto era digno do Maria Capaz. É o eterno preconceito para com as mulheres. O pai de uma amiga foi casado 3 vezes, de cada casamento resultaram filhos, não me parece que alguma vez tenha ouvido algo do género. Não soa mal a Catarina dizer que tem dois filhos de pais diferentes, é assim a sua vida, não é mais nem menos por isso. Espero que nunca ninguém faça os seus filhos sentirem-se mal por isso. Ainda bem que depois de tal comentário tenha visto que há mais amor do que preconceito.
    Uma mera questão, quem disse tamanha cretinice sabe se é homem ou mulher?

    Responder
  • E isso é assim hoje.
    Agora imaginem como foi para um grupo irmãos (2 + 2), hoje todos na casa dos 50 anos, fruto de dois casamentos do Pai. E mais, imaginem como terá sido também para aquelas Mães.
    Como explicar há 40 anos atrás aos nossos coleguinhas que a Mãe da minha irmã não era a minha Mãe …..

    Responder
  • eu tenho 3 filhos , 2 do mesmo pai e a mais nova de outro, e são irmãos, irmãos por inteiro, porque pai tambem é quem cria e ama como tal. . o meu ex marido tem uma menina com 1 dia de diferença da minha, e apesar de a nossa relação não ser facil faço questão que a minha filha saiba da existencia dela. e digo-lhe com muito orgulho que a minha mãe tem 3 filhos cada qual de seu pai, e somos irmãos . o que interessa é esteja feliz e os seus filhos tambem!

    Responder
  • Sou mae de tres lindas crianças…cada um de pai diferente e to me borrifando pela opiniao dos outros…ja ouvi mt coisa sobre isso mas sou super orgulhosa e super amiga dos pais deles….e nao me arrependo de nada.o relacionamento nao deu certo mas tenho os maiores tesouros do mundo e a opiniao das pessoas nao cria filhos nao da educaçao nao da amor.a sociedade hj em dia se cuidadesse tanto da vida deles como cuidam da vida dos outros teriamos um otimo convivio entre tds..

    Responder
  • Partilho a sua história Catarina , tenho dois filhos de pais diferentes , não existe o meio irmão , foram criados juntos como irmãos de sangue que são e pela mãe que deu à luz os mesmos seres sem diferenças .
    Somos o resultado das nossas escolhas e decisões ,tudo que vivemos faz parte da nossa bagagem de vida .
    Eu nunca tive vergonha em momento algum de ter dois filhos de pais diferentes .
    Neste momento vivo uma relação de facto onde não temos filhos em comum , somos uma FAMÍLIA muito LINDA e UNIDA onde o AMOR é a palavra REI .
    Quando há Amor nada mais importa .

    Adorei o seu blog parabéns
    Feliz Natal

    Responder
  • Isto é só gente atrasada… viva as pessoas tristes e frustradas que se acham no direito de apontar o dedo e dizer o que é certo e errado! Gostava de conhecer a vida dessa senhora para puder opinar também sobre ela! Depois essa frase que a senhora comentou, está a insinuar o quê!? Fico revoltada com esta gentinha…olha preferia ser mão de 1000 filhos de pais diferentes e conseguir ser feliz do que ser uma triste, que não tem nada da vida e não faz nada… que acha-se alguma deusa para julgar!
    Desculpa o meu desabafo de revolta…não ligues a essa gente… Tens o teu valor e as pessoas que te amam sabem desse valor… Só elas importam!
    Beijinhos grandes
    Ana Negrão Makeup

    Responder
  • Obrigada pelo texto… Parece que está a relatar a minha história, mas com a pequena diferença, de que eu já tenho o terceiro, três de pais diferentes. Damo-nos todos lindamente, todos incluindo os pais, e somos felizes, os meus filhos são felizes, é tudo o que importa. Boas festas!!!

    Responder
  • Há realmente bastante preconceito, mas infelizmente esse não existe quando a amiga, a mãe, a irmã, a vizinha, … tem 1 ou 2 ou até 4 filhos do mesmo pai, pai esse abusador, alcóolico (ou não) e violento… Entre muito outros exemplos que posso dar…
    A adopção de uma ou mais criança, também eles filhos de pais diferentes, ou mães … as pessoas comentam, criticam, falam, mas só cada um sabe de si, a unica diferença aqui é que é uma pessoa que expõe a sua vida para o mundo, mas é apenas um exemplo entre muitos…
    Haja saúde e amor e respeito uns pelos outros, pois a única coisa igual para todos é a morte e por dentro somos todos um esqueleto, não temos cor nem raça…

    Responder
  • Catarina
    Não falo no papel de Mãe , mas sim no papel de filha com “meios-irmãos”.
    As pessoas são muito más e desde criança que me senti um pouco “à parte” por ser a única no meio de 20 crianças que não tinha Pai e tinha meios irmãos, isto a uns 20 anos era uma vergonha. Hoje em dia não há razão para criticar nada nem ninguém.
    Um Mulher não deixa de ser Mulher só porque não teve sorte ao amor.
    Uma questão, porque as Mulheres são rotuladas porque tiveram filhos de homens diferentes e os homens não? A Mulher não engravida sozinha e só porque gere a criança não lhe dá mais direito de ser criticada quanto ao homem.
    Mulher é isso mesmo Mulher que tem direito a ser Feliz passando ela pelas relações que passar.
    Um divórcio, uma ruptura na relação não é nenhuma sentença de que a vida morreu ali.
    Quantas pessoas estão nesta situação.
    Finalizo que, nesta vida não há meios irmãos sabem porquê? Consegue-se amá-los por inteiro.

    Responder
  • Só posso lamentar que ainda hoje, haja esse tipo de preconceito!!! Dois filhos, dois pais diferentes, so What?? Será que por sermos mulheres, temos de viver infelizes só porque tivemos um filho, daquele que no momento nos parecia o homem ideal?? NÃO!!
    Eu tenho dois filhos, ambos de doadores anônimos e nem por um só segundo me arrependo, e sou solteira!!!
    Nada melhor que acordar com beijos e a voz deles a dizer “acordei mamã”!!!! As pessoas que me perdoem, mas ainda não encontrei sorrisos mais felizes que os deles! Se fosse ligar ao preconceito, nada disto tinha sido possível, ia viver numa infelicidade sem tamanho! Por isso lhe digo, seja feliz e faça as pessoas que ama felizes é só isso que importa!! Muitas felicidades

    Responder
  • Olá Catarina,
    li hoje o seu Blog.
    Eu tenho três filhas de pais diferentes e nunca senti vergonha disso infelizmente para as minhas filhas elas não têm o melhor pai do mundo e nem nunca tiveram sequer o melhor padrasto a mais nova tem um bom pai que para ela ele é o melhor pai do mundo e infelizmente também para as minhas três filhas, elas nem sequer tiveram o direito a ter a melhor mãe do mundo pois eu nunca soube ser uma mãe como deve ser, mas não pense ninguém que eu não amo e não quero bem ás minhas filhas pois elas são tudo para mim, eu não consigo sequer hoje imaginar como seria a minha vida sem as minhas três lindas princesas e com o acréscimo abençoado de duas netinhas maravilhosas
    por isso tenho na minha vida cinco lindas princesas, a sortuda afinal sou eu que tenho cinco maravilhosas princesas, três filhas e duas netas, e infelizmente nem as minhas três preciosas filhas tiveram uma boa mãe e nem um bom pai como as minhas duas preciosas netas não têm uma boa avó porque nem avó eu sei ser e no entanto meu Deus, só em dizer isto os meus olhos se enchem de lágrimas, eu amo tanto as minhas cinco preciosas princesas

    Responder
  • Nem queria acreditar quando li o título… vim aqui parar por incredibilidade… nem vou comentar a imbecibilidade do comentário… apenas desejar muitas felicidades para a Catarina, para os meninos, para os pais e se vierem mais meninos ou meninas, que venham com saúde e num ambiente de muito amor, que é o que deve faltar a muita gente… 😉

    Responder
  • É preciso respeitar todas as opiniões. E a minha é a seguinte … as situações não são assim tão fáceis e inócuas. Respeito todos os tipos de parentalidade mas tenho visto ao longo dos anos imensos casos em que as crianças não aceitam tão bem a sua situação e que sofrem com todas essas “ramificações”. Sendo professora assisti mesmo a casos de pânico e revolta com manifestações físicas muito profundas, as quais provam que essas crianças não saíram de todo ilesas de todas as situações familiares, claro que mal resolvidas, a que estão ou estiveram sujeitas. E estou a falar de centenas ao longo de 23 anos como professora e como diretora de turma. Acredito também que há exceções mas penso que a maior parte destas crianças sofrem de alguma maneira. É preciso mesmo haver muito Amor, Paciência e Compreensão por parte de todos os envolvidos para que estas crianças entendam tudo o que se está a passar.

    Responder
  • Realmente em pleno séc. XXI este tipo de comentários são plenamente ridículos… Para já sou mãe de 1 filho mas o meu casamento não está nada bom e penso muito no meu futuro e ainda quero ter mais filhos! Como tal ter filhos de pais diferentes não me faz espécie nenhuma muito pelo contrario! Temos todo o direito a procurar a nossa felicidade até a encontrarmos seja com este ou com outro. Desde que haja amor tudo se ultrapassa. E existe uma famosa muito criticada por já ter 3 filhos e todos de pais diferentes que é a Kate Winslet e pelo que leio lida muito bem com o preconceito alheio e a Catarina não é diferente. Quer ter mais filhos então força nisso! amor de mãe passa por cima de toda essa mesquinhez 🙂 seja feliz 🙂

    Responder
  • Até respirei de alivio, afinal não sou só eu que sofro com este tipo de preconceito, Também tenho dois filhos de pais diferentes, e tem sido muito difícil lidar com determinadas pessoas, que me tem excluído (principalmente família) e perguntado se não tive juízo ou vergonha para tal. Muitos já me disseram que, não deveria ter mais nenhum, outros, quando digo que gostaria de ter um terceiro filho perguntam: Mas estás maluca ou perdeste o tino de todo?. Fico de tal forma que não consigo entender em que raio de sociedade vivo, só sei que os meus filhos são felizes e tem muito amor e carinho, o resto que se Lixe. Adorei o seu texto, ignore o que as más pessoas dizem, coisas tristes passam-nos ao lado. Muitos parabéns pelo blog.

    Responder
  • […] há alturas em que escrevo com o coração nos dedos [bem sei que os sentimentos não estão mesmo no coração mas é sempre uma imagem bonita]. há alturas em que escrevo como se disso dependesse o meu respirar. porque há coisas que, mesmo conscientes do absurdo que são, nos magoam e sufocam. escrevo neste blog como se escrevesse no meu diário. às vezes falo baixinho, às vezes estou muito cansada, muito feliz, muito zangada. às vezes estou triste. às vezes grito. escrever e receber tantos comentários de apoio, tantas histórias de vida, comove-me. […]

    Responder
  • Catarina,

    Não é preciso dizer mais nada porque disseste tudo, e tão bem dito…
    beijinhos e sê feliz, muito feliz 🙂

    Responder
  • Ola Catarina!
    Ainda há gente em pleno sec. XXI, que não progride, nem em pensamento, temos pena. Que continues muito feliz com os teus dois príncipes e com os que vierem, se for o caso. 🙂

    Responder
  • Este é um tópico curioso. O importante é o AMOR.
    Mas se este tópico veio “à baila”, é porque mexe com as pessoas. Somos um povo de tradições e de preconceitos e, todas as pessoas que aqui e ali comentam, é porque também o sentem, mas ou menos. Uns porque vivem esta realidade, outros porque veem esta realidade. É assim que é. Será estável para as crianças? Não sei. Será estável para a mãe? Não sei. Mas existe alguma coisa estável nesta nossa passagem pela vida? Existe?

    Responder
  • É preferível que seja uma família com pais ou mães diferentes mas onde haja amor e harmonia do que uma família dita convencional e todos os dias haja discordais, tristeza e infelicidade. Parabéns pela sua família “não convencional ” mas feliz.

    Responder
  • Que texto lindo estou esperando meu segundo filho o pai e diferente do primeiro e faz um mês q meu casamento acabou estou de 7 meses estou numa depressão do choro quero morrer só não fiz nada d absurdo por causa desse bebê q está vindo esse texto me animou muito existe uma nova vida p mim mesmo depois do segundo filho com pai diferente? Minha família não me julga mas eu mesma não me perdôo não me suporto me acho ignorante por ter acreditado de novo em alguem

    Responder
  • Olá Catarina , também eu sou mãe de duas filhas lindas de pais diferentes e neste momento tenho uma relação muito feliz e espero ir para o terceiro filho de pai diferente. Sou alvo de preconceito e de agressividade verbal, por parte da própria família , que me acha maluca e disfuncional por essa situação. Pois bem somos todos felizes , as filhotes são umas miúdas alegres e transpiram tranquilidade e amor. Só lamento que dá parte da minha família, haja só críticas e me acham instável , só porque as outras duas relações não deram certo. Sou muito feliz e amada pelas minhas filhas e pelo meu amor . Acho incrivel que seja constantemente crítica e intimidada pela própria família , proibindo me mesmo de ter esta relação . Para eles nunca mais devo ter ng na vida. Com que direito me impõem isto?!!!! Tenho a minha casa, a minha independência econômica e sim , posso não ser melhor mãe do mundo, mas amor não lhes falta.

    Responder
  • Estou passando pelo préconceito hoje , tenho uma filha de dois anos, e um filho de quatro meses. Minha filha foi de um relacionamento de quatro anos do meu segundo namorado, com seis meses que ela nasceu nos separamos definitivamente, e quando ela iria completar um ano, reencontrei meu ex namorado e engravidei do meu filho, e não estou com ninguém atualmente, o preconceito é muito forte, tenho medo de ter um relacionamento novo…muito complicado!!!

    Responder
  • Oi…me falam que eu deveria me preocupar mais com o que os outros pensam…mas os “outros” não me ajudam e modificam minha vida em nada pra melhor…
    Sou mãe de três. Um menino de um pai e duas meninas de outro pai. Separada do pai das meninas desde antes da descoberta da última gravidez. E já perdi uma menina de um outro pai. Seriam quatro de três país diferentes. São três de dois país diferentes. A mais nova é bebê. Os mais velhos 10 e 4 se amam e não existe distinção, mas entendem que cada um tem seu pai. E ambos amam a irmazinha. E eu amo a todos…morro de amores. Não imagino minha vida sem eles. Operei e filhos não posso mais. Mas marido…em breve quero outro. Ah…e pai os meus filhos já tem obrigada! Rs
    E ignorando o que muitas pessoas falam…inclusive o pai das meninas que é preconceituoso demais..pessoas da minha família também são…muitos conhecidos tb…cidade pequena.
    Mas eu sou uma sortuda e abençoada por Deus isso sim!
    E tudo vai dar certo no final. Não tenho esses preconceitos. Quero mais é ser feliz! Sou muito intensa…deu nisso! Nisso que é a coisa mais importante da minha vida. Ser mãe de três!
    Bjos

    Responder
  • identifico-me e para ser muito franca sofri do próprio preconceito, e pior eu era a primeira a sentir isso. tinha dois filhos de pais diferentes e achei meu deus ate queria um terceiro, mas três filhos de pais diferentes não, não consigo e a minha filha com 14 anos incentivou -me mostrou-me que era um absurdo de pensamento e sim hoje tenho uma pequena princesa de 7 meses e sou a mulher mais feliz do mundo aos 41 anos tenho um filho lindo de 20 uma princesa de 15 e o rebento novo que é a alegria de todos. sou mesmo uma mulher sortuda.

    Responder
  • Pois eu só tenho um filho, e separei-me do pai dele quando ele tinha 4 anos, mas como fui mãe adolescente, também sofro desse “tipo” de preconceito. Ouvi de tudo ao longo dos anos… o meu filho foi “excluído” na sua primeira turma da primária (entre professora e pais dos outros alunos, todos decidiram que éramos complicados e disfuncionais sem sequer nos conhecerem, e ele foi tratado com persona non grata por toda a gente) a minha família só fala para mim para me lembrar da vergonha que lhes causo, primeiro mãe adolescente e depois com a separação, e já me fizeram vários ultimatos que não querem conhecer mais homens muito menos filhos. E até os meus amigos, da minha faixa etária (inicio dos 30) mandam bocas e fazem piadinhas… a cena mais ofensiva que já me disseram veio mesmo de uma delas, pessoas que supostamente já não deveriam ter preconceitos destes. E isto foi-se infiltrando em mim de tal forma, que tenho 32 anos e não tenho ninguém há vários anos, porque me convenceram que sou indigna, porque me convenceram que desgracei a minha vida e agora só tenho de aguentar. E sei que é injusto, e sei que não tem lógica, mas não consigo ultrapassar 🙁

    Responder
  • Também sou mãe de três, com três pais diferente, de duas relações fracassadas, hj sou casada com um homem maravilhoso e adotou a minha filha do meio, depois tivemos mais um. A vida é feita de escolhas, e eu escolhi seguir e tentar mudar a minha sorte. Você fez a mesma coisa. Seja muito feliz. Beijinhos

    http://www.lifeenthusiastblog.com

    Responder
  • Catarina, minha bela, como amei encontrar essas palavras, seu relato. Hoje acordei me sentindo um lixo, a pior mulher do mundo…
    Ontem minha filha me contou q o avô dela, meu pai, vive falando aos quatro ventos q tem vergonha de mim, e q seria a pior tristeza do mundo se as filhas dele fizessem igual (do 2º casamento) a mim pq tenho 2 filhos de pais diferentes, nunca casei no civil (pq p ele não importa igreja) e hoje estou solteira. Eu me culpo bastante por isso, mas sei q há muito preconceito p comigo…realmente não sei como lidar, mas isso eh um fato q não posso mudar. A minha filha tbm tem vergonha e disse q não quer isso p ela. Ninguém de minha família casou mais de 2x ou tem filhos de pais diferentes além de minha prima (mas q hoje é BEM casada c o pai do ultimo filho) e o meu tio (ah, mas ele eh homem – casou mais de 4x e tem 12 filhos de 6 mulheres diferentes – ah mas ele homem). Mas espero encontrar alguém para completar a família, pois sonho em envelhecer como uma família tradicional (que não venham críticas), pois acho lindo as visitas a casa da vovó, a bela imagem de um homem e uma mulher…é um sonho. E tbm de casar na igreja… um beijo, CataLinda e que Deus nos guie hoje e sempre.

    Responder
  • Se é feliz se os seus filhos são felizes ,isso sim é o mais importante!!!
    Se encontrou um marido que os ama como se fossem dele deus a abençoou!!!
    Beijinhos

    Responder
  • Obrigada pelo texto, obrigada por mostrar o orgulho que tem na sua história. Eu própria já passei por essa descriminação do mundo por não ter o mesmo pai que o meu irmão isto já há quase 19 anos. Tenho 2 irmãos e sim são meus irmãos por completo são muito muito meus e não há ninguém que me diga que são meus pela metade.

    Responder
  • Catarina so isto: <3 <3 mtooo amor oara si e familia. Sou a favor da felicidade :-*

    Responder
  • Catarina so isto: <3 <3 mtooo amor para si e familia. Sou a favor da felicidade :-*

    Responder
  • Sem palavras simplesmente lindo este texto…
    Eu tenho 3 e cada um com pai diferente mas feliz pois Deus sabe o que faz… Tenho uns filhos maravilhos incríveis e com muito amor…. E o pai do terceiro ama todos da mesma maneira tal como ama o filho… Fui mãe muito cedo ia fazer 17 anos a idade que a minha filha vai fazer agora em maio e não me arrependo de a ter tido simplesmente com o pai dela não deu resultado…. Fui mãe pela 2 de um menino que hoje tem 11 anos e continu a dizer não me arrependo…. Mais uma relação falhada pensei muitas vezes que talvez o problema fosse meu…
    Mas não Deus tinha algo melhor pra a minha vida o meu marido e uma pessoa incrível única que me ama e aceitou o facto de eu ter 2 filhos e deste amor nasceu o meu 3 filho que fez 12 meses o mês passado aos 33 anos posso dizer que sou a mulher mais feliz porque ter os meu bebés amor incondicional independente de cada um ter um pai diferente….
    Mas pra eles só tem 1 presente na vida deles amigo companheiro das brincadeiras conselheiro a pessoa com quem estou a 6 anos
    E agora acredito porque não deu certo nas outras relações e porque algo melhor estaria a minha espera…Beijos a todas as mães que tem filhos de pais diferentes não se sintam inferiores as outras nos somos iguais somos todas mães com orgulho nos nossos filhos ☺?

    Responder
  • Olá tenho 3 filhas de pais diferentes e são todas tratadas com muito amor pelo pai da minha terceira filha , as minhas filhas relacionam se como irmãs por inteiro e não como meias irmãs . Somos muito felizes .

    Responder
  • O que importa nesta vida e sua vida sua felicidade seus filhos nada mais importa nunca dei ouvidos a nada nem ninguem siga seu coracao o mundo se fazemos bem somos criticados se fazemos mal somos na mesma tenha os filhos que quizer com quem tiver que ser voce e de certeza uma grande mae uma guerreira parabens sei feliz bjx

    Responder
  • No meu padrão mental não existe nenhum preconceito sobre ter filhos de pais diferentes, todos os relacionamentos devem ser estáveis, felizes e um bom exemplo para os filhos futuramente terem relacionamentos assim.
    Contudo, o facto de se ter um pai, têm se uma família por detrás e amigos, e muitas vezes quando se muda de parceiro existe um afastamento e rompimento com esses laços que afectará para sempre a criança. As crianças são o que me preocupam nesse processo, que muitas vezes são esquecidas no diálogo a ser feito nessa mudança. Agora se em todo o relacionamento foram felizes e bem tratadas, acho que é o que todos querem, seja com o pai, seja com o padrasto.

    Responder
  • Boa noite,
    Li o texto do início ao fim, e identifiquei me por completo. Tenho dois filhos, o mais velho aconteceu de um relação l que quase não começou e com todo o desespero de uma mãe que se torna ” mãe solteira”, porque por tudo e por nada rotulam as pessoas, nunca julguei querer mais alguma filho. A verdade é que aconteceu ter conhecido um maravilhoso homem que o amou como se de um filho de sangue se trata se,e aconteceu ter outra filha! Hoje tenho 2 filho que não se tratam como ” meios-irmaos” , e a nível de educação tenho explicar ao meu filho que tem várias pessoas na vida, não é uma família normal mas rodeada e recheada de pessoas que o adoram! Neste momento já está ele a perceber que a árvore genealógica dele será bem mais vasta do que a maioria dos meninos da turminha… Mas no meio disto a verdade é que os adultos é que criam as dificuldades, e complicam e criticam tudo! …Felicidades!

    Responder
  • É um assunto delicado…mas como Homem jamais queria uma mulher com filhos de pais diferentes! Isto porque implica muita coisa…Mas isso sou eu…o importante é encontrar a felicidade!

    Responder
  • […] alguém e resolva isso rapidamente. Não vou contar-lhe que ser mãe solteira não foi uma opção, já falei nisso aqui no blog, mas pasme-se porque a minha modernice chega ao ponto de achar muito bem que um homem ou uma mulher […]

    Responder

Deixe um comentário